ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Mantida indenização de R$ 3 mil a homem que se machucou em buraco na via pública

Itapetinga: Coordenadora da Vulcabrás que se auto-envenenou acidentalmente não resiste e morre

Planalto registra 2º assassinato em menos de 24 horas. Vítima foi identificada

Suposto causador da tragédia na BR-116 não tinha idade para dirigir micro-ônibus

Brumado: Polícia Civil prende condenado por tráfico de drogas

Envolvidos em sequestro de ex-prefeito de Valença são transferidos para Salvador

Domingo: Vitória e Bahia fazem primeiro grande teste da temporada

CNJ: Maioria dos integrantes do Conselho Nacional de Justiça recebeu acima do teto

Tragédia: Bebê de 1 ano e 4 meses morre afogado após cair em balde

Sorte: Apostador ganha sozinho prêmio da Mega-Sena no valor de R$104,5 milhões

Brumado: PMB convida população para audiência pública dos relatórios das `Metas Fiscais do 3° Quadrimestre de 2017´

Bahia: Escritório da Embasa contrata empresa de advocacia sem licitação por R$ 343,8 mil

Resposta à comunidade: PM realiza abordagens em busca de criminosos que cometeram assaltos em Livramento

Bahia: Bancários baianos não vão aderir a greve geral na segunda-feira (19)

Absurdo: Idosa recebe soco no rosto porque não tinha dinheiro para pagar dívida de R$ 40

Brumado: Polícia prende homem com drogas no bairro São Felix; o mesmo já tinha mandado de prisão em aberto

Mito ou Verdade? Jovem diz que engravidou com espermatozoide voador e deixa a cidade em pânico

Janaúba: Pai esquece a filha dentro de carro e menina acaba morrendo por asfixia

Lealdade: Cão fica à espera do dono morto por atropelamento na Av. Centenário

Brasil: Intervenção federal é usada pela primeira vez em mais de 30 anos no país


Fina ironia: Maior processador de carne do mundo; Grupo JBS abate Temer e Aécio

Foto: Reprodução l Charge do Borega

O Grupo JBS, considerado um dos maiores produtores e processadores de carne do mundo, cometeu uma fina ironia com o Brasil nos últimos dois dias: abateu, com chances praticamente nulas de sobrevida, os caciques Michel Temer, do PMDB, e Aécio Neves, do PSDB. O impacto das gravações de Joesley Batista foi tão grande que Temer, ainda presidente da República, se viu obrigado a fazer um pronunciamento público de que não renunciaria ao posto. É uma espécie de mentira para si. A divulgação do áudio da conversa entre Joesley e Temer, no Palácio do Jaburu, confirma o que o presidente insiste em negar. Se Temer não deu aval para a mesada para o cala a boca de Eduardo Cunha, foi cúmplice do dono do Grupo JBS nas relações pouco ortodoxas com o poder. O presidente já perdeu ministros e partidos. E reza para não perder a cabeça. Já que o peemedebista ainda acredita sobreviver, não se pode falar o mesmo do senador afastado Aécio Neves. De 2014 para 2017, o tucano deixou de ser quase presidente da República para ser um quase preso. O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, negou o pedido para que Aécio fosse trancafiado. O mesmo não aconteceu com a irmã dele, Andrea Neves. Amanhecerá com o sol quadrado. Um interlocutor do ex-candidato ao Palácio do Planalto, flagrado recebendo recursos não lícitos do Grupo JBS, foi a isca perfeita para atrair Aécio para o abate. Caiu no grampo de Joesley tanto quanto Temer. E sepultou de vez as chances do grão-tucano seguir os passos do avô, Tancredo Neves. Os irmãos Batista agora, além de responsáveis por processar produtos de origem animal, são responsáveis por abater humanos. Ainda que politicamente.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário