ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

“Não haverá privatização da Embasa em Brumado, estão querendo confundir a população com sofismas e até poesia”, afirma prefeito

Ituaçu: suspeito de tráfico consegue fugir da Polícia; drogas foram encontradas na residência

Após vencer causa na Justiça, Maxuel Ramos é reintegrado aos quadros da Prefeitura Municipal de Brumado

Câmera de fotógrafo flagra tentativa de assalto contra ele mesmo na Lavagem do Bonfim em Salvador

Brumado: Moradores revitalizam área no bairro Urbis 2 e criam parque infantil; doações podem ser feitas

Homem deixa mulher desfigurada após espancamento por causa de celular

Brumado: Juventude do São Félix reivindica o término das obras da quadra poliesportiva da comunidade

Mega-Sena: sorteio deste sábado pode pagar R$ 33 milhões; resultado às 20h

BA-262: Idoso morre atropelado ao tentar atravessar a pista no trecho entre Brumado e Aracatu

A festa mais aguardada do ano já tem data marcada: 15 de junho

Brumado: Enel Green Power vende parque eólico da região de Cristalândia

Brumado: Zona azul poderá ser solução para veículos abandonados em frente a 20ª Coorpin

Levantamento da TV Sudoeste aponta que Jequié tem a gasolina mais barata da região; Brumado não foi mencionado

Caetité: Homem é preso após agredir namorada em via pública; ação do acusado foi filmada e compartilhada em redes sociais

#10 years challenge: desafio pode ser uma uma armadilha; entenda!

Ainda hoje vou morrer de saudades': Cantor sertanejo Marciano morre aos 67 anos

Falta de Microcuveta impede doações no Hemoba de Brumado; vários doadores tiveram que voltar para casa nesta sexta-feira (18)

Ciclista pedala 2 mil km para visitar familiares na cidade de Paramirim

Brumado: Anúncio de descoberta de jazida no meio rural pode despertar ‘corrida do ouro’

Aracatu: Após tentativa de fuga, homem é preso por de tráfico de drogas


Conta de luz pode subir para bancar rombo de R$ 1,4 bi no setor elétrico

Foto: Reprodução

Até o final de agosto, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), do Ministério de Minas e Energia, vai receber propostas para decidir se autoriza o aumento de 4,25% no orçamento de um fundo do setor elétrico utilizado, entre outras finalidades, para dar descontos a diversos usuários, entre consumidores de baixa renda e empresas. Na prática, o aumento vai significar alta na conta de luz, já que a principal fonte de receitas do fundo são os impostos. A agência que regula o setor elétrico no país decidiu na terça-feira (7) aprovar a abertura de uma audiência pública, entre 8 e 28 de agosto, sobre a revisão do orçamento da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), que pode passar de R$ 18,8 bilhões para R$ 19,6 bilhões em 2018. Em 2017, a CDE arrecadou R$ 15,9 bilhões. Os recursos da CDE são usados para beneficiar diversos consumidores com descontos na conta de energia, como a população de baixa renda, por meio do programa Tarifa Social. Quem utiliza as chamadas "fontes incentivadas", como eólica, solar, biomassa, pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) e cogeração, também recebe descontos. A revisão do orçamento da CDE foi solicitada em julho pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), responsável por gerir o fundo desde maio de 2017. Segundo a CCEE, as receitas diminuíram em 2018, principalmente, por causa do "aumento dos benefícios tarifários concedidos aos consumidores de energia de fontes incentivadas". De acordo com os demonstrativos financeiros publicados mensalmente pela CCEE, os gastos com os subsídios a empresas passaram de 375,7 milhões por mês, na média, em 2017, para R$ 656,8 milhões mensais neste ano. O programa para custear combustíveis de termelétricas das "regiões isoladas" passou de R$ 358 milhões por mês, na média, em 2017, para R$ 569 milhões mensais em 2018. Já o gasto mensal com o Tarifa Social foi, na média, de R$ 135 milhões para R$ 201 milhões entre 2017 e 2018.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário