ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Homem de 64 anos morre ao se lançar em um foguete caseiro nos Estados Unidos

Bebê de um ano é internado com suspeita de coronavírus no sul da Bahia, diz Sesab

Ator da Globo abaixa cueca e dança para foliões em Carnaval

Homem vindo da Itália para o Brasil testa positivo para coronavírus

Brumado: Motociclista fica ferido em acidente na BR-030, próximo a fábrica de cimento

Brumado: Caçador foge da PM e abandona espingarda e munições

The Voice Kids: Ituaçuense se despede do programa com muita emoção

Clínica Mais Vida - reumatologista fala sobre diagnóstico e tratamento da fibromialgia

Milhares de prefeituras podem ter seus recursos da saúde bloqueados por falta de dados no SIOPS

Feminicídio cresce na Bahia e segue tendência nacional

Cerveja é a bebida favorita de 92% dos foliões brasileiros

Rio de Contas: Carro de passeio com quatro pessoas cai em ribanceira na BA-148

Consultório Júlio Santos: Glaucoma tem tratamento?

Mega-Sena: Prêmio acumula pela 16ª vez e vai para R$ 200 milhões

PodoClin: Dicas para pular o carnaval com unhas e pés bem cuidados

Governo monitora navios na costa brasileira para evitar entrada de coronavírus

RotSat: Rastreamento de veículos ou de sua frota!


Bahia: Produtores de frutas estimam altos prejuízos por causa da greve

Foto: Divulgação

O Vale do São Francisco, região conhecida por ser a maior exportadora de frutas do país, já contabiliza um prejuízo de R$ 570 milhões ao final do décimo dia da greve dos caminhoneiros. A conta foi apresentada na segunda-feira (28), pelo presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Petrolina (SPR), Jailson Lira depois de uma reunião com os produtores. Segundo ele, a paralisação vem atingindo fortemente o setor, que deixou de comercializar nessa semana 40 mil toneladas de uva e 60 mil toneladas de manga, além de mais de 200 mil toneladas de outras frutas, como banana, acerola, mamão e coco, mercadorias que eram voltadas tanto para o mercado interno quanto para o externo. “Com todo esse tempo de paralisação, nossas câmaras frias já estão com a ocupação esgotada, não oferecendo mais espaço para o armazenamento das frutas colhidas recentemente. O resultado são pomares e mais pomares com frutas apodrecendo no campo”, lamentou o presidente. Jailson advertiu também que 80% da safra que deve ser colhida nesta semana poderá ficar comprometida por falta de mercado. “Além de termos cancelados todos os novos pedidos do mercado interno, outro agravante é a falta de combustível para os tratores e pulverizadores, o que pode ocasionar a perda das safras de exportação de setembro e outubro”, acrescentou. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário