ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Governo volta atrás e decide que horário de verão deve começar no dia 4 de novembro

Técnicos da CAR são capacitados para atuar em programa que reforça a convivência com semiárido

Conquista: Avião faz pouso antes de destino final e causa susto em passageiros

Quarta edição da Campanha Azul Marinho poderá ter recorde de doações de brinquedos

Correntistas que nasceram em outubro começam a receber o abono salarial

Sesab promove neste terça-feira (16) em Brumado o Primeiro Encontro Regional de Saúde Bucal

Barcelona retira status de embaixador de Ronaldinho após apoio a Bolsonaro

Alerta: Em inspeção da ADAB, animal vindo de Dom Basílio para o Mafrirb tem laudo comprovado de tuberculose bovina

Jornalistas e radialistas em luto: Morre aos 78 anos Gil Gomes

Endocrinologia Pediátrica é no Centro Médico São Gabriel com Drª Aruze Tanajura

Tido como o ‘castelo forte’ da oposição, Zé Ribeiro volta a subir o tom do seu discurso ao desafiar a bancada de situação

Everton ‘Avatar’ conquista o 2º lugar no Conquista Race

Brumado: 'Campanha do Quilo', doe 1 kg de alimento e ganhe um delicioso acarajé

Principal acusado da morte de ‘Camarão’, ‘César de Lin’ já estaria em Conquista e pode ir a júri popular

Ação social comemora Dia das Crianças com festa e presentes no bairro Baraúnas

PRF registra redução de acidente no último feriado, em rodovias baianas

Fogo Amigo: Em evento pró-Haddad, irmão de Ciro diz que PT vai perder eleição

‘Regulamentação dos serviços de mototáxi em Brumado é inevitável, quem não se adequar não poderá trabalhar’, alerta coordenação do SMTT

Caso Kauan: Inquérito do Ministério Público fará com que novas diligências e oitivas sejam realizadas

RotSat: Contrate o rastreamento de seu veículo ou de sua frota onde você tem confiança e qualidade


Riachão das Neves: Grupo que abriu túmulo de Rosângela responderá por 'violação funerária'

(Fotos: Reprodução)

As pessoas que abriram o túmulo de uma mulher mais de 10 dias após o sepultamento, por acreditarem que ela tinha sido enterrada viva, devem responder por violação de urna funerária, crime que está previsto no artigo 210 do Código Penal, com pena de reclusão de um a três anos. O caso ocorreu no município de Riachão das Neves, no oeste do estado. A informação foi passada na manhã desta quinta-feira (15) pelo delegado Antistenes Benvindo, que atua como plantonista regional da delegacia de Barreiras, também no oeste do estado, e que fez o registro do caso. Ele diz que as investigações preliminares apontam que a situação relatada pelos familiares não se sustenta em nenhum indício plausível. O delegado da cidade de Riachão das Neves, Arnaldo Alves, que assumiu a apuração do caso após registro inicial da delegacia de Barreiras, também contou à reportagem que as informações que levaram familiares a violarem o túmulo não passaram de “boatos”. Rosângela Almeida dos Santos, de 37 anos, estava internada no Hospital do Oeste, em Barreiras, com um quadro de infecção respiratória. No dia 28 de janeiro, ela teve o falecimento atestado pela unidade médica após um quadro de choque séptico, quando a infecção se alastra pelo corpo afetando vários órgãos. No dia seguinte, ela foi sepultada em Riachão das Neves. Onze dias depois do enterro, por acreditar que a mulher tinha sido enterrada viva, um grupo abriu o caixão que tinha sido depositado em uma urna funerária. 

Segundo o delegado Antistenes Benvindo, a mãe da vítima estaria sonhando há dias que a filha estava viva. Após a informação de uma moradora, de que teria ouvido gritos de dentro da sepultura, familiares decidiram violar o caixão. Em entrevista à TV Oeste, afiliada da Rede Bahia, a mãe de Rosângela Almeida disse que o corpo dela foi encontrado revirado no túmulo, com ferimentos nas mãos e testa, como se tivesse tentado sair do caixão. “Até aqueles preguinhos que estavam em cima estavam soltos. A mãozinha tava ferida, como quem estava arrumando, assim, arrumando o caixão para sair”, disse Germana de Almeida. Benvindo, entretanto, disse que as informações não se confirmam. “Ela [a vítma] estava do mesmo jeito, intacta. O irmão dela mesmo disse”. O delegado também contou que as informações sobre ferimentos nas mãos e na testa não são verídicas. Sobre o relato de que o corpo da vítima estava conservado, a polícia disse que informações médicas relatam que o uso de antibióticos durante o internamento e o tempo chuvoso favoreceram uma decomposição mais lenta. O delegado também conta que a mulher foi sepultada mais de 20 horas após o óbito e que, durante todo o processo, que envolveu preparação do corpo para enterro e velório não houve um sinal de vida. Uma perícia foi feita no túmulo, onde o corpo foi recolocado, e um laudo deve esclarecer a situação. O prazo para divulgação do documento não foi divulgado. Segundo o delegado de Riachão das Neves, que assumiu as investigações, todos os envolvidos no caso devem ser ouvidos a partir desta quinta-feira.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário