ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: Vídeo de Larissa Emanuelle antes do acidente que tirou sua vida emociona internautas

Bahia tem 15.963 casos confirmados de Covid-19

RHI Magnesita apoia campanha 'Máscara Para Todos' na Bahia

Quase 26 mil mortes por coronavírus é registrada no Brasil; 411.821 casos foram confirmados

Nutricionista Maiana Chaves esclarece o que são os probióticos, pré-bióticos e simbióticos

Agência da Caixa volta a abrir neste sábado em Brumado

Bebê é resgatado por Graer após capotamento de veículo em rodovia

Urandi: Município decreta 'toque de recolher' e medida já está valendo

Recebendo auxílio emergencial? Em 2021 você pode ter que devolver

Brumado: Sobe para 24 os casos positivos de Coronavírus; Notificações chegam a 1000

Bahia: MP aciona instituições de ensino superior e solicita redução de 30% nas mensalidades durante pandemia

Proibição de transporte intermunicipal pelo Estado não se aplica ao deslocamento rural em Brumado

Revoltante: Avô é preso suspeito de abusar sexualmente da neta de 1 ano

Brumado: Dor e comoção marcam enterro da pequena Larissa Emanuelle de 9 anos morta em incêndio na zona rural

Fábrica da Azaleia vai demitir 600 funcionários em razão do novo Coronavírus em Itapetinga

Sob pressão da crise do coronavírus, bancos cortam juros do cartão de crédito

RHI Magnesita: Usar máscara é questão de responsabilidade

Bahia registra 15 mil casos confirmados de coronavírus

Bolsonaro sanciona projeto de socorro financeiro a estados e municípios

Brumado: Prefeitura realizará força-tarefa no comércio local visando o cumprimento dos decretos contra o Coronavírus


Lúcio Vieira Lima é denunciado pela PGR por recebimento de R$ 1,5 milhão da Odebrecht

(Foto: 97NEWS Conteúdo)

O deputado federal não reeleito Lúcio Vieira Lima (MDB-BA) foi denunciado por corrupção passiva pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda-feira (28). A denúncia parte de um desdobramento da Operação Lava Jato e se refere ao pagamento de R$ 1,5 milhão, feito pela Odebrecht ao parlamentar, em 2013. Como ele perdeu o foro privilegiado, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu a transferência dos autos para a Seção Judiciária do Distrito Federal. Na peça, a chefe do Ministério Público Federal (MPF) aponta que as "vantagens indevidas" foram dadas como contrapartidas específicas pela atuação de Lúcio no Legislativo. O parlamentar baiano contribuiu para a aprovação da Medida Provisória (MP) 613/2013 sobre o Regime Especial da Indústria Química (Reiq), tendo como consequência a desoneração fiscal para a aquisição de matérias-primas. De acordo com o órgão de justiça, isso beneficiou diretamente a Braskem, que pertence ao grupo Odebrecht. Segundo a denúncia, a renúncia fiscal foi de R$ 9,5 bilhões, de 2013 a 2015. "Bem por isso, os dirigentes da Odebrecht não mediram esforços criminosos para a obtenção desse benefício estatal", diz o texto. A investigação mostrou ainda que, no âmbito legislativo, ao menos R$ 6,4 milhões foram investidos em propina para garantir a conversão da MP em lei. De acordo com a denúncia, a Medida Provisória em questão foi enviada à Câmara no dia 8 de maio de 2013, mesmo dia em que Lúcio foi eleito presidente da Comissão Mista do Congresso Nacional. "Nessa condição, passou a exercer de fato e de direito diversas competências legislativas definidas no Regimento da Câmara dos Deputados: designar relator; realizar despachos das emedas de demais congressistas; convocar as reuniões e proferir o voto de minerva (desempate) nas deliberações", descreve a denúncia Além de Lúcio, o presidente do grupo na época Marcelo Odebrecht e os executivos Cláudio Melo Filho, José de Carvalho Filho e Carlos José de Souza Filho também foram denunciados. No caso deles, a denúncia é por corrupção passiva, pela promessa e pagamento de vantagem indevida a Lúcio.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário