ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Itagibá: Ciganos são detidos com armas, carros, joias e mais de R$ 18 mil

Com acúmulo de reclamações Coelba lança novo aumento no domingo (22)

Vitória derrota Internacional nos pênaltis e se classifica para as oitavas da Copa do Brasil

Decisão unânime de Turma do TRF1 confirma bloqueio de 20 mi do Fundef recebidos por Paratinga (BA)

Brumado: Passagem de nível será a primeira do país com as novas normas da ANTT

Fann Estourado chama a atenção de produtor musical com reconhecimento nacional e irá gravar seu novo sucesso com ele

Brumado: Motociclista tenta desviar de cão, cai da moto e sofre ferimentos na Virgílio Costa Ataíde

Adolescente e criança quase são atropelados por uma caminhonete na BA-148, próximo à Lagoa do Arroz

Internet Wi-Fi vs Li-Fi: conheça diferenças e semelhanças entre conexões

Brumado: Começam as obras da Creche do Bairro São José

Segurança: Produtividade da 34ª CIPM cresceu em 2018, revela o SISPROPOL

Animal na pista quase provoca acidente na BA-148, na altura do antigo Parque dos Avestruzes

Afastado do cargo de Superintendente de Trânsito, Jansen Ricardo fala sobre os três meses que ele esteve à frente da SMTT

Adolescente morre após comer macarrão instantâneo e chocolate

Dia do Índio: indígenas reforçam luta contra preconceito e esteriótipos

Riacho de Santana: Assentamento Contendas quer regularização de lotes, água, luz e apoio técnico

'Gemidão do WhatsApp' leva Justiça a determinar que homem peça desculpas a prefeita piauense

CCJ aprova prisão para quem reproduz imagem aviltante de cadáver em meio de comunicação

Lei Seca fica mais rigorosa a partir desta quinta

Psicologia no Centro Médico São Gabriel com Roberta Assis


Dinheiro vivo era escondido no closet da mãe de Geddel, diz ex-assessor

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O closet da mãe do ex-ministro Geddel Vieira Lima era utilizado como esconderijo para malas e caixas de dinheiro. Pelo menos foi o que afirmou o ex-assessor de Lúcio Vieira Lima, Job Ribeiro Brandão, em depoimento à Polícia Federal (PF) e à Procuradoria Geral da República (PGR). De acordo com Job, a família Vieira Lima “possuía muito dinheiro guardado no apartamento de Marluce Vieira Lima”, em Salvador. As notas foram guardadas lá até o início de 2016, mas com a morte do pai de Geddel e Lúcio, o dinheiro foi retirado do imóvel. “O ex-assessor disse que não tinha conhecimento do local até a busca e apreensão feita em setembro deste ano na Operação Tesouro Perdido”, em que a PF encontrou R$ 51 milhões em um apartamento no bairro da Graça, na capital da Bahia. Segundo a coluna do Estadão, o ex-assessor ainda afirmou que ele era o responsável por contar as notas quando chegavam ao apartamento da mãe de Geddel. Durante outro depoimento, Job já havia confessado que um escritório da casa da mãe do ex-ministro era utilizada para repasse de dinheiro vivo. Por lá, saiam cerca de R$ 50 mil e R$ 100 mil com frequência.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário