ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Covardia: Idosa de 80 anos tem maxilar quebrado durante assalto na zona rural de Brumado

PRF prende passageira que transportava 25kg de maconha em ônibus no município de Vitória da Conquista

Endocrinopediatria é na Clínica Master

Bahia: Estudantes usam borra de café e criam produtos que repelem Aedes aegypti

Homem morre esfaqueado após sair de festa em Caetité

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Brumado: PM apreende menor que invadiu mercearia, furtou celular e dinheiro no Irmã Dulce

Eleições 2020: 77 partidos estão em fase de criação no Brasil

Brumado: Município está entre as cidades da Bahia com maior índice de infestação do aedes aegypti

Brumado: Morador cria bode solto e irrita vizinhos na comunidade de 'Passa Vinte', próximo a Itaquaraí

Brumado: 'Prefeitura não dispõe de terreno para ampliação do cemitério no distrito de Ubiraçaba', diz secretário de administração

Quatro morrem após batida entre carro e caminhão na BR-116, região de Cândido Sales

Homem sofre tiro acidental ao manusear arma de fogo em Livramento de Nossa Senhora


Comerciantes debatem sobre impactos do estacionamento rotativo, em Brumado

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

A implementação do sistema de estacionamento rotativo Área Azul foi tema de um debate realizado na última quarta-feira (21) no auditório da 21ª Subseção da OAB, em Brumado. Empresários e membros da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) debateram sobre alguns assuntos, entre eles, valores cobrados, número de vagas e multas aplicadas pelos monitores. Segundo eles, após implantação do projeto, o número de clientes no comércio do Centro diminuíram cerca de 50%. Durante o encontro, os empresários questionaram o impacto que a mudança causará no comércio enquanto os motoristas se adaptam ao novo sistema de estacionamento. "E a nossa posição com relação a área azul, é que ela na verdade nos prejudicou bastante. Para se ter uma ideia, na primeira semana da implantação as nossas vendas caíram em média 50%. Esse impacto ao meu ver foi muito grande, na segunda semana nossas vendas foram para 40%. Hoje as vendas estão com 30%, menor do que era antes, comparando com os meses anteriores e o ano anterior de 2018", disse Wanderley Souza. De acordo com o empresário, a proposta inicial seria de melhorias como ele mesmo pensava. "A gente pensava em crescimento, a gente pensava que as nossas vendas com os espaços para estacionar iriam melhorar, na verdade houve um decréscimo. A nossa preocupação é muito grande e já se faz trinta dias da implantação em Brumado, e a gente fica triste quando saio na porta da minha loja, olho para a rua e não vejo ninguém", comentou o empresário que há 45 anos está no ramo de móveis no comércio local. 

 

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Com cerca de 60 monitores fiscalizando o perímetro comercial e residencial do centro da cidade, a Área Azul de Brumado contempla cerca de duas mil vagas, o que segundo os comerciantes, é um número muito alto para um município que possui cerca de 64 mil habitantes e uma frota de veículos com cerca de 12 mil carros e 15 mil motocicletas. Ainda segundo os empresários, o valor cobrado em Brumado, não condiz com a realidade de outros municípios, com população cinco vezes maior que a de Brumado, à exemplo da cidade vizinha de Vitória da Conquista, que possui uma população estimada em 306 mil habitantes, de acordo com o último censo do IBGE. Em Vitória da Conquista, a 130 km da Capital do Minério, o estacionamento rotativo cobra por cerca de duas horas, o valor de R$ 1,75, sendo que em Brumado, com um número menor em população, se aplica o valor de R$ 2 por uma hora, sendo o condutor obrigado a mudar de vaga a cada duas horas locada. A Ordem dos Advogados do Brasil também vem se engajando diante dos apelos da comunidade e mediante uma comissão que está apurando a legalidade dos efeitos do estacionamento rotativo da cidade. A advogada Ingrid Freire, membro da comissão investigativa da OAB conta que a Ordem abriu uma representação no Ministério Público contra o modelo de implantação do projeto no município. "Nesse momento nós apresentamos os pontos que nós achávamos irregulares, e o promotor nos pediu para que a gente levasse para ele toda essa documentação que a gente tinha conseguido, e fizesse a representação. Já protocolamos essa representação a cerca de quinze dias, e nos pontos da representação existem situações na qual, como a licitação foi feita, até pelo fato da empresa está em recuperação judicial, tem a situação também de como estão sendo feitas as infrações de trânsito, porque o monitor não pode aplicar, e isso se cabe ao agente de trânsito", afirmou a advogada. 

 

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Já a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) encaminhou um ofício a administração, no intuito de se conseguir uma audiencia para tratar do possível reordenamento no zoneamento da cidade. Sem êxito, o presidente da CDL, Manoel Messias relatou que a prefeitura não respondeu ao oficio, e diante de uma nova negativa, a CDL declarou que irá elaborar um novo ofício que será encaminhado tanto ao Ministério Público, quanto a OAB. "É cultural nosso, tá mudando, mas bem a passos lentos essa questão de participar do problema antes dele acontecer. A gente enxerga que será um problema, mas a participação é muito pouca. Isso eu vejo na sociedade de Brumado, dentro da entidade a qual eu estou a frente, então a gente tem que ter perseverança, paciência e sempre está chamando a atenção, dando um puxão de orelha por todo comércio, a gente não pode deixar a boma estourar para depois correr atrás para tentar apagar o fogo. Nós vamos tomar nota desse evento para gerar um novo documento e mandar para administração pública e para o Ministério Público, então, a opinião das entidades e da sociedade organizada ela faz a pujança desse documento e, se mais uma vez não tivermos resposta em tempo hábil, ai agora vamos para a casa do povo chamando toda população para se manifestar", disse Messias.

 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário