ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Ituaçu: Fábrica de cimento é incendiada após suposta `provocação´ de filho de empresário

Adab vai implantar primeira biofábrica de controle biológico na Bahia

Moradores da Comunidade de Pau de Colher clamam pela recuperação de estrada vicinal

Correios vão permitir rastreio de encomendas em tempo real

Brumado: Previsão aponta baixa umidade do ar nesta quinta-feira (22)

Brumado: Atendendo à mais uma grande necessidade, tomógrafo é instalado no HMPMN

Meteoro: Após clarão, objeto não identificado é encontrado por moradores na Bahia

‘Não me julgue’ rebate Carla Perez ao ser criticada por desfilar no Carnaval mesmo sendo evangélica

'Estou candidato', diz Lula ao lançar pré-candidatura em BH

Apagão interrompe partida entre Vitória e Jacuipense pelo Campeonato Baiano

Prefeito declara que Av. Lindolfo Brito receberá nova infraestrutura

Brumado: Banda brumadense `The Luxo´ grava clipe e viraliza na Web

Zé Raimundo quer agilizar entrega de títulos de imóveis nas Urbis conquistenses

STJ aceita denúncia, Mário Negromonte vira réu e é afastado do TCM

Campo do São Félix irá ser otimizado pela Prefeitura Municipal visando ser uma alternativa para o ‘Gilbertão’

RotSat: contrate o rastreamento de seu veículo ou de sua frota onde você tem confiança e qualidade

Salvador: Clarão é visto no céu; astrônomos falam em meteoro

Central das Carnes irá inaugurar sua nova loja na cidade de Livramento de Nossa Senhora

Brumado: MEC aprova implantação de curso de medicina no município

Time do Feirense em luto: Esposa de Gerson treinador do clube tem morte súbita em Brumado


Comissão torna ato de improbidade o parcelamento ou adiamento de salários de agente público

(Foto: Reprodução)

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou proposta que torna ato de improbidade administrativa postergar ou parcelar intencionalmente a remuneração de agentes públicos. A prática sujeita o gestor à perda da função pública, ressarcimento do dano, suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos e pagamento de multa. O texto aprovado é o substitutivo da deputada Érika Kokay (PT-DF) ao Projeto de Lei 3883/15, do deputado Vicentinho (PT-SP). A deputada ampliou a abrangência da norma, inicialmente voltada apenas aos chefes do Executivo. Na nova redação, qualquer autoridade que adiar ou parcelar o pagamento intencionalmente poderá ser responsabilizada. A regra também vale para o adiamento de contraprestação financeira devida pelo governo a agentes públicos desde que haja dolo, ou seja, intenção. Erika Kokay afirmou que adiamentos e parcelamentos de salários de servidores e pensionistas têm se tornado uma realidade em diversos estados, o que deve ser proibido por lei, como determina a Constituição. “Essa prática traz grave prejuízo aos trabalhadores, pensionistas e suas respectivas famílias e impacto em toda a sociedade, pelo efeito danoso em cadeia que tais atrasos acarretam”, disse. Estados como o Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Distrito Federal já parcelaram salários diante da crise fiscal dos últimos anos. A relatora também retirou do projeto original a determinação que a prática fosse tornada crime sujeito a reclusão, por considerar que basta incluí-la entre os atos de improbidade. “Para atingir a finalidade proposta, basta inserir tal conduta irregular no rol das que atentam contra os princípios da administração pública, que já prevê sanções apropriadas. Não há necessidade de um novo dispositivo de reforço, como previa o projeto original”, argumentou. A proposta, que precisa ser votada no Plenário, ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário