ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brasil registra recorde de mortes violentas em 2017

Notas do Enem serão divulgadas nesta sexta-feira (18)

Delegado da 25ª Coorpin refuta possibilidade de tráfico internacional de crianças no caso da mãe que vendeu o filho

Brumado: 60% das ligações para o SAMU 192 são de ocorrências falsas, diz coordenação

Secretaria Municipal de Saúde de Brumado irá disponibilizar transporte para o Mutirão da Catarata em Livramento

M. Pedras: Vereador Evânio Oliveira garante que vai pedir total apuração da denúncia envolvendo a máquina do PAC em serviço particular

Cerca de 200 salas serão implantadas para tratamento de pé diabético em municípios da Bahia

Brumado: Filas aumentam na Central de Marcação; Sesau explica os motivos e garante que atendimento estará regularizado até o final do mês

Justiça determina reintegração de servidores público aposentados à prefeitura de Brumado

Menina morre após se engasgar com pedaço de carne em Mundo Novo

Brumado: Abertas as vagas para o EJA do Ensino Fundamental no período noturno

Polícia prende estelionatário acusado de aplicar golpes na Bahia, Santa Catarina e Mato Grosso

M. Pedras: moradores denunciam ato de possível improbidade administrativa por uso de retroescavadeira da prefeitura para fins particulares

População denuncia lixão na sede do setor de obras do município; secretário garante que será prontamente removido

Cortar luz por falta de pagamento é proibido em todo território brasileiro

Licínio de Almeida: Agricultor morre eletrocutado ao manusear bomba d’água

‘A Embasa não merece mais ficar em Brumado pelos péssimos serviços prestados ’, afirma brumadense indignado com a empresa; veja vídeo

Benefícios do INSS acima do salário mínimo terão reajuste de 3,43%

Em audiência pública da Embasa, ex-prefeito Geraldo Azevedo faz críticas veladas ao prefeito e a vereadores

Veículo do PAC da cidade de Brumado recebe multa no estado do Pará; entenda o caso


Aprovada multa para empresa de energia que interromper fornecimento

(Foto: Luciano Santos | 97NEWS)

O Plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (7) o projeto de lei que institui multa a ser paga por empresas concessionárias aos usuários dos serviços de energia elétrica em caso de interrupção no fornecimento. O PLS 209/2015 agora segue para a análise da Câmara dos Deputados. Do senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), a proposta estabelece que, em caso de falha no fornecimento de energia elétrica, a empresa distribuidora ficará sujeita a multa indenizatória que será paga aos usuários finais do sistema “diretamente prejudicados”. A multa deverá ser aplicada quando for superado o valor limite de indicadores de qualidade do serviço prestado, podendo ser quitada pela forma de crédito na fatura ou em espécie, por prazo não superior a três meses após o período da apuração. As multas estarão sujeitas a valores mínimo e máximo e não será devida em situações como interrupções de curta duração; interrupção causada por insuficiência técnica no interior da área sob domínio do usuário final; caso de suspensão por inadimplência do consumidor; interrupções programadas pela concessionária ou permissionária de distribuição e interrupções oriundas de atuação de esquemas de alívio de carga solicitado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). De acordo com a proposta, deverão ser implantadas ferramentas que permitam a auditoria dos indicadores de qualidade, independentemente das informações da empresa prestadora do serviço. A implantação desses mecanismos deverá ser iniciada no prazo máximo de 18 meses, a contar da publicação da lei. O relator do PLS em Plenário, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), ressaltou a importância da proposta. — Na relação de consumo, o consumidor é a parte hipossuficiente, razão pela qual seus direitos devem ter tratamento diferenciado, inclusive aqueles relativos à indenização por descontinuidades no serviço prestado — disse. Ele destacou as contribuições dos colegas Walter Pinheiro (sem partido-BA), Lindbergh Farias (PT-RJ) e Otto Alencar (PSD-BA) para que o acordo para votação da proposta ocorresse. E elogiou emendas dos senadores Wilder Morais (DEM-GO), Valdir Raupp (MDB-RO), Otto Alencar e José Agripino (DEM-RN) que foram incorporados ao texto do projeto.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário