ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Barreira sanitária continua: Mais dois veículos foram retidos pelo transporte irregular de passageiros

11 bens minerais extraídos na Bahia coloca o estado na liderança nacional

Caetité: Em teste rápido, funcionários da INB testem positivo para a Covid-19

Brumado: Caminhoneiro com sintomas de Covid-19 passa mal na BR-030 e é socorrido pelo SAMU

Mais um ônibus clandestino com 25 passageiros é apreendido em Brumado

Número de mortos pelo coronavírus foi maior do que o esperado para 63% dos baianos

Brumado: Servidores públicos que pertencem ao grupo de risco serão afastados durante a pandemia

34ª CIPM: 31 policiais testam negativo para o coronavírus após colega contrair o vírus

Veja o número de casos e mortes por coronavírus no Brasil e na Bahia

Macaúbas: Paciente com Covid-19 morre após traumatismo craniano

Brumado registra 40 casos de Coronavírus e 25 pacientes estão com o vírus ativo

Brumado: Mais um profissional de saúde do hospital municipal testa positivo para o novo coronavírus

Brumado: Pré-candidato a prefeito Alessandro Lobo é condenado a 8 anos de inelegibilidade por abuso de poder econômico

Brumado: Câmara aprova requerimento 05/2020 que prevê a devolução de quase R$ 800 mil ao Executivo

Brumado: Enfermeira da UTI testa positivo para Covid-19

Funcionários da Assembleia Legislativa da Bahia testam positivo para Covid-1

Brumado: 'Cuidem de nossas famílias' cobra diretor da CDL ao destacar relaxamento da população no combate a Covid-19

Mortes por Covid-19 no Brasil dobram em 16 dias, chegando a 30 mil

Brumado: Número de casos da dengue chega a 294; 13 possuem sintomas grave da doença

Otorrino da Clínica Mais Vida chama a atenção para a essencial importância do uso da máscara


Manifestação contra cortes na educação leva dezenas de pessoas às ruas de Brumado

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Uma passeata contra cortes na educação pelo governo federal reuniu dezenas de manifestantes na manhã desta quarta-feira (15) em Brumado. Sindicalistas, estudantes e professores foram às ruas repudiar o bloqueio de recursos para a educação anunciado pelo Ministério da Educação (MEC). As instituições públicas participaram do ato que começou em frente ao estacionamento da antiga Cesta do Povo, no Mercado Municipal e seguiu pela Avenida Antônio Mourão Guimarães passou pela rua Coronel Tibério Meira e se concentrou na Praça Capitão Francisco de Souza Meira (Praça da Matriz). 

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

A presidente da APLB, Vanuza Lobo, juntamente com os membros do sindicato reforçou a urgência de se intensificar as manifestações visando que o governo volte atrás dessa ação que é considerada como um duro golpe na educação de nível superior. "O governo promoveu o desmonte na educação quando ele tirou 38% dos recursos nas instituições de ensino. Quando o governo faz cortes na educação, ele tira a oportunidade da população brasileira, filhos das escolas e universidades públicas de terem a oportunidade de ingressarem nelas. Esse corte só foi na educação. Porquê isso?" Indagou a sindicalista que ainda completou que a população não pode aceitar essa medida do governo. "Estamos nas ruas dizendo que nós não aceitamos, porque a educação liberta, da poder e conhecimento para eu questionar os governantes do nosso país", acrescentou. 

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Segundo o Ministério da Educação, o que está ocorrendo não é um corte, mas sim um contingenciamento devido à falta de verbas, mas que, com a aprovação da reforma da previdência, a decisão será revista e as verbas deverão ser novamente liberadas em sua integralidade. Para a estudante de Letras da Universidade da Bahia (UNEB), Campus XX, Jéssica Santos, a luta serve para todas as instituições, seja ela federal ou estadual, e diante disso os alunos também não podem cruzar os braços, que segundo ela, serão os maiores prejudicados. "A gente ta perdendo bolsas, recursos para pesquisas que contribui e muito para o meio científico de nosso país, então é de suma importância que toda população participe e exija seu direito. Porque sem educação não formaremos um país de primeiro mundo", disse Santos. Conforme os manifestantes, os argumentos do Ministério da Educação não convencem, e segundo eles, o evento de hoje serve para mostrar que eles são totalmente contrários à nova gestão federal. 

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Já o estudante do Instituto Federal da Bahia (Ifba), Paulo Ricardo, essa é a vez dos estudantes mostrarem a sua voz, relembrando o tempo em que outros militantes de outras épocas, mas com a mesma idade em que hoje ele está, saiam as ruas para lutar pelos seus direitos. "Aqui nós não defendemos nenhuma bandeira partidária, aqui defendemos os nossos direitos, os direitos dos nossos educadores, se esse corte na educação permanecer, não teremos condições de ficar em sala de aula até o mês de setembro, como é o caso do Ifba. A direção da unidade em Brumado está fazendo o que pode para enxugar o orçamento, mas mesmo assim não terá condições de continuar", afirmou Ricardo.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário