ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Construção de sede da Unidade do Corpo de Bombeiros em Brumado aguarda liberação do Grupamento de Bombeiros de Vitória da Conquista

Conquista: Aeroporto Glauber Rocha marca nova fase no turismo de negócios

Brumadense que pesava 140 kg, perdeu 50 kg com exercícios e dedicação

Morro do Chapéu: Caçador mata jiboia de 3 metros em e encontra veado na barriga

Brumado: Secretário diz que ponte entre os bairros Dr. Juracy e São Jorge tem previsão de entrega para três meses

Brumado: Justiça Estadual realizará leilão de imóveis e veículos no dia 25 de julho

Líder de grupo terrorista revela plano para matar Presidente da República, diz revista

Homem arranca órgão genital do amante da esposa com tesoura após flagrar traição

Reumatologia é na Clínica Master com Dr. Kayson Lima

Brumado: Escritor José Walter lança mais dois livros; 'Bissextas' e 'Cartas Trocadas'

Inusitado: Motorista abandona carro após ser parado em blitz na Praça da Prefeitura, em Brumado

Aeroporto Glauber Rocha: Presidente Bolsonaro rebate; 'Dinheiro é do povo, não meu, nem de Rui Costa'

Animal solto na pista causa acidente e deixa motociclista ferida no anel viário da BR-030, em Brumado


Advogada brumadense destaca empenho da OAB-BA em defesa das mulheres

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

No Brasil, 37% das mulheres sofrem assédio, de acordo com dados divulgados em 2018 pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Ainda segundo o estudo, o grupo mais vulnerável está entre os 16 e 24 anos, com 66% das mulheres atingidas nessa faixa etária, seguido do grupo de 25 a 34 anos (54% de recorrência) e de 35 a 44 anos (33%). Para combater números como este, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Bahia vem lançando campanhas direcionadas a todas as mulheres, seja ela advogada ou não. Em entrevista ao 97NEWS, a Conselheira da OAB-BA, a advogada brumadense, Ingrid Freire, destacou a representatividade cada vez maior das mulheres na advocacia. Segundo ela, as mulheres não têm como retroceder diante do espaço conquistado. “Hoje, a advogada não trabalha somente a luta pela categoria feminina, mas por toda mulher, onde nós valorizamos e orientamos para que essa mulher seja cada vez mais engajada, seja libertadora. A mulher é fundamental no processo político e como, querendo ou não, somos hoje maioria nada mais do que normal de que também façamos parte da OAB”, avaliou. Para a Conselheira, a advocacia no interior sofre muito com a falência do poder judiciário. “A advocacia não caminha sozinha. Dependemos de todos os poderes caminhando juntos pra que tudo funcione em um sistema perfeito. Representar Brumado e o interior é uma missão difícil e árdua, mas estamos aqui para buscar o melhor não só para a advocacia, mas para todos os jurisdicionados”, finalizou.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário