ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Começou a matrícula de estudantes do Ensino Médio que desejam ingressar na rede estadual

Adolescência agora vai até os 24 anos de idade, e não só até os 19, defendem cientistas

Obrigado Brumado! Verão Vip 2018 foi um sucesso

‘Existe claramente uma perseguição política a Lula’, afirma presidente do PT de Brumado

Brumado: Sorteio eletrônico das vagas para o período letivo de 2018 acontecerá nesta terça-feira (23)

Brumado: Vende-se casa com piscina e área de lazer

Ibiassucê: Ginásio de esportes paralisado há anos é concluído com apoio de Waldenor e Zé Raimundo

Brumado: Creche do bairro São José será construída com recursos federais e apoio do município; obra está orçada em mais de R$ 1 milhão

Brumado: Serviço de Internação Domiciliar é implantado no município

Livramento: Advogado acusa PM de agressão com soco no rosto

Brumado: Agentes de trânsito estacionam motocicleta em local proibido; motoristas reclamam

Ortopedia na Clínica Master com Dr. Márcio Rios

Motorista embriagado provoca acidente grave com motociclista em Livramento

Salvador: Carro atropela 15 pessoas em Itapuã; veículo tem várias multas por excesso de velocidade

Cármen suspende posse de Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho

Gasolina sobe 19,5% em seis meses e já beira os R$ 5 em algumas cidades

Salvador: Criança de dois anos baleada na cabeça e está em estado gravíssimo

Transplante de fezes é testado contra a obesidade

Cipe-Chapada prende homem com revólver, drogas e dinheiro em Milagres

WhatsApp vai lançar nova versão; veja as mudanças


OAB pediu cassação de candidatura de Fidélix

A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) pediu ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) a cassação da candidatura de Levy Fidélix (PRTB) e direito de resposta às declarações homofóbicas ditas pelo candidato durante debate ocorrido na “TV Record” na noite deste domingo (29).

 

O deputado Renato Simões (PT-SP) também acionou o candidato. A primeira representação foi feita à Procuradoria Regional Eleitoral do Ministério Público Federal, instituição cujo procurador-geral, Rodrigo Janot, recentemente se pronunciou pela adoção do crime de discriminação previsto na legislação contra o racismo para embasar processos por homofobia. Outra junto à comissão especial da lei 10.948, que pune a homofobia no Estado de São Paulo, de autoria do próprio Renato quando deputado estadual, que funciona junto à Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo.

 

Segundo ele, Fidélix incentivou uma reação da sociedade contra os LGBTs. Como a lei 10.948 é estadual, o candidato não será imputado criminalmente, mas poderá ter de pagar multa ou sofrer outras sanções. No Facebook um grupo formado por mais de 6.100 pessoas está coletando dados pessoais para formalizar uma denúncia coletiva à Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos do governo federal.

 

A coordenadoria de Políticas para a Diversidade Sexual da Secretaria de Justiça do Estado de São Paulo também vai representar contra Fidélix com base na lei estadual 10.948. Além disso, diversos usuários de redes sociais têm denunciado o candidato no site do Ministério Público Federal por ferir o artigo 5º da Constituição Federal, inciso XLI, que diz que “a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais”, especialmente por ter sido feito em uma emissora de televisão de concessão pública.

 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário