ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

São Paulo cria comitê de coronavírus e deve preparar leitos de hospital

Homem de 64 anos morre ao se lançar em um foguete caseiro nos Estados Unidos

Bebê de um ano é internado com suspeita de coronavírus no sul da Bahia, diz Sesab

Ator da Globo abaixa cueca e dança para foliões em Carnaval

Homem vindo da Itália para o Brasil testa positivo para coronavírus

Brumado: Motociclista fica ferido em acidente na BR-030, próximo a fábrica de cimento

Brumado: Caçador foge da PM e abandona espingarda e munições

The Voice Kids: Ituaçuense se despede do programa com muita emoção

Clínica Mais Vida - reumatologista fala sobre diagnóstico e tratamento da fibromialgia

Milhares de prefeituras podem ter seus recursos da saúde bloqueados por falta de dados no SIOPS

Feminicídio cresce na Bahia e segue tendência nacional

Cerveja é a bebida favorita de 92% dos foliões brasileiros

Rio de Contas: Carro de passeio com quatro pessoas cai em ribanceira na BA-148

Consultório Júlio Santos: Glaucoma tem tratamento?

Mega-Sena: Prêmio acumula pela 16ª vez e vai para R$ 200 milhões

PodoClin: Dicas para pular o carnaval com unhas e pés bem cuidados

Governo monitora navios na costa brasileira para evitar entrada de coronavírus

RotSat: Rastreamento de veículos ou de sua frota!


Supermercados de Brumado têm queda de 30% no faturamento com greve de caminhoneiros, dizem empresários do setor

Foto: Conteúdo l 97News

Os supermercados de Brumado estão tendo uma queda de 30% no faturamento por conta da greve dos caminhoneiros, que terminou no 10º dia nesta quarta-feira (30). A estimativa é de alguns empresários entrevistados pelo 97NEWS. Com prateleiras quase vazias, os estabelecimentos vendem menos. "Nesse momento, é irreparável porque vai demorar a oferta desses produtos para o abastecimento. Em virtude dessa escassez, o preço do produto chega a gôndola do supermercado por um preço muito maior do que nós gostaríamos", destacou Cidemar, dono de supermercado. Ele acredita que a população ainda deve enfrentar escassez de produtos nas prateleiras pelas próximas semanas. "Eu imagino que, no mínimo, nos próximos 15 dias a gente ainda vai ter um sofrimento com escassez", destaca. Para os consumidores que se veem diante da falta de produtos, o jeito é apelar para a criatividade. "Se não tem a batata, então a gente faz uma salada, cozinha um aipim, faz outra coisa. Não podemos é nos desesperar", diz a dona de casa Lena Guedes.

Foto: Conteúdo l 97NEWS

A indústria de carnes já estima uma perda de 1,3 bilhão de reais em decorrência da greve. Segundo o setor, cerca de 64 milhões de aves já foram mortas, um volume um pouco abaixo do considerado pela indústria, de mais de 70 milhões. O Brasil tinha por volta de 1 bilhão de aves antes da greve. Alguns produtores perderam seu capital de trabalho e precisarão de assistência financeira. Esse reflexo será transmitido para o consumidor final, que terá menos ofertas dos produtos, e reajuste no preço.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário