ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado Sunset: Virada de preço vai acontecer hoje à meia-noite; corra e garanta já o seu ingresso

SindComerciários: Horários especiais de funcionamento das lojas

Dermatologia e medicina estética na Clínica Master com Drª. Stephane Spínola

Ações trabalhistas caem quase 70% com indefinições sobre nova legislação

Tragédia em Belo Campo: Identificada mulher que morreu eletrocutada ao tocar em varal

Lula e Ciro fazem acordo para 2018

Caculé: Trágico acidente tira a vida de jovem de apenas 22 anos; amigos e familiares estão abalados

Morre aos 98 anos a atriz Eva Todor

Convenção do PSDB tem confusão e até cadeiras voando

Conquista: Fogo atinge casa no bairro Brasil; ninguém se feriu

E agora? Exército destitui general de cargo por ter criticado Temer

'Acontece de tudo': Jatinho do cantor Leonardo atola em pista do aeroporto de Barreiras

Comitê do Contas toma nova deliberação sobre irrigação do agronegócio em Piatã

De goleada: Bellintani vence as eleições e é o novo presidente do Bahia

SindComerciários: Poções e Região também abraçou a Campanha Salarial 2017/2018

Repórteres, ouçam o que estão falando alto nas mesas dos botecos

Estação Noel abre suas portas no Arquivo Histórico Municipal Memória de Brumado

Polêmica: Filho de Bolsonaro critica professora da Uesb que 'simulou sexo' com camisinha

Rui eleva tom e dispara contra opositores: 'menininhos ricos, mimados e que só vivem no luxo'

Sócios definem neste sábado futuro presidente e Conselho Deliberativo do Bahia


'É uma concorrência desleal e um desrespeito ao sagrado', afirmam comerciantes da área de alimentação ao lado da igreja Matriz

A comercialização dos produtos acontece bem na frente da Igreja Matriz, maior símbolo religioso de Brumado (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)

Donos de padarias e lanchonetes que ficam na área da Praça Francisco de Souza Meira, bem no centro de Brumado, procuraram a redação do 97NEWS para expressar a sua indignação e preocupação com a atuação de ambulantes no local, os quais, segundo eles, provocam uma concorrência muito desleal. Eles afirmam que pagam impostos e têm custos para manter seus estabelecimentos abertos e perdem mercado para empresa de fora, que ocupa a frente da Igreja Matriz, impedindo até a passagem de pedestres no local. Os comerciantes dizem ainda que não há fiscalização para coibir irregularidades. Um empresário do local que pediu reserva de identidade, diz que as perdas foram significativas depois que a uma panificadora da cidade de Condeúba começou a atuar de forma mais presente. Ele diz que antes, eles ficavam no estacionamento em frente ao Banco do Brasil, mas devido os agentes de trânsito reclamarem, eles mudaram para a praça, e ficam em frente a um patrimônio regioso, que é a nossa Igreja Matriz, um desrespeito total a um local consagrado de adoração" reclamou. Ele ainda citou uma passagem na Biblia em que o Senhor Jesus expulsou os vendilhões do templo, como está registrado em Mateus 21:12. O relato sagrado reporta que, Jesus ao chegar ao Templo de Jerusalém encontrou uma grande quantidade de vendedores de bois carneiros e pombos junto com os cambistas que ali comercializavam estas mercadorias e trocavam as moedas estrangeiras pelo shekel (moeda hebreia) permitida para pagar o dízimo. Outro comerciante, dono de uma lanchonete próximo ao local, também procurou a nossa equipe para relatar os prejuízos “as vendas caíram entre 30% e 40% nos dias que eles estão na cidade. Precisa ser corrigido porque nós temos custos, pagamos os tributos e geramos emprego e renda para o município", argumentou. Eles dizem estar temerosos quanto ao futuro, já que, caso continue dessa forma, terão que mandar empregados embora e poderem até fechar os seus estabelecimentos. Segundo informações colhidas junto à administração municipal, a empresa teria uma autorização de vendas, inclusive com inspeção sanitária, mas quanto à localização isso não teria sido analisado, já que a própria direção da igreja não teria se manifestado contrária até agora. O grande questionamento que fica para os comerciantes locais é: será certo comercializar produtos bem ao lado do maior templo religioso da cidade?; e o retorno dos impostos para o município é salutar para a economia local, pois a grande parte do dinheiro recebido vai para outro município?. Então fica aqui o espaço para os nossos leitores se manifestarem em mais essa questão que divide opiniões. 

O volume de vendas é alto, o que vem provocando prejuízos para os comerciantes do ramo de alimentação que ficam próximos ao local (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)


Comentários

  • Joabe

    "E so vender produto de qualidade e com preco bom que o fregues nao vai mudar de ponto ,aqui em brumado tudo e mais caro que todos os lugares,e eles nao vende dentro da igreja nao!!!!"

  • Luís da Mata

    "Infelizmente brumado uma terra de invejosos, porque não fazem produtos boms como os que eles vende na Praça, é facio põe os seus produtos também na Praça e ofereçam produtos boms também."

  • Paloma

    "Provavelmente as pessoas que estão concordando com comércio informal é pq não depede dele diretamente pra viver porem indiretamente com certeza, mas não analisam que isso gera desemprego na cidade. E pergunto como uma pessoa que paga impostos, aluguéis, funcionários registrados, vão conseguir vender um produto pelo mesmo preço que estas pessoas que não possui estas mesmas despesas?? Vamos fazer uma reflexão pessoal afinal a saúde, educação depende dos impostos q pagamos.e não sejamos ingênuos ao ponto de acharmos que isso só é ruim para os donos das padarias!!! Cadê vc senhor prefeito que nas eleições prometeu resolver isso no primeiro dia do mandato?? "

  • VAGNER DE SOUZA

    "O sol nasce pra todos aqui em Brumado tudo é mais caro, eu tive a oportunidade de comprar no pessoal de condeuba, além do preço ótimo tem muita qualidade, não é atoa q lota de gente querendo os produtos"

  • Orlando

    "Será que essa atividade exercida somente em um dia da semana (quinta-feira) vai "quebrar" os nossos comerciantes? O que eles querem é que nós fiquemos submissos aos seus preços abusivos, e quando chega alguém oferecendo produtos de boa qualidade e com preços acessíveis, começa a choradeira. Parem com isso ! Reduzam seus preços e vocês também terão suas vendas incrementadas. "

  • Daniel Orivaldo da Silva

    "Comprar, alimento!"

  • Dávila

    "Concorrência desleal e obrigar o consumidor a comprar produtos de baixa qualidade e preços altos só por ser produzida no município, e em relação a forma e local a prefeitura não informou que estão com as autorizações necessárias, enfrente a Igreja foi apenas um local disponível e não vamos ser hereges e colocar a palavra de Deus para defender apenas os nossos interesses pois os mais beneficiados com isso é o povo que em meio a essa crise estão tendo opções. "

  • Márcio

    "Essa padaria eu conheço todos lá são trabalhadores e carteira assinada, eles paga os impostos sim, e tem um preço muito bom. Se o cara fábrica em Condeúba e trás para Brumado e dá para vender com um preço bom. Por que os comerciantes de Brumado não consegue. Fica a reflexão "

  • Roberto

    "Não se pode afirmar se é de qualidade, pois a fiscalização de Brumado não tem acesso a fabrica deles. Talvez é mais barato porque é feito de forma irregular. Pensem bem, de alguma forma mesmo que indiretamente todos são afetados. Os funcionários são de fora recebem seus salários gastam na cidade de origem, a matéria-prima não é comprada aqui e nenhum imposto fica aqui. Nós como cidadãos de Brumado temos que nos unir para uma cidade melhor, não criticar o trabalho dos nossos comerciantes que vivem tempos difíceis como se eles fossem inimigos. Acorda fiscais da prefeitura, acorda CDL."

Deixe seu comentário