ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: Após ser retirado de pauta por várias vezes, PL 023/2019 é aprovado na Câmara de Vereadores

Universitários de Brumado fazem campanha para ajudar amiga com câncer

Polícia Militar apreende produtos falsificados em farmácia de Brumado

Delegado Arilano Botelho fala dos seus planos de trabalho à frente da 20ª Coorpin

Mal de Alzheimer: Cuidados essenciais para quem sofre com essa doença

Brumadenses superam a distância entre o sonho e a realidade do futebol feminino

Mineração de urânio da INB traz à tona memória de contaminação nos municípios de Caetité e Lagoa Real

Pax Nacional fecha parceria com faculdade Faveni

Chuva em Brumado surpreende moradores e ameniza temperatura no 'Sertão Produtivo'

Gás de cozinha aumenta nas distribuidoras a partir de hoje (22)

Brumado: PSD não deverá sair das mãos do advogado Thiago Amorim

Brumado: Projeto de Lei que prevê empréstimo de R$ 5 milhões volta à pauta do Legislativo

Auditoria vai apurar como 17 municípios baianos fizeram gastos em saúde

Apae de Brumado realizará assembleia geral ordinária para eleição da nova diretoria executiva

BA-148: Motociclista de 37 anos morre após sofrer acidente próximo ao distrito de 'Fazendinha'

Incêndio de grandes proporções atinge área de vegetação em Rio de Contas

PodoClin, Podologia Avançada em Brumado

Brumado: Tempo continua quente na Região Sudoeste e pode chover na quinta-feira (24)

Modelo brumadense realiza sonho de desfilar na São Paulo Fashion Week

Maetinga: Motorista de 36 anos morre em capotamento na BA-263


Governo prepara medidas para conter alta dos alimentos

O festival de aumentos dos preços dos alimentos levará o governo a tomar medidas para atenuar a alta da inflação. Em reunião prevista para a terça-feira (25), a câmara técnica do Conselho Interministerial de Estoques Públicos de Alimentos (Ciep) determinará a venda de estoques de milho para abastecer algumas regiões, sobretudo o Nordeste, e discutirá ações em alimentos básicos, como o feijão, afetado pelo clima nas principais áreas produtoras do País. O movimento do conselho corrobora o alerta do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, aos senadores nesta semana, sobre o impacto do choque de preços nos alimentos na inflação. Em plena safra dos grãos, esperava-se recuo nos preços. Mas as cotações seguem trajetória ascendente pela terceira vez nos últimos anos. No governo, avalia-se que a escalada dos principais itens de alimentação continuará nos próximos dois meses. "Temos essa preocupação, sim. Por isso, vamos tomar medidas", disse o novo ministro da Agricultura, Neri Geller, ao jornal O Estado de S. Paulo. Os elementos que sustentam a previsão reservada do governo vão desde a seca prolongada até as chuvas que afetaram hortigranjeiros, gerando a "inflação da salada". Nessa conta também está a demora na recomposição dos estoques globais, a redução da oferta mundial de produtos básicos, incluindo milho nos Estados Unidos e trigo na Ucrânia. A origem da escalada, avalia-se, está na quebra histórica da safra americana de 2012 e na mudança estrutural do padrão de consumo na Ásia, especialmente na China.

Agência Estado



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário