ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Dengue: Ministério da Saúde aponta crescimento de 224% nos casos em 2019

Ex-prefeito Geraldo Azevedo propõe união da oposição para as eleições 2020 em Brumado

Brumado: Centrais sindicais fazem manifestações contra a reforma da Previdência em frente à Câmara de Vereadores

Justiça manda soltar ex-presidente Michel Temer

Brumado: Após acidente empresa Lig Lixo realiza limpeza de lama na rodovia BA-148

Projeto que prevê a implantação de monumento candomblecista gera polêmica em Brumado

Brumado: Enfermeira explica importância da atualização do cartão de vacina de estudantes

Clínica Master: Especialista em Ombro e Cotovelo

Desportistas cobram da prefeitura transmissão do Campeonato Brumadense pelas rádios de Brumado

Policiais da 34ª CIPM prende homem que trazia drogas de São Paulo para ser comercializada em Guajeru

RotSat: Rastreamento veicular com qualidade, eficiência e segurança

BA-148: Construtora interdita parte da rodovia que liga Brumado a Livramento de Nossa Senhora

Polícia prende homem acusado de estuprar jovem de 16 anos em Livramento de Nossa Senhora

Faculdade Pitágoras de Brumado está ofertando bolsas de 60% para todo o curso; consulte condições

Caetité: Polícia prende acusado de matar caetiteense de 22 anos; motocicleta e arma do crime foram vendidas em Brumado

Ituaçu: Homem é executado com vários tiros no centro da cidade

Jovem que teve motocicleta apreendida em Brumado é encontrado morto em Caetité

Brumado: Motociclista derrapa em lama e fica ferido na BA-148 próximo ao antigo 'Tocos'

Preço da gasolina sobe mais uma vez e acumula alta de 3,5% em um mês; em Brumado o litro chega a R$ 4,99

Brumado: Trilha da Amizade acontece no dia 31 de março


Saneamento básico: Apenas 4 cidades do Brasil atingem nota máxima no ranking nacional

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Com 5.570 municípios no país, penas 4 cidades do Brasil alcançaram a universalização do acesso aos serviços de abastecimento de água, coleta de esgoto, tratamento de esgoto e coleta de resíduos sólidos. É o que aponta ranking divulgado pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES). Segundo o Ranking 2018, de 1.894 cidades avaliadas, 1.613 ou 85% do total ainda estão longe de oferecer saneameto básico para toda a população. Somente 80 cidades, cerca de 15%, atingiram a pontuação para serem classificados na categoria mais alta – Rumo à universalização –, e as únicas que receberam nota máxima (500 pontos), por terem alcançado 100% da população em todos os serviços de saneamento básico foram São Caetano do Sul, Piracicaba, Santa Fé do Sul e Uchoa, todas no estado de São Paulo. Entre as capitais, a melhor avaliada foi Curitiba, a única que atingiu pontuação suficiente para ser classificada na categoria "rumo à universalização" (acima de 489 pontos). A pior avaliada foi Porto Velho, a única enquadrada no patamar mais baixo do ranking: "primeiros passos para a universalização". Em tratamento de esgoto, Curitiba, Salvador, Maceió e Brasília alcançaram a universalização. Mas a Bahia ainda está muito longe de atingir o patamr de 100%. Em 2017, o mesmo levantamento da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES), com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) apontou que na Bahia, para que todos os habitantes do estado tenham suas casas conectadas a redes de tratamento de esgoto seria necessário um investimento de R$ 18 bilhões até 2025. Apesar da alta soma, os benefícios ocasionados pela oferta maior de saneamento gerariam uma economia para o estado bem maior, de R$ 20 bilhões.  

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

“A Bahia ainda enfrenta um grave déficit dos serviços e uma persistente incapacidade dos entes públicos no nível estadual e municipal para o enfrentamento deste quadro”, observa Patrícia Borja, professora doutora do Departamento de Engenharia Ambiental da Universidade Federal da Bahia (Ufba). Segundo a especialista, os baixos níveis de participação e controle social e, principalmente, segundo ela, as ameaças da privatização põem em risco a universalização dos serviços no estado. O assunto é controverso e outros especialistas defendem que como os recursos estatais são pequenos, o acesso aos serviços de água e esgoto só será ampliado caso haja maior parceria entre o estado brasileiro e a iniciativa privada. Dos 417 municípios baianos, a Embasa atua em 366 com abastecimento de água e em 122 com o serviço de coleta e tratamento de esgoto. A falta de um marco regulatório para os investimentos e prestação dos serviços de saneamento básico, gerou um atraso no desenvolvimento de ações estruturantes que visassem a ampliação do acesso a esses serviços. Voltando ao assunto ranking nacional de 2018, a pesquisa chama a atenção sobre a falta de destinação adequada dos resíduos sólidos na maioria dos municípios enquadrados na categoria "Primeiros passos para a universalização". Segundo a ABES, a análise dos dados de sanemaneto e e de saúde mostram ainda que quanto maior o acesso aos serviços de água e esgoto, menor a incidência de internações por doenças relacionadas ao saneamento ambiental inadequado.

Foto: Luciano Santos l 97NEWS


Comentários

  • luzia

    "incrivel.se nao tiver esgoto aberto nao e bairro de pobre,o caracteristicazinha marcante e vergonhosa."

Deixe seu comentário