ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

PodoClin, Podologia Avançada em Brumado

Brumado: Tempo continua quente na Região Sudoeste e pode chover na quinta-feira (24)

Modelo brumadense realiza sonho de desfilar na São Paulo Fashion Week

Maetinga: Motorista de 36 anos morre em capotamento na BA-263

Lagoa Real: Idoso morre carbonizado após tentar apagar fogo em lavoura

Perseguição policial na BR-116 termina com 200 kg de maconha apreendidos em Conquista

RotSat: Rastreamento veicular com qualidade, eficiência e segurança

Primeira missa a Santa Dulce dos Pobres leva milhares de fiéis à Salvador

Livramento de Nossa Senhora: Jovem de 29 anos é morto a facada durante briga com amigo

Brumado: Recém-nascido com problemas respiratórios é transferido de UTI aérea para Salvador

Com máscara de oxigênio suja, hospital usa copo descartável como substituto e reanima bebê

Idosa de 75 anos dá a luz a um bebê; pai da criança tem 80 anos

Brumado: 'A situação política está muito favorável para o PT', afirma ex-prefeito

Bahia: Tribunal de Justiça derruba liminar e restabelece uma única inspeção veicular por ano

Correios e Telebras entraram oficialmente no programa de privatizações

Brumado: Homem é preso por agredir a mãe, o padrasto e um vizinho no residencial Brisa 3

Brumado: Primeiro dia D de vacinação contra o sarampo acontece neste sábado (19)

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado


Homem passou 38 anos de sua vida sem poder casar e colocar o seu nome na certidão dos filhos

Foto: Whatsapp l 97NEWS

Um morador de Barra do Choça na Região do Planalto da Conquista viveu 38 anos de sua vida sem poder viver na sociedade como um cidadão registrado. José Marcos, de 38 anos, morador da comunidade de Duas Barras, zona rural do município, disse que vive com sua companheira, Maria Dias de Oliveira, com quem tem dois filhos, Edilane e Alan, e passou um grande dilema ao longo de sua vida. Segundo Marcos, ele se mudou para Barra do Choça, quando ainda era criança, sem os seus pais, e nunca pode tirar os documentos. Por conta disso, não pode registrar seus filhos por não ser casado. Ele é mais um brasileiro que vive ‘invisível’, ou seja, não existe para o Estado. José não tinha Certidão de Nascimento, RG, Título de Eleitor, CPF, nenhum outro documento. Ele nunca foi ao médico, não tem conta bancária, não votou e nem estuda. Mas aos 38 anos sua vida começou a mudar quando amigos de José conseguiu pagar uma advogada e conseguiu tirar os meus documentos. "Agora vou poder me casar, colocar o meu nome na Certidão de Nascimento dos meus filhos e começar a estudar”, disse. José Marcos, comentou ainda que, se sentia triste por não poder registrar os seus filhos, "agora graças a Deus poderei ser um cidadão, votar, ou seja ser um cidadão!", finalizou com um sorriso no rosto. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário