ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: Criança é internada na UTI em estado grave após ser atropelada por ônibus escolar na zona rural

Livramento: Homem sofre tentativa de homicídio no bairro Benito Gama

Pediatria é no Centro Médico São Gabriel com Dr. Thomás Caires

Lama de obra invade casas e moradores perdem tudo em Brumado

Clínica Master: Atendimento em Psiquiatria

Brumado: 'Gatuno' é preso pela PM logo após roubar moto no bairro São Jorge

Unip: A Educação transforma sonhos em realidades!

Apagão de 40 minutos atinge Brumado e municípios da região

Brumado: Choveu forte na madrugada desta segunda-feira (18) na 'Capital do Minério'

Bahia bate o Vitória da Conquista e assume a liderança do Campeonato Baiano

Agência Nacional de Mineração recomenda extinção de barragens a montante até 2021

Brasil vai precisar de 10 mi de profissionais em saúde e educação até 2040, diz BID

Brumado: Estudantes participam de tarde de autógrafos com prefeito Eduardo Vasconcelos

Artista plástico 'Dil Rocha' recebe Prêmio Giuliano Ottaviani; o brumadense ficou em 1º lugar com o quadro 'Pedalando na Trilha'

Após um mês e meio baiano é o último vencedor da Mega da Virada a retirar o dinheiro

Previsão indica vento forte e chuva na tarde desta sexta-feira em Brumado

Brumado: Câmara de Dirigentes Lojistas pede flexibilização na implantação da 'Zona Azul'

Brumado: Cratera se abre em antiga galeria de água próximo a 'passagem em nível' na rua que liga os bairros São Felix ao Centro


‘Estamos sendo tratados como mendigos’, afirma agente de endemias de Brumado

A situação das mochilas apresentadas pelos agentes mostraria o descaso com a categoria (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)

Brumado vem tendo índices normais quanto à tríplice endemia e, talvez, por causa disso os agentes de endemias estão esquecidos, o que acaba sendo perigoso, pois a luta, especialmente contra a Dengue, tem que ser contínua e ostensiva. Dentro deste cenário ainda suportável, o agente de endemias Vanderlei Miranda (35) entrou em contato com a equipe do 97NEWS para relatar a situação que ele classificou como “muito preocupante”. Num tom de indignação ele falou que “a situação é vergonhosa, pois os agentes de endemias estão sendo tratados como mendigos, já que não temos farda, não temos bolsas e mochilas, cadernos e nem protetor solar, então, nossa situação, que já dura 5 anos chegou ao limite do suportável”. Elevando o clima ele explicou que “os agentes de endemias vivem uma pressão psicológica muito grande, tanto que existem alguns que já estão adquirindo doenças. Chegamos ao fundo do poço e precisamos de ajuda, já que solicitamos ajuda da Secretária de Saúde que tem tido um tratamento de desdém e arrogância com a nossa categoria. Já somos poucos, o quadro está defasado e ainda nos cobram dessa forma”. E continuou o seu desabafo ao relatar que “5 anos, não são 5 dias, não é possível um tratamento como esse, já que atuamos na área de prevenção, que, infelizmente, está sendo totalmente esquecida. Estamos pagando para trabalhar, pois temos que dar nossa roupa, nossos calçados e até comprar material que não nos é dado. Espero que o Ministério Público venha a se manifestar, pois o nosso trabalho está sendo prejudicado e, caso aconteça um novo surto da tríplice endemia, os resultados podem ser muito graves, então, para que esperar, é só agir agora. Outra situação preocupante é que as coletas estão caindo das mochilas e com isso os índices podem não estar condizentes com a realidade”.  Buscando esclarecimentos sobre a situação, falamos com o secretário municipal de Saúde, Claudio Feres, que garantiu que “as providências estão sendo tomadas e já solicitamos o material, os calçados e o fardamento, só que o processo, por ser verbas federais é bem mais complexo e demorado”. Questionado sobre os riscos de uma nova epidemia, ele respondeu que “os nossos índices estão dentro da normalidade, então, nesse momento não há riscos, mas vale ressaltar que a luta é de toda a população. Por exemplo nesses dias que o tempo está úmido, reservatórios e possíveis criadouros podem ser feitos nas residências, então que todos evitem o acúmulo de água parada para que continuemos sem riscos”.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário