ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Superclássico: Sem inspiração, Brasil marca nos acréscimos e vence Argentina

PF indica participação de Temer em corrupção e pede bloqueio de bens do presidente

Atletas brumadenses se destacam no Campeonato de Jiu-Jítsu em Guanambi

Licínio de Almeida: Cipe Sudoeste apreende pássaros silvestres em gaiolas

Governo volta atrás e decide que horário de verão deve começar no dia 4 de novembro

Técnicos da CAR são capacitados para atuar em programa que reforça a convivência com semiárido

Conquista: Avião faz pouso antes de destino final e causa susto em passageiros

Quarta edição da Campanha Azul Marinho poderá ter recorde de doações de brinquedos

Correntistas que nasceram em outubro começam a receber o abono salarial

Sesab promove neste terça-feira (16) em Brumado o Primeiro Encontro Regional de Saúde Bucal

Barcelona retira status de embaixador de Ronaldinho após apoio a Bolsonaro

Alerta: Em inspeção da ADAB, animal vindo de Dom Basílio para o Mafrirb tem laudo comprovado de tuberculose bovina

Jornalistas e radialistas em luto: Morre aos 78 anos Gil Gomes

Endocrinologia Pediátrica é no Centro Médico São Gabriel com Drª Aruze Tanajura

Tido como o ‘castelo forte’ da oposição, Zé Ribeiro volta a subir o tom do seu discurso ao desafiar a bancada de situação

Everton ‘Avatar’ conquista o 2º lugar no Conquista Race

Brumado: 'Campanha do Quilo', doe 1 kg de alimento e ganhe um delicioso acarajé

Principal acusado da morte de ‘Camarão’, ‘César de Lin’ já estaria em Conquista e pode ir a júri popular

Ação social comemora Dia das Crianças com festa e presentes no bairro Baraúnas

PRF registra redução de acidente no último feriado, em rodovias baianas


Projeto regulamenta o direito de greve dos servidores públicos

(Foto: Reprodução)

Projeto de Lei do Senado propõe regulamentar o exercício do direito de greve dos servidores públicos da administração pública direta, autárquica ou fundacional de qualquer dos poderes da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. O exercício da greve será autorregulamentado pelas entidades sindicais representativas dos servidores públicos e acolhido pelos Observatórios das Relações de Trabalho, de caráter tripartite, a serem criados no âmbito da União, estados, Distrito Federal e municípios. O projeto de autorregulamentação deverá ser aprovado em instância coletiva e representativa das entidades sindicais dos servidores. O direito de greve deverá levar em conta o juízo de proporcionalidade e razoabilidade, de forma a assegurar o atendimento das necessidades inadiáveis da sociedade. O projeto estabelece que competirá à Justiça Federal julgar as ações sobre as greves ocorridas no âmbito da administração pública federal. No caso dos estados, Distrito Federal e municípios, as ações serão julgadas pela justiça comum. As entidades sindicais ou os servidores, durante a greve em serviços públicos ou atividades estatais essenciais, ficam obrigados a manter em atividade o percentual o mínimo de 60% dos funcionários, como forma de assegurar a continuidade na prestação dos serviços. O percentual será de 80% do total dos servidores se a greve ocorrer nos setores de assistência médico-hospitalar; segurança pública; educação e nos serviços vinculados à distribuição de medicamentos de uso continuado pelo Serviço Único de Saúde (SUS) e ao pagamento de benefícios previdenciários. 

Regulamentação

Autor da matéria, o senador Dalírio Beber (PSDB-SC) observa que o texto busca regulamentar o inciso VII do artigo 37 da Constituição, que prevê o exercício do direito de greve dos servidores públicos. Passados 30 anos da publicação e promulgação da Carta Magna de 1988, o dispositivo ainda continua pendente de regulamentação pelo Congresso Nacional.

Em 2007, quando julgava mandados de injunção impetrados por sindicatos de servidores públicos, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que, até a publicação de norma regulamentadora específica, o direito de greve dos servidores públicos seria exercido com base na Lei 7.783/1989, que define as atividades essenciais e regula o atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.

Essa situação irregular, observa Dalírio Beber, tem sido aceita como regra pela demora da elaboração da norma jurídica, fazendo com que questões relativas ao direito de greve — como corte de remuneração, manutenção de percentual mínimo de servidores, comunicação prévia sobre a deflagração da greve, entre outras — sejam resolvidas de forma pontual e assistemática pelo Poder Judiciário. O senador ressalta ainda que o projeto busca “enxugar” textos sobre a matéria já em tramitação no Senado, como forma de não pormenorizar o diploma legal.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário