ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Rui Costa fará visita técnica ao Aeroporto de Vitória da Conquista nesta quinta-feira (18)

Criança é hospitalizada após ingerir entorpecentes enquanto brincava na varanda do apartamento

Cipe Nordeste erradica cerca de 10 toneladas de maconha em Euclides da Cunha

Brumado: Mãe de paciente faz elogios a médico de hospital mas critica atuação de outros profissionais

Internauta filma ninho de cobras de perto e as imagens chamam a atenção

TCE desaprova contas da EBDA e ex-gestores irão pagar R$ 39,3 mil em multas

Carreta de Brumado se envolve em acidente no Norte de Minas; uma pessoa morreu

Ortopedia na Clínica Master com Dr. Claudio Freitas

Brumado: Moradores esperam por dois anos reforma de ponte na comunidade do Jacaré

New Kenko Purificadores: Beba água de qualidade e garanta a saúde para sua família

Ituaçu: Polícia prende homem por cárcere privado e Maria da Penha

Ministério da Saúde suspende contratos de distribuição gratuita de remédios

Reforma tributária pode criar maior imposto do mundo

Aplicativo que envelhece ameaça a privacidade; dizem especialistas de segurança

No aniversário de 50 anos do lançamento da Apollo 11, eclipse lunar encanta brumadenses

Bahia: Governador anuncia realização de concurso para polícias Civil e Militar ainda neste ano

Brumado: Advogado Tiago Amorim lança nome como pré-candidato a prefeito

Prefeitura de Brumado pavimentará cerca de 150 ruas no município; ordem de serviço já foi assinada

Projeto Pequeno Cidadão será realizada pela quarta vez no posto do Sac em Brumado

Bahia: Homem é preso suspeito de invadir escola e esfaquear mulher 12 vezes


Projeto regulamenta o direito de greve dos servidores públicos

(Foto: Reprodução)

Projeto de Lei do Senado propõe regulamentar o exercício do direito de greve dos servidores públicos da administração pública direta, autárquica ou fundacional de qualquer dos poderes da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. O exercício da greve será autorregulamentado pelas entidades sindicais representativas dos servidores públicos e acolhido pelos Observatórios das Relações de Trabalho, de caráter tripartite, a serem criados no âmbito da União, estados, Distrito Federal e municípios. O projeto de autorregulamentação deverá ser aprovado em instância coletiva e representativa das entidades sindicais dos servidores. O direito de greve deverá levar em conta o juízo de proporcionalidade e razoabilidade, de forma a assegurar o atendimento das necessidades inadiáveis da sociedade. O projeto estabelece que competirá à Justiça Federal julgar as ações sobre as greves ocorridas no âmbito da administração pública federal. No caso dos estados, Distrito Federal e municípios, as ações serão julgadas pela justiça comum. As entidades sindicais ou os servidores, durante a greve em serviços públicos ou atividades estatais essenciais, ficam obrigados a manter em atividade o percentual o mínimo de 60% dos funcionários, como forma de assegurar a continuidade na prestação dos serviços. O percentual será de 80% do total dos servidores se a greve ocorrer nos setores de assistência médico-hospitalar; segurança pública; educação e nos serviços vinculados à distribuição de medicamentos de uso continuado pelo Serviço Único de Saúde (SUS) e ao pagamento de benefícios previdenciários. 

Regulamentação

Autor da matéria, o senador Dalírio Beber (PSDB-SC) observa que o texto busca regulamentar o inciso VII do artigo 37 da Constituição, que prevê o exercício do direito de greve dos servidores públicos. Passados 30 anos da publicação e promulgação da Carta Magna de 1988, o dispositivo ainda continua pendente de regulamentação pelo Congresso Nacional.

Em 2007, quando julgava mandados de injunção impetrados por sindicatos de servidores públicos, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que, até a publicação de norma regulamentadora específica, o direito de greve dos servidores públicos seria exercido com base na Lei 7.783/1989, que define as atividades essenciais e regula o atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.

Essa situação irregular, observa Dalírio Beber, tem sido aceita como regra pela demora da elaboração da norma jurídica, fazendo com que questões relativas ao direito de greve — como corte de remuneração, manutenção de percentual mínimo de servidores, comunicação prévia sobre a deflagração da greve, entre outras — sejam resolvidas de forma pontual e assistemática pelo Poder Judiciário. O senador ressalta ainda que o projeto busca “enxugar” textos sobre a matéria já em tramitação no Senado, como forma de não pormenorizar o diploma legal.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário