ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Bahia é o estado com maior número de crimes violentos em março de 2020

Veículo que saiu de Brumado, é apreendido em Simões Filho com drogas

INSS inicia pagamento da 2ª parcela do 13º de aposentados e pensionistas

Brumado: Taxista encontra carteira com R$ 1.150, acha dona e devolve

RHI Magnesita na luta contra o Coronavírus

Brumado: Evolução do coronavírus poderá derrubar flexibilização no município

Auxílio: Caixa credita nesta segunda benefício a mais 7,8 milhões de trabalhadores

Brumado tem 7 casos ativos de Covid-19; agora são 16 registro da doença no município

Polícia prende assaltantes de bancos em Barreiras

Comunicado Pax Nacional

Brasil regista 653 novas mortes por coronavírus nas últimas 24 horas

Agências dos Correios pagarão auxílio emergencial a partir de junho

RotSat: Rastreamento de veículos ou de sua frota!

Crueldade: Mulher é morta a pedradas no bairro Malhada Branca, em Brumado

Brumado: Feriados de São João e Independência da Bahia serão antecipados

Prefeitura de Brumado mantém flexibilização do comércio

Três pacientes testam positivo para a Covid-19 em Rio do Antônio

Governo Federal suspende entrada de estrangeiros por 30 dias em razão da pandemia

Sesau registra 901 notificações suspeitas para Covid-19 em Brumado

Auxílio emergencial: Agência da Caixa vai funcionar neste sábado em Brumado


Mulher é morta com tiro na cabeça após se negar a mostrar celular para ex-marido

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Uma mulher de 30 anos, foi morta a tiros pelo ex-companheiro após ela se recusar a mostrar o celular, na última segunda-feira (25), na cidade de Dourados, Mato Grosso do Sul. Segundo a investigação feita pelo SIG (Setor de Investigações Gerais), o filho de 14 anos relatou, em depoimento à polícia, que Edson Aparecido Oliveira Rosa, de 35 anos, agrediu a vítima, identificada como Yara Macedo dos Santos com socos e pontapés e depois deu um tiro na cabeça dela. O casal estava separado há um mês e Edson não aceitava o fim do relacionamento. De acordo com a polícia, o suspeito ficou dias sem trabalhar atrás de Yara. Após o assassinato, Edson pediu ajuda da família para fugir, sendo que três pessoas acabaram presas por favorecimento ao rapaz. Um dos presos pagou fiança e foi liberado. Edson foi preso em Sidrolândia, no mesmo estado, na terça-feira (26), no momento em que iria embarcar em um ônibus para Campo Grande. Ele tem várias passagens pela polícia, inclusive por violência doméstica e por ameaçar a ex-mulher, que tinha uma medida protetiva contra ele.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário