ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

PRF registra 75 mortes e mais de mil feridos nas rodovias federais

Brumado: Sucata de veículos e entulho deixam moradores da 'Curva do Cinco' irritados

Sul da Bahia: Secretário de Meio Ambiente de Ilhéus assegura que praias estão limpas para receber brumadenses

Campanha contra o sarampo é retomada nesta segunda-feira (18)

Novembro Azul: Pax Nacional apoia esta ideia

Brumado: PRE prende jovem recém-saído da cadeia por furtar moto em festa de cavalgada

RotSat: Rastreamento veicular com qualidade, eficiência e segurança

Brumado: Árvore cai em cima de casas no bairro Dr. Juracy

PodoClin, Podologia Avançada em Brumado

Brumado: Polícia procura por assaltante que agrediu com socos e pontapés homem no Centro da cidade

Marcelo Esportes: Mulheres crescem e se destacam em esportes do mundo masculino

'Reencontro com a liberdade. De Lula e do Brasil', diz ex-presidente em foto no Rio Paraguaçu

Brasil vira no fim, vence o México por 2 a 1 e conquista o tetra do Mundial Sub-17

Tanhaçu: Dois homens morrem em confronto com a polícia militar

Temporal com grande incidência de raios tira emissoras de Rádio do ar em Brumado

Brumado: Secretaria de saúde firma parceria com universidade para operacionalizar a 'Xenovigilância'

Livramento de Nossa Senhora: Funcionário é agredido por empreiteiro com golpes de enxada

Gabriel Jesus erra pênalti, e Brasil perde para Argentina com gol de Messi

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

PM apreende munições e pólvora para arma de fogo em Tanhaçu


Homem passou 38 anos de sua vida sem poder casar e colocar o seu nome na certidão dos filhos

Foto: Whatsapp l 97NEWS

Um morador de Barra do Choça na Região do Planalto da Conquista viveu 38 anos de sua vida sem poder viver na sociedade como um cidadão registrado. José Marcos, de 38 anos, morador da comunidade de Duas Barras, zona rural do município, disse que vive com sua companheira, Maria Dias de Oliveira, com quem tem dois filhos, Edilane e Alan, e passou um grande dilema ao longo de sua vida. Segundo Marcos, ele se mudou para Barra do Choça, quando ainda era criança, sem os seus pais, e nunca pode tirar os documentos. Por conta disso, não pode registrar seus filhos por não ser casado. Ele é mais um brasileiro que vive ‘invisível’, ou seja, não existe para o Estado. José não tinha Certidão de Nascimento, RG, Título de Eleitor, CPF, nenhum outro documento. Ele nunca foi ao médico, não tem conta bancária, não votou e nem estuda. Mas aos 38 anos sua vida começou a mudar quando amigos de José conseguiu pagar uma advogada e conseguiu tirar os meus documentos. "Agora vou poder me casar, colocar o meu nome na Certidão de Nascimento dos meus filhos e começar a estudar”, disse. José Marcos, comentou ainda que, se sentia triste por não poder registrar os seus filhos, "agora graças a Deus poderei ser um cidadão, votar, ou seja ser um cidadão!", finalizou com um sorriso no rosto. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário