ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: Criança é internada na UTI em estado grave após ser atropelada por ônibus escolar na zona rural

Livramento: Homem sofre tentativa de homicídio no bairro Benito Gama

Pediatria é no Centro Médico São Gabriel com Dr. Thomás Caires

Lama de obra invade casas e moradores perdem tudo em Brumado

Clínica Master: Atendimento em Psiquiatria

Brumado: 'Gatuno' é preso pela PM logo após roubar moto no bairro São Jorge

Unip: A Educação transforma sonhos em realidades!

Apagão de 40 minutos atinge Brumado e municípios da região

Brumado: Choveu forte na madrugada desta segunda-feira (18) na 'Capital do Minério'

Bahia bate o Vitória da Conquista e assume a liderança do Campeonato Baiano

Agência Nacional de Mineração recomenda extinção de barragens a montante até 2021

Brasil vai precisar de 10 mi de profissionais em saúde e educação até 2040, diz BID

Brumado: Estudantes participam de tarde de autógrafos com prefeito Eduardo Vasconcelos

Artista plástico 'Dil Rocha' recebe Prêmio Giuliano Ottaviani; o brumadense ficou em 1º lugar com o quadro 'Pedalando na Trilha'

Após um mês e meio baiano é o último vencedor da Mega da Virada a retirar o dinheiro

Previsão indica vento forte e chuva na tarde desta sexta-feira em Brumado

Brumado: Câmara de Dirigentes Lojistas pede flexibilização na implantação da 'Zona Azul'

Brumado: Cratera se abre em antiga galeria de água próximo a 'passagem em nível' na rua que liga os bairros São Felix ao Centro


Novo ministro da Educação é réu em processo na Justiça de São Paulo

O secretário executivo do Ministério da Educação e futuro ministro da pasta, José Henrique Paim Fernandes, é réu em ação civil pública que tramita desde 2006 na Justiça Federal em São Paulo, acusado de improbidade administrativa. 

Ele foi denunciado pelo Ministério Público Federal por supostas irregularidades em convênio firmado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) do qual era presidente.

O convênio, no valor de R$ 491 mil, foi assinado em 2005 com a ONG Central Nacional Democrática Sindical (CNDS).

Destinava-se a alfabetizar jovens e adultos. Auditores do Tribunal de Contas da União detectaram irregularidades como ausência de documentos na prestação de contas e falta de provas de pagamentos efetuados.

 

Um contrato anterior, no valor de R$ 532,2 mil, havia sido firmado em 2004, mas a ONG não prestou contas dele no prazo legal. Além disso, professores que trabalhavam para a CNDS denunciaram que não estavam sendo pagos pelas aulas que davam.

O fato levou o Ministério Público a recomendar ao Fundo que não assinasse novos contratos com a ONG.

A recomendação, no entanto, não foi seguida e o Fundo assinou outro contrato com a CNDS no ano seguinte. Pouco tempo depois, a ONG fechou as portas e seus dirigentes desapareceram, retardando o trabalho da Justiça, que tenta notificá-los para prestarem depoimento. Por isso, Paim segue como réu em um processo que corre há quase oito anos.

Conhecido como “o homem que controla a máquina” no ministério, Paim é gaúcho de Porto Alegre e estava filiado ao PSDB até o início dos anos 90. Ele presidiu o FNDE de 26 de janeiro de 2004 a 29 de março de 2006.

Involuntário

Em 2009, o Tribunal de Contas da União acolheu as alegações de Paim de que ele foi “induzido a erro” quando assinou o convênio.

A defesa do futuro ministro da Educação destaca que no convênio “constavam, de forma explícita, declarações de regularidade emanadas dos diversos setores envolvidos no trâmite”.

Segundo o MEC, a defesa de José Henrique Paim “fundou-se nas mesmas razões apresentadas ao TCU e que foram integralmente acatadas pelo tribunal”.

Assim, o ministério aguarda no momento “a prolação de sentença” que eximirá o ex-presidente do FNDE de “qualquer responsabilidade”.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário