ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Clínica Master: Dr. Absolom Duque atende em fevereiro

Mulher usa redes sociais para denunciar estupro em Porto Seguro: 'Nunca esquecerei'

Eleições 2020: Tendo Zé Ribeiro como principal pré-candidato à Prefeitura de Brumado pelo PT, Senador Jaques Wagner se esquiva e diz: 'Uma andorinha só não faz verão'

Caetité: Duas pessoas são baleadas durante discussão com policial durante show de Luiz Caldas

Aderindo movimento baiano, agentes e escrivães da Polícia Civil de Brumado paralisam atividades durante 48 horas

Brumado: Com presença de Jaques Wagner, PT realiza posse regional dos seus diretórios municipais

Brumado: Diagnosticada com fibromialgia, vendedora de cachorro-quente luta para pagar tratamento

RotSat: Rastreamento de veículos ou de sua frota!

Covardia: Idosa de 80 anos tem maxilar quebrado durante assalto na zona rural de Brumado

PRF prende passageira que transportava 25kg de maconha em ônibus no município de Vitória da Conquista

PodoClin: Saiba como tratar

Bahia: Estudantes usam borra de café e criam produtos que repelem Aedes aegypti

Homem morre esfaqueado após sair de festa em Caetité

Endocrinopediatria é na Clínica Master


Caso a regra passe a valer, eleições de 2020 serão canceladas e prefeito Eduardo Vasconcelos terá seu mandato alongado até 2022

Presidente da Câmara Municipal Léo Vasconcelos ao lado do prefeito Eduardo Lima - Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Com a corrida eleitoral para o pleito de 2020, alguns nomes começaram a surgir em Brumado, tanto para o mandato do Executivo, como para o Legislativo. Só que a maratona para as eleições do ano que vem, poderá ser interrompida e, deixando os possíveis candidatos, sem ao menos chegar próximo ao podium do Poder. Tudo por conta da PEC 49/2019, que trata sobre o período de vigência de mandatos políticos. Se a regra passar a valer, a medida vai alinhar os mandatos políticos de gestores dos estados e municípios. Nesse caso os cargos municipais passam a ser disputados juntos com os estaduais e federais. Com isso, as eleições de 2020 serão canceladas e, prefeitos e vereadores terão seus mandatos alongados até 2022. E a regra não está longe de acontecer, é o que podemos perceber com a mobilização política no Brasil. Muitos prefeitos já se mostraram favoráveis para que a medida seja aprovada esse ano na Câmara Federal. Se aprovada, o prefeito Eduardo Lima Vasconcelos (PSB), e toda bancada da Câmara Municipal de Brumado, serão beneficiados com mais dois anos de mandato. Mas há uma regra nesse benefício, prefeitos não poderão disputar reeleição. Para muitos a proposta é “louvável”, porque um dos aspectos a se observar, é que haveria uma economia de mais de R$ 4 bilhões -- custo de cada eleição no país --, recurso que poderia ser aplicado em projetos sociais e obras. Outro ponto destacado refere-se a situação das prefeituras. Neste período em que se vive problemas com a falta de repasses e, em atraso, as prefeituras foram prejudicadas. Seria então, a oportunidade de em condições regulares fazer mais pela população. O assunto é extenso, mas não agrada muito aos novos candidatos da Capital do Minério, que mesmo faltando dezoito meses para as eleições de 2020 -- se a PEC não for aprovada --, já começaram a arregaçar as mangas e lançaram seus nomes à disputa em Brumado.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário