ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Convite: Câmara Municipal de Brumado

Brumado: Babilônia na sinalização de trânsito promovida pelo DNIT vira motivo de piada nas redes sociais

Aracatu: Após um mês da 'Operação Chronos', prefeito continua afastado do cargo; investigações continuam e prisão ainda não foi descartada

'Sem Fôlego': Doze são presos e 68 botijões apreendidos em ação de combate à venda ilegal de gás

Lúcio se diz tranquilo sobre operação da PF: 'não encontrarão nada de errado'

Mega-Sena pode pagar R$ 4 milhões hoje (19)

Brumado: No combate à criminalidade, 34ª CIPM lança o 'Zap Denúncia'

Nas redes sociais, músicos e amigos de `Kley Santos´ prestam homenagens ao brumadense

UFBA abre curso de graduação na UAB de Brumado

Jovem conquistense desaparece após pegar um táxi; família pede ajuda

Brumado: Em novas dependências, SMTT vai em busca de superar severa crise interna; rumores apontam até para a extinção do órgão

Ex-prefeito de Piripá (BA) é condenado novamente por desvio de R$ 186 mil da Educação

Modernidade: Autorizado o pagamento de multas em débito e crédito

Brumado: Identificado o jovem que acabou morrendo em trágico acidente industrial na manhã desta quarta-feira (18)

Tragédia em Brumado: Jovem operário morre após máquina cair em cima de sua cabeça

Medicina do Trabalho na Clínica Master com Dr. Joaquim Donato Júnior

Devassa Puro Malte será a cerveja oficial da Arena Safadão

Bahia: Eternit pode ser condenada a indenizar sociedade em R$ 225 mi por uso de amianto

Filhote de veado é resgatado por médico às margens da BA-148 em Livramento

Dermatologista Dr. Bruno Prado atende no Centro Médico São Gabriel


Comissão torna ato de improbidade o parcelamento ou adiamento de salários de agente público

(Foto: Reprodução)

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou proposta que torna ato de improbidade administrativa postergar ou parcelar intencionalmente a remuneração de agentes públicos. A prática sujeita o gestor à perda da função pública, ressarcimento do dano, suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos e pagamento de multa. O texto aprovado é o substitutivo da deputada Érika Kokay (PT-DF) ao Projeto de Lei 3883/15, do deputado Vicentinho (PT-SP). A deputada ampliou a abrangência da norma, inicialmente voltada apenas aos chefes do Executivo. Na nova redação, qualquer autoridade que adiar ou parcelar o pagamento intencionalmente poderá ser responsabilizada. A regra também vale para o adiamento de contraprestação financeira devida pelo governo a agentes públicos desde que haja dolo, ou seja, intenção. Erika Kokay afirmou que adiamentos e parcelamentos de salários de servidores e pensionistas têm se tornado uma realidade em diversos estados, o que deve ser proibido por lei, como determina a Constituição. “Essa prática traz grave prejuízo aos trabalhadores, pensionistas e suas respectivas famílias e impacto em toda a sociedade, pelo efeito danoso em cadeia que tais atrasos acarretam”, disse. Estados como o Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Distrito Federal já parcelaram salários diante da crise fiscal dos últimos anos. A relatora também retirou do projeto original a determinação que a prática fosse tornada crime sujeito a reclusão, por considerar que basta incluí-la entre os atos de improbidade. “Para atingir a finalidade proposta, basta inserir tal conduta irregular no rol das que atentam contra os princípios da administração pública, que já prevê sanções apropriadas. Não há necessidade de um novo dispositivo de reforço, como previa o projeto original”, argumentou. A proposta, que precisa ser votada no Plenário, ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário