ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Orthodontic Center abre vaga para promotor de vendas em Brumado

Brumado: Ator dos filmes, 'Tropa de Elite 2' e 'Sertânia' apresentará monólogo premiado nesta terça (26) na cidade

VLI e Prefeitura de Brumado se reúnem para alinhamento de ações

Estudantes da rede estadual de Aracatu apresentam projeto sobre meio ambiente em Salvador

Últimos preparativos para o São Pedro dos Olhos D'Água

‘Aqui tem muito assalto e imagina agora sem luz’, relatam moradores da Rua Vereador Paulo Chaves

Mecânico brumadense cai em golpe aplicado por estelionatário; prejuízo foi de R$ 45mil

Solidariedade: Promoter se sensibiliza e realiza sonho de menino de ter uma bicicleta

Reumatologia é no Centro Médico São Gabriel com Dr. José Alberto Simões

Barbaridade: Homem é encontrado morto com pés e as mãos decepados em Guanambi; ex-mulher é suspeita de participação no crime

Programa de TV faz leitura labial em Neymar e revela show de xingamentos

Brumado: Caso suspeito de H1N1; paciente está internado na UTI do HMPMN em estado grave

Fonoaudiologia na Clínica Master com Drª Marcela Cássia

Copa da Rússia: Decisão do líder do Grupo A e definição do Grupo B

Rui Costa reúne ‘conselho político’ para apresentar chapa; anuncio não passa dessa semana, apostam aliados

Ministro do STF homologa duas delações fechadas pela PF; casos estão em sigilo

97NEWS deseja a todos um Feliz São João

Irresistível: As delícias do São João com uma qualidade inigualável você só encontra na Padaria Divina

A síndrome metabólica e o sedentarismo

'Fui traída por todos eles', afirmou Deborah Secco sobre polêmica envolvendo ex-namorados


STJ nega recurso para que Lula seja solto e possa disputar eleição

(Foto: Reprodução)

O ministro Félix Fischer, relator dos casos da Operação Lava Jato no Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou o pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para conceder efeito suspensivo ao recurso que o petista apresentou ao STJ. Se tivesse aceito as argumentações de Lula, Fischer suspenderia todos os efeitos da pena, o que incluiria libertar o ex-presidente da prisão e torná-lo elegível para as eleições de 2018. Na avaliação do ministro, como o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) ainda não decidiu se vai ou não remeter o recurso especial do ex-presidente ao STJ, seria “uma verdadeira antecipação do julgamento” autorizar o efeito suspensivo nessa altura do processo. Na petição ao ministro, a defesa alegou que a pressa se justificava pelo fato de Lula ser pré-candidato à Presidência da República pelo PT e precisar da suspensão da pena para participar do processo eleitoral. De acordo com seus advogados, o ex-presidente “corre sérios riscos” de ter “seus direitos políticos cerceados” se ficar de fora da eleição. O chamado “efeito suspensivo” é um mecanismo possível em recursos apresentados ao STJ e ao Supremo Tribunal Federal (STF) por meio dos quais os ministros podem identificar, de antemão, a existência de contestações grandes na condenação, que justifiquem o não cumprimento de nenhuma pena até uma decisão definitiva. Em um mal sinal para novos pleitos do ex-presidente nesse sentido, o ministro Félix Fischer já adiantou considerar que esse tipo de decisão é a exceção, não a regra. A defesa do ex-presidente Lula ainda pode tentar outros caminhos para a aprovação desse pedido. Primeiro recorrendo desta decisão de Fischer à Quinta Turma do tribunal e, posteriormente, reiniciar todo o processo se – e quando – o TRF4 admitir que seu caso é passível de ser analisado pelos ministros do STJ.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário