ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Construção de sede da Unidade do Corpo de Bombeiros em Brumado aguarda liberação do Grupamento de Bombeiros de Vitória da Conquista

Conquista: Aeroporto Glauber Rocha marca nova fase no turismo de negócios

Brumadense que pesava 140 kg, perdeu 50 kg com exercícios e dedicação

Morro do Chapéu: Caçador mata jiboia de 3 metros em e encontra veado na barriga

Brumado: Secretário diz que ponte entre os bairros Dr. Juracy e São Jorge tem previsão de entrega para três meses

Brumado: Justiça Estadual realizará leilão de imóveis e veículos no dia 25 de julho

Líder de grupo terrorista revela plano para matar Presidente da República, diz revista

Homem arranca órgão genital do amante da esposa com tesoura após flagrar traição

Reumatologia é na Clínica Master com Dr. Kayson Lima

Brumado: Escritor José Walter lança mais dois livros; 'Bissextas' e 'Cartas Trocadas'

Inusitado: Motorista abandona carro após ser parado em blitz na Praça da Prefeitura, em Brumado

Aeroporto Glauber Rocha: Presidente Bolsonaro rebate; 'Dinheiro é do povo, não meu, nem de Rui Costa'

Animal solto na pista causa acidente e deixa motociclista ferida no anel viário da BR-030, em Brumado


Brumado: Falta de médico e desinformação por parte da população geram críticas a saúde básica na comunidade de Itaquarai

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

O 97NEWS visitou na manhã de terça-feira (14), o Posto de Saúde da Família (PSF), Juvenilson Souza Lima, na comunidade de Itaquarai, zona rural de Brumado. A nossa reportagem falou com vários moradores, e um dos maiores problemas enfrentado pela comunidade, são as falhas na atenção básica de saúde. De acordo com a moradora Josilene Gondim, com a falta de médicos no PSF, a população enfrenta alguns problemas na hora de solicitar exames e pedidos de receitas. "Estamos sem médico, se precisar de uma receita para remédios controlados não consegue, por falta do profissional, e isso já fazem seis meses", disse ao 97NEWS. Os problemas se repetem em várias regiões do município, após a saída de alguns profissionais do programa Mais Médicos. Já a dona de casa Verbenia diz que os profissionais que atuam na unidade atendem muito bem, mas com a falta do médico, tem que ir ao Hospital no centro urbano da cidade. "Sem médico, temos que ir ao hospital, e lá temos que esperar por muitas horas, porque eles atendem primeiro os casos graves", afirma a moradora. No caso do PSF de Itaquarai, são pacientes que poderiam enfrentar menos dificuldades, se houvesse um diálogo com a unidade de saúde, segundo a enfermeira Lainara Bonfim. "O povo tem que entender como é o funcionamento da atenção básica. 90% dos problemas de saúde da população são resolvidos no posto de saúde. A gente tá sem médico, não por culpa do município, mas sim, por conta da saída dos médicos do programa mais médicos. A prefeitura já realizou outro processo, para ganhar por produção, mas mesmo assim estamos com este desfalque de oito unidades sem médicos", disse a nossa reportagem a enfermeira. 

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Segundo a profissional, essa falta de procura por informação, acaba que o paciente fica sem atendimento, porque não se informou sobre outras unidades que poderiam atendê-la. "O paciente vindo ao PSF, ele passa pela consulta de enfermagem, eu avalio todos os exames, oriento, faço o pré-natal, enfim, agora se ela tem outra situação mais grave como uma hipertensão com complicação que precisa passar por um cardiologista, nós encaminhamos diretamente para para outra unidade. Agora se a população decidir não vir ao posto porque não tem médico, sem se orientar primeiro, é claro que ela vai ficar sem atendimento", afirmou Lainara. A enfermeira ainda alerta para que a população não saia de suas comunidades, e vá até o Hospital Professor Magalhães Neto, para buscar atendimento básico, para isso, segundo ela, existem as unidades básicas de saúde. "A gente tem que educar a população no sentido que ela saiba que o hospital atende apenas casos de urgência e emergência, como febre alta, cirurgias, partos, acidente, hospital serve pra isso. Todas essas outras questões, tem que ser tratada no posto de saúde", relatou Bonfim. Ela ainda destacou que a unidade atende todos os pacientes, inclusive sem enfrentar filas. "Enquanto a gente não educar a população vamos ter esse problema com o hospital super lotado. Pedidos de exames ou consultas simples, é no PSF, e não no Hospital, mesmo que não haja médico na unidade de saúde", esclareceu a enfermeira do PSF de Itaquarai. 



Comentários

  • Osmar Aparecido de Morais

    "Infelizmente quem sofre com tudo isso é a população...muito triste tudo isso."

Deixe seu comentário