ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

‘A demora do Projeto de Esgotamento Sanitário de Brumado se deu porque se priorizou a segurança hídrica da população’, informou diretor de operações da Embasa

Advogado Jorge Malaquias Filho faz alerta sobre as exigências nas listas de materiais escolares

Guanambi: Embasa continuará a cobrar percentual de 80% em taxa de esgoto

Mini salgados da Padaria Divina: fazendo o seu fim de tarde muito mais gostoso

‘A Embasa está cometendo um ato de desobediência civil’, afirma prefeito de Brumado

Assaltantes amarram motorista de empresa brumadense e roubam pneus de carreta em Oliveira dos Brejinhos

Brumado: Motocicleta roubada em São Paulo é recuperada pela 34ª CIPM

‘Depois que ficou acuada é que a Embasa anuncia o esgotamento’, questiona o presidente do Legislativo de Brumado

Bolsonaro assina decreto que flexibiliza a posse de armas

Anúncio do Esgotamento Sanitário de Brumado por parte da Embasa é recebido com descrédito pela população e por boa parte da classe política

Brumado: Bandidos utilizando fardas de empresas comprovam padrão criminal dos assaltos a supermercados na cidade

Matrículas na Rede Municipal de Ensino se iniciam nesta terça-feira (15)

Brumado Privilege com Gusttavo Lima, La Fúria e Donas Bar é neste domingo (20)

BA-262: Colisão entre veículos na manhã desta terça-feira (15) na entrada do posto Jatobá em Brumado

Jequié: Homens arrancam testículos de cachorro no meio da rua

Homens ofereceram R$ 8 mil a policiais para não serem presos por tráfico de drogas

Idoso de 94 anos se forma em Direito e quer fazer pós-graduação

Homem é preso suspeito de estuprar as próprias netas no sul da Bahia

Caculé: Mulher é presa no Terminal Rodoviário com 5kg de maconha

Brumado: Preço da gasolina cai R$ 0,10 mas consumidor diz que valor poderia ser menor


Será possível?: Propaganda partidária pode acabar após reforma política

(Reprodução)

Qual seria o modelo ideal de Reforma Política? É o que todos estão se perguntando diante de tantos escândalos de corrupção revelados nos últimos tempos. Várias alterações na legislação estão em discussão no Congresso Nacional e a grande dificuldade é chegar a um consenso. Uma das alternativas para preencher o fundo partidário para as eleições do próximo ano é acabar com programa dos partidos.De acordo com o colunista Maurício Lima, da revista Veja, isso não significa que não existirá mais propaganda eleitoral. Mas aquelas propagandas veiculadas fora de ano eleitoral podem acabar sendo excluídas. Cada partido tem direito a 10 minutos de programa por ano e várias inserções nos intervalos de programação. Apesar de ser considerado “gratuito”, o governo paga as emissoras com compensação tributária.“Em médio e longo prazo, o ideal é que a propaganda política seja feita na internet, É a melhor propaganda política que você pode ter. É a mais livre, a mais rápida, a mais limpa. É o que sempre defendi. A internet precisa ser melhor utilizada como veículo de propaganda partidária”, analisa o advogado eleitoral José Amando à Tribuna. “A propaganda em papel é um desastre, já deveria ter acabado há muito tempo.Não tem como o eleitor ir para uma urna sem ter o conhecimento de qual será o candidato dele”, completa. “Não vejo muito sentido também na propaganda eleitoral gratuita em televisão”, acredita. “O problema do marketing político não é o que eles cobram, e sim, o caixa dois. O caixa dois nas eleições sobre foi feito por meio das agências de publicidade. Todo mundo sabe disso, até porque já tivemos denúncias contra Duda Mendonça e João Santana”.Outra proposta implementa a cláusula de barreira e o fim das coligações proporcionais. Por meio dela, seria possível, reduzir de 28 para 12 partidos representados na Câmara. Mas também existem outras propostas. “Tem uma proposta de federalização das coligações, para que os partidos federalizassem nacionalmente as suas relações partidárias independentemente das eleições”, avalia Amando.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário