ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Forró do Sítio Novo 2019: Skol será a cerveja oficial da festa

Brumado: Secretário de Saúde diz que se for comprovado negligência médica no caso do filho de vendedor, os responsáveis serão punidos

Sistema que facilita posse de armas já está valendo

Empresários brumadenses participam de palestra motivacional 'Uaugomais' no Clube Social de Brumado

Presidente do Crea-Ba diz que trabalha para combater os famosos engenheiros 'Canetinhas' na construção civil

Operação nacional 'PC27' termina com mais de 90 presos na Bahia

Processos em fase de pagamento com perdas do 'Plano Collor 2' são liberados

Brumado: Moradores do bairro Baraúnas cobram de vereador mais dedicação; Elias Piau rebate e diz que não é ele que tem a 'caneta na mão'

Mulher é flagrada furtando caixa de loja de utilidades, em Tanhaçu; veja o vídeo

Brumado: Homem é preso após dar murro em rosto de vizinha

Santa Teresinha recebe Suba 100 de mountain bike neste final de semana

Brumado: Servidores do Judiciário se reúnem com professores do EJA para aplicação do Círculo de Construção de Paz

Brumado: De olho nas próximas eleições partidos garimpam filiados para 'Campanha Proporcional'

Operação nacional busca foragidos por roubo, homicídio e estupro em Brumado e outros Estados

Brumado: Feijão e tomate estão entre os vilões do alto custo da cesta básica

Mãe é suspeita de bater e quebrar a perna da filha de 6 anos com cabo de vassoura

Brumadenses despertam com uma garoa na Capital do Minério; semana será de tempo nublado

Brumado: Homem tem a cabeça esmagada por caminhão em acidente na Vila Presidente Vargas

Em viagens à unidades do interior, presidente do CREA visita inspetoria de Brumado e assina Termo de Cooperação Técnica com o município

Projeto prevê desconto no IPVA para policiais e motoristas sem infrações na Bahia


Projeto regulamenta o direito de greve dos servidores públicos

(Foto: Reprodução)

Projeto de Lei do Senado propõe regulamentar o exercício do direito de greve dos servidores públicos da administração pública direta, autárquica ou fundacional de qualquer dos poderes da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. O exercício da greve será autorregulamentado pelas entidades sindicais representativas dos servidores públicos e acolhido pelos Observatórios das Relações de Trabalho, de caráter tripartite, a serem criados no âmbito da União, estados, Distrito Federal e municípios. O projeto de autorregulamentação deverá ser aprovado em instância coletiva e representativa das entidades sindicais dos servidores. O direito de greve deverá levar em conta o juízo de proporcionalidade e razoabilidade, de forma a assegurar o atendimento das necessidades inadiáveis da sociedade. O projeto estabelece que competirá à Justiça Federal julgar as ações sobre as greves ocorridas no âmbito da administração pública federal. No caso dos estados, Distrito Federal e municípios, as ações serão julgadas pela justiça comum. As entidades sindicais ou os servidores, durante a greve em serviços públicos ou atividades estatais essenciais, ficam obrigados a manter em atividade o percentual o mínimo de 60% dos funcionários, como forma de assegurar a continuidade na prestação dos serviços. O percentual será de 80% do total dos servidores se a greve ocorrer nos setores de assistência médico-hospitalar; segurança pública; educação e nos serviços vinculados à distribuição de medicamentos de uso continuado pelo Serviço Único de Saúde (SUS) e ao pagamento de benefícios previdenciários. 

Regulamentação

Autor da matéria, o senador Dalírio Beber (PSDB-SC) observa que o texto busca regulamentar o inciso VII do artigo 37 da Constituição, que prevê o exercício do direito de greve dos servidores públicos. Passados 30 anos da publicação e promulgação da Carta Magna de 1988, o dispositivo ainda continua pendente de regulamentação pelo Congresso Nacional.

Em 2007, quando julgava mandados de injunção impetrados por sindicatos de servidores públicos, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que, até a publicação de norma regulamentadora específica, o direito de greve dos servidores públicos seria exercido com base na Lei 7.783/1989, que define as atividades essenciais e regula o atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.

Essa situação irregular, observa Dalírio Beber, tem sido aceita como regra pela demora da elaboração da norma jurídica, fazendo com que questões relativas ao direito de greve — como corte de remuneração, manutenção de percentual mínimo de servidores, comunicação prévia sobre a deflagração da greve, entre outras — sejam resolvidas de forma pontual e assistemática pelo Poder Judiciário. O senador ressalta ainda que o projeto busca “enxugar” textos sobre a matéria já em tramitação no Senado, como forma de não pormenorizar o diploma legal.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário