ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Superclássico: Sem inspiração, Brasil marca nos acréscimos e vence Argentina

PF indica participação de Temer em corrupção e pede bloqueio de bens do presidente

Atletas brumadenses se destacam no Campeonato de Jiu-Jítsu em Guanambi

Licínio de Almeida: Cipe Sudoeste apreende pássaros silvestres em gaiolas

Governo volta atrás e decide que horário de verão deve começar no dia 4 de novembro

Técnicos da CAR são capacitados para atuar em programa que reforça a convivência com semiárido

Conquista: Avião faz pouso antes de destino final e causa susto em passageiros

Quarta edição da Campanha Azul Marinho poderá ter recorde de doações de brinquedos

Correntistas que nasceram em outubro começam a receber o abono salarial

Sesab promove neste terça-feira (16) em Brumado o Primeiro Encontro Regional de Saúde Bucal

Barcelona retira status de embaixador de Ronaldinho após apoio a Bolsonaro

Alerta: Em inspeção da ADAB, animal vindo de Dom Basílio para o Mafrirb tem laudo comprovado de tuberculose bovina

Jornalistas e radialistas em luto: Morre aos 78 anos Gil Gomes

Endocrinologia Pediátrica é no Centro Médico São Gabriel com Drª Aruze Tanajura

Tido como o ‘castelo forte’ da oposição, Zé Ribeiro volta a subir o tom do seu discurso ao desafiar a bancada de situação

Everton ‘Avatar’ conquista o 2º lugar no Conquista Race

Brumado: 'Campanha do Quilo', doe 1 kg de alimento e ganhe um delicioso acarajé

Principal acusado da morte de ‘Camarão’, ‘César de Lin’ já estaria em Conquista e pode ir a júri popular

Ação social comemora Dia das Crianças com festa e presentes no bairro Baraúnas

PRF registra redução de acidente no último feriado, em rodovias baianas


Primeiro debate presidencial tem tom morno e poucos ataques

Foto: Reprodução l TV Band

Em um primeiro debate morno, promovido pela Bandeirantes, os candidatos à Presidência evitaram, com algumas exceções, ataques diretos e trazer temas polêmicos à tona na noite desta quinta (9). Presidenciáveis como Geraldo Alckmin (PSDB) e Ciro Gomes (PDT) não foram confrontados com seus pontos fracos, como o escândalo da Dersa, no caso do ex-governador de São Paulo, ou o temperamento explosivo do ex-governador do Ceará. A ausência de Lula, preso em Curitiba por corrupção e lavagem de dinheiro, contribuiu para um embate menos caloroso. Nesse cenário, Guilherme Boulos, do PSOL, tentou assumir o papel de porta-voz da esquerda e se apresentou como “do partido de Marielle Franco”, vereadora assassinada no Rio de Janeiro em março. Foi ele, inclusive, que protagonizou um dos únicos confrontos em que o tom das acusações se elevou. Boulos questionou Jair Bolsonaro (PSL) sobre a funcionária de seu gabinete Walderice Santos da Conceição, que, segundo mostrou a Folha de S. Paulo, trabalha num comércio de açaí em Angra dos Reis, onde o deputado federal tem uma casa. Além de Boulos, o Cabo Daciolo (Patriota) também destoou do clima mais ameno, atirando sobre praticamente todos os opositores. Segundo a assessoria da Bandeirantes, o debate teve pico de 7,5 pontos de audiência, segundo o Ibope, e média de 6,1 pontos na Grande São Paulo. Cada ponto representa 71.855 casas ou 201.061 telespectadores.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário