ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: Projeto Cidadão do Futuro atende crianças e adolescentes da Vila Presidente Vargas

Crescem as especulações sobre a privatização da Embasa em novo governo de Rui Costa

Brumado: Escola CMEAS conquista 1º lugar no concurso nacional ´Geração Sustentável´

Saúde Pública: Município de Dom Basílio obtém 'ótima' avaliação na atenção básica da saúde bucal

Empresário baiano descobre província de minério nível pré-sal no Sudoeste da Bahia

Universidade do Estado da Bahia prorroga período de inscrição para Vestibular UNEB 2019

Facebook começa a avisar brasileiros que tiveram dados roubados

'Manelão’ agradece os eleitores e garantiu estar com o sentimento do dever cumprido

Mineradores ampliam a mobilização da campanha salarial 2018

Brumado: Secretário de Planejamento garante que projeto Caminho da Escola está dentro das normas

Homem é preso após ameaçar mulher com arma de fogo em Aracatu

Brumado: Centro Educacional Monteiro Lobato promoverá 'Gincana Estudantíl'

Paramirim: Incêndio destrói parte da vegetação na Serra de Maria Roxa; brigadistas trabalharam 24h no combate

Brumado: A inclusão da odontologia no programa saúde da família é uma realidade, mas ainda precisa melhorar; diz categoria

Feira: Câmara de Vereadores vota projeto de empréstimo do Executivo no valor de R$ 130 milhões

Com o tema ‘Ciência para a redução das desigualdades sociais’, IFBA de Brumado realiza Semana da Ciência e Tecnologia

YouTube sai do ar na noite desta terça e internautas reclamam

Denúncias de fraude em urnas serão registradas on-line, diz TSE

Superclássico: Sem inspiração, Brasil marca nos acréscimos e vence Argentina

PF indica participação de Temer em corrupção e pede bloqueio de bens do presidente



BUSCA PELA CATEGORIA "Saúde"

Saúde Pública: Município de Dom Basílio obtém 'ótima' avaliação na atenção básica da saúde bucal

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

A qualidade da Atenção Básica à Saúde é avaliada a partir da presença e extensão dos atributos essenciais e derivados. O estudo avalia esses atributos na estratégia da Saúde da Família. No encontro regional da saúde bucal promovida pela Sesab, na última terça-feira (16), o município de Dom Basílio foi revelado como destaque na atenção básica. Das 74 cidades da região sudoeste, o município foi o único que teve a classificação "ótima" na Saúde Bucal. Para o coordenador da Saúde Bucal de Dom Basílio, César Augusto, isso é fruto de um trabalho que vem sendo feito há alguns anos. "Dom Basílio tem orgulho de dizer hoje que tem profissionais no serviço público por meio de concurso. E todos são compromissados com o Sistema Único de Saúde e as políticas de saúde pública". O odontologista relatou ainda que os resultados positivos se deve a investimentos no setor público. "Quando se há investimentos na área pública, temos uma saúde de qualidade, e hoje Dom Basílio vive esta realidade".



Brumado: A inclusão da odontologia no programa saúde da família é uma realidade, mas ainda precisa melhorar; diz categoria

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

O Programa de Saúde da Família (PSF) constitui uma estratégia de reorganização do sistema de atenção à saúde para a população brasileira. De acordo com as bases do programa, suas ações prioriza a proteção e promoção à saúde dos indivíduos, das famílias e das comunidades de forma integral e continua. Com o tema voltado para a "Saúde Bucal", apesar de está incluso neste momento, a odontologia nem sempre esteve presente desde o início na saúde básica dos municípios. E mesmo assim, nesse momento o governo promete reduzir a demanda nas verbas federais, diminuindo a implementação de recursos no setor. O atendimento estendido ainda depende de profissionais, que já têm déficit, e gera críticas da categoria. A Apoiadora Institucional da Atenção Básica de Saúde de Brumado (antiga Dires), Verônica Batista, em entrevista ao 97NEWS falou sobre a procura da população nos postos de saúde. "Agente sabe que a procura é muito maior, mas muitas vezes a demanda fica reprimida por eles não darem conta de atender esse aumento que existe". Segundo Verônica, a velocidade da migração depende dos recursos humanos existentes e da consequente necessidade de ampliação do quadro. "Esses profissionais trabalham mais com a parte de restauração. E agente precisa alertar a população com relação a necessidade de trabalhar também com a prevenção". A promessa é que os postos tenham maior número de equipes na área da saúde bucal. "Uma boa parte da população ainda está lá esquecida, sem dar o valor para a sua qualificação da saúde bucal. Mas, mesmo assim, os que procuram ainda não tem o acesso garantido com relação aos serviços". Ainda segundo Batista, o encontro regional que aconteceu no auditório do IFBA na terça-feira (16) em Brumado, serve para esclarecer os gestores municipais, a buscarem mais recursos ou abrirem novas vagas para o setor e, aumentar a demanda da saúde bucal. "Esse tipo de encontro regional visa isso, trabalhar com os profissionais para que os gestores possam qualificar os serviços dos seus municípios".



Endocrinologia Pediátrica é no Centro Médico São Gabriel com Drª Aruze Tanajura

Foto: Divulgação

A Endocrinologia Pediátrica é uma área de atuação que requer a interação de conhecimentos pediátrico e de endocrinologia, para diagnóstico e tratamento de disfunções hormonais, que se instalam desde o período neonatal até o final da adolescência, dentre elas a baixa estatura, diabetes, obesidade, transtornos da puberdade, alterações de hormônios da tireóide e supra-renais, transtornos da diferenciação sexual. O Centro Medico São Gabriel agora conta com a especialista em Endocrinologia Pediátrica Dra. Aruze Tanajura, responsável pelo diagnostico, tratamento e acompanhamento das doenças relacionadas as disfunções hormonais. Agende sua consulta: (77) 3441-1502 / 99925-8807 (WhatsApp).



Cardiologia é no Centro Médico São Gabriel com Dr. Carlos Junqueira

Foto: Divulgação

O cardiologista é um médico especialista em sistema cardiovascular (coração, veias e artérias). Ele atua no diagnóstico de doenças, prescrição de tratamentos e medicamentos, realização de exames clínicos e físicos, além da interpretação de resultados de exames laboratoriais cardíacos, como eletrocardiograma e ecocardiograma. O Centro Médico São Gabriel conta com o Especialista em Cardiologia e Ecocardiograma,  Dr. Carlos Junqueira,  responsável pelo diagnóstico e tratamento de doença relacionadas ao coração e todo sistema circulatório. Agende sua consulta: (77) 3441-1502 / (77) 99925-8807.



Outubro Rosa: conheça 5 direitos do INSS para mulheres com câncer de mama

Foto: 97NEWS

O câncer de mama é o segundo tipo de tumor mais frequente no mundo. De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), são esperados cerca de 60 mil novos casos da doença no Brasil em 2018. O que poucas pessoas sabem é que as pacientes diagnosticadas com a condição e que contribuíram com o INSS possuem direitos e podem entrar com pedido para solicitar seus benefícios. De acordo com levantamento da Secretaria da Previdência, em 2017, foram concedidos pouco mais de 21 mil auxílios-doença previdenciários em decorrência do câncer de mama, número menor que em 2016, quando foram liberados cerca de 500 auxílios a mais. Durante o mês de Outubro, data criada para conscientização do combate à doença, o especialista reforça os 5 principais direitos do INSS para mulheres que estão na luta contra o câncer de mama.

 

Auxílio-doença 

Para as pacientes impossibilitadas de trabalhar temporariamente, o auxílio-doença é um benefício assegurado. “O auxílio-doença é pago mensalmente à portadora do câncer desde que fique comprovada a impossibilidade de atuação profissional. Para os trabalhadores individuais, como profissionais liberais e empresários, a Previdência  Social pagará por todo o período incapacitante da doença, desde que o mesmo tenha requerido o benefício”, explica Átila.

Aposentadoria por invalidez  

Já para as pacientes que passam pela cirurgia de retirada das mamas e que ficam impossibilitadas de trabalhar de forma permanente, sem possibilidade de reabilitação, é possível solicitar a aposentadoria por invalidez. “Para ter direito ao benefício, a segurada precisa ter iniciado as contribuições antes do diagnóstico da doença, e pode solicitar a aposentadoria por invalidez independentemente de ter feito as 12 contribuições pré-estabelecidas pelo INSS”, afirma o especialista. 

Saque do FGTS e PIS

Portadores do câncer de mama, ou pessoas que tenham uma dependente com a doença, também podem resgatar a quantia disponível no FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e nas quotas do PIS/PASEP. “Basta a segurada apresentar cartão do cidadão ou o número do PIS, a carteira de trabalho e um atestado médico válido por 30 dias, com o histórico da doença, estágio clínico atual e a cópia dos laudos. Para os casos de dependentes com a patologia, também é exigido um documento que confirme a ligação com a paciente", explica Átila.

Auxílio acompanhante 

Além dos benefícios acima, a segurada que necessita comprovadamente de um cuidador pode solicitar também o adicional (majoração) de sua aposentadoria para auxiliar no custeio do acompanhante, previsto na Lei nº 8.213/91 – um acréscimo vitalício de 25% no benefício pago pelo INSS. 

Isenção de IR

A gravidade do câncer de mama também isenta, por lei, as seguradas  portadoras da doença de arcar com o Imposto de Renda, mesmo em caso de pacientes que já recebam benefícios da Previdência Social. "Como as pessoas com HIV/AIDS, cardiopatas graves e parkinsonianos, entre outros, elas têm direito a essa isenção, desde que recebam uma aposentadoria, pensão ou reforma", finaliza a advogado.

Como entrar com o pedido do benefício?  

Para requerer todos os auxílios, a paciente precisará passar por um exame de perícia no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Por ser um processo burocrático e levar em consideração todas as situações emocionais que cercam pessoa diagnosticada com câncer de mama, é indicado contar com a ajuda de um profissional.  

CONTINUE LENDO


Brumado: Outubro Rosa, faça parte dessa campanha você também

Foto: Divulgação

O movimento conhecido como Outubro Rosa surgiu na década de 1990, com o objetivo de estimular a participação da população no controle do câncer de mama. Anualmente a data é celebrada, com diversas informações compartilhadas sobre o câncer de mama, promovendo a conscientização sobre a doença e, também, proporcionando maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento, além de contribuir para a redução da mortalidade. O movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa é comemorado em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades. Este movimento começou nos Estados Unidos, onde vários Estados tinham ações isoladas referentes ao câncer de mama e ou mamografia no mês de outubro, posteriormente com a aprovação do Congresso Americano o mês de Outubro se tornou o mês nacional (americano) de prevenção do câncer de mama. A primeira iniciativa vista no Brasil em relação ao Outubro Rosa, foi a iluminação em rosa do monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista (mais conhecido como o Obelisco do Ibirapuera), situado em São Paulo-SP. No dia 02 de outubro de 2002 quando foi comemorado os 70 Anos do Encerramento da Revolução, o monumento ficou iluminado de rosa "num período efêmero" como relembra o secretário da Sociedade Veteranos de 32 - MMDC, o Coronel PM (reformado) Mário Fonseca Ventura. O importante é, na realidade, focar este sério assunto nos 12 meses do ano, já que a doença é implacável e se faz presente não só no mês de outubro. No entanto, este mês é representativo para a causa, tornando-se especial e destacado dos demais. Ninguém é dono desta iniciativa. Simplesmente desejamos contar a história como ela é, respeitando aqueles que, muitas vezes de modo anônimo, prestaram a sua homenagem e manifestaram seu acolhimento à causa.



Saúde estuda incluir duas novas doses no calendário de vacinação

Foto: 97NEWS Conteúdo

O Ministério da Saúde estuda incluir duas novas doses no calendário de vacinação do país. Atualmente, o Programa Nacional de Imunizações conta com um total de 19 doses. A previsão é de que, no próximo ano, sejam incluídas a vacina pneumo 13 para indivíduos imunodeprimidos – e que só será feita em centros de referência para imunobiológicos especiais – e a vacina meningo ACWY para adolescentes de 12 e 13 anos. De acordo com a Sociedade Brasileira de Imunizações, a vacina pneumo 13 previne cerca de 90% de doenças graves como pneumonia, meningite e otite, causadas por um total de 13 sorotipos de pneumococo. Já a meningo ACWY protege contra meningites e infecções generalizadas, causadas pela bactéria meningococo dos tipos A, C, W e Y. “Essas duas vacinas foram amplamente discutidas no comitê técnico assessor de imunização do PNI [Programa Nacional de Imunizações]. Eles aprovaram essas introduções, dependendo da disponibilidade. Ninguém vai colocar uma vacina que a gente não tenha absoluta certeza da sua sustentabilidade”, disse a coordenadora substituta do Programa Nacional de Imunizações, Ana Goretti Maranhão.

 



Laserterapia em Feridas é no Centro Médico São Gabriel!

Foto: Divulgação

O laser terapêutico de baixa intensidade, consiste em um tratamento local e sistêmico, através da terapia ILIB. Não apresenta efeitos colaterais, e tem como caracteristica primordial, aceleração da cicatrização,  assim como redução do edema e alívio da dor. Laserterapia em Feridas  é no Centro Médico São Gabriel com a Enf. Aline Matias todas as segundas-feiras. Agende uma avaliação: (77) 3441-1502 / 99925-8807.



Burocracia: Ministério da Saúde acusa Anvisa de reter medicamentos para doenças raras

Foto: Divulgação

Ministério da Saúde divulgou na quarta-feira (26) uma nota em que acusa a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) de demora na liberação de lotes de um medicamento que seria usado para atender demandas judiciais pacientes com doenças raras. A disputa ocorre em torno da importação do medicamento Soliris (eculizumab), indicado para pessoas com hemoglobinúria paroxística noturna, doença rara que afeta o sistema sanguíneo. O medicamento é considerado um dos mais caros do mundo -- o custo médio de tratamento de cada paciente chega a R$ 875 mil por ano. Segundo a pasta, lotes com 6.078 frascos do Soliris comprados para atender demandas judiciais de 172 pacientes já estão no Brasil, mas não puderam ser entregues até o momento. O motivo seria a falta de autorização da agência. "Apesar de cumprir todas as exigências do órgão, como a compra do medicamento apenas de laboratórios credenciados, lotes de medicamentos ainda aguardam liberação ou deferimento da Anvisa", diz a pasta, por meio de nota. Em um dos casos, um lote com 2.196 frascos, previstos para atender 60 pacientes, chegou no dia 6 deste mês. Desde então, ainda não foi liberado. Ainda de acordo com o ministério, a Anvisa interditou na terça (25) um dos lotes do Soliris que havia sido adquirido da fabricante Alexion, única fabricante detentora de registro do medicamento. O motivo da interdição não foi divulgado. Questionada sobre os motivos que levaram a não liberação, a Anvisa não respondeu até o momento. Atualmente, ao menos 442 pacientes possuem liminar que determina que o governo federal forneça o medicamento, segundo o ministério. Em nota, a pasta diz que todos os pedidos de compra "já foram ou estão em processo de atendimento".



Baixa na Saúde: Com dívida de R$ 3 milhões, UPA de Itabuna é fechada

Foto : Reprodução / TV Santa Cruz

Uma Unidade de Pronto Atendimento de Itabuna, no sul do estado, foi fechada ontem (20), apenas seis meses após começar a atender à população. O posto acumula uma dívida de R$ 3 milhões por atraso de salários dos funcionários, além de ter problemas com falta de remédios e outros insumos para o atendimento. A UPA recebia, em média, 200 pacientes por dia. De acordo com o G1, o Instituto Bom Jesus, administrador da unidade, afirmou que os repasses de verbas municipais não eram regulares, o que dificultou o funcionamento. A UPA deveria receber R$ 960 mil por mês, mas o valor só foi repassado integralmente durante dois meses. 



‘Pendência nos uniformes dos agentes que gera desconfiança na população para a realização dos serviços irá ser resolvida', garante secretário de Saúde

A falta de uniformes para os agentes está atrapalhando a realização do trabalho nas residências devido a desconfiança da população (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)

A sensação de insegurança que existe em Brumado, assim como em todo o país, acaba afetando outros setores, já que a população, cada vez mais temerosa, tem adotado medidas de cautela que podem impedir que alguns serviços essenciais venham a ser realizados. Um desses acontece com os ACEs - Agentes de Combate à Endemias que atuam em Brumado, que estão tendo a dificuldade na execução do seu trabalho, já que muitos não podem entrar nas residências devido à desconfiança dos moradores, já que os mesmos estão sem os uniformes. Visando esclarecer a situação, o 97NEWS falou com o secretário municipal de Saúde, Claudio Feres que de início declarou que “muitos investimentos estão sendo feitos na área da saúde pública, tanto que o município hoje gasta 24% do orçamento com o setor, quando pela LRF seria apenas 15%, onde, hoje, alcançamos a meta de 89% de cobertura. Todos os esforços vêm sendo feitos e, gradativamente, as pendências e desafios irão ser vencidos”. Sobre a questão específica da falta dos uniformes, eu gostaria primeiro de falar que esse ano já informatizamos os serviços dos agentes de endemias e, nesses dias, entregamos as novas bolsas. Reconhecemos o valor desses agentes que fazem um trabalho muito importante e garanto que até o final do ano esse problema da falta dos uniformes estará resolvido”.

As bolsas estão se desfazendo devido ao tempo de uso (Foto: Luciano Santos l 97NEWS)


Buscando ampliar as ações de combate à Dengue em Brumado, Sesau entrega motocicleta à VIGEP

A motocicleta foi entregue pelo secretário Claudio Feres (Foto: Divulgação)

Com a aproximação do período chuvoso, o alerta contra a Dengue volta a ascender com maior intensidade, já que a proliferações do mosquito transmissor aumentam consideravelmente. Visando potencializar as ações de combate à doença, a Sesab – Secretaria Municipal de Saúde de Brumado adquiriu uma motocicleta para ampliar a frota de veículos que atuam nesse sentido. A moto foi entregue na tarde desta quinta-feira (20) pelo secretário Claudio Feres à coordenadora de endemias da VIGEP – Vigilância Epidemiológica, Ilka Lima e ao ACE, Gilliard de Jesus dos Santos. Segundo o secretário “a motocicleta, devido à sua agilidade, irá contribuir de forma muito positiva no trabalho de combate nos pontos estratégicos, não somente à Dengue, como também ao programa de controle da doença de Chagas”. Feres finalizou que “aproveito para lembrar toda população que com a aproximação do período das chuvas os riscos aumentam, então, eliminem a água parada das residências. A luta contra a Dengue e de todos nós, então cada deve fazer a sua parte”.



Brumado: Núcleo Regional de Saúde deverá ser inaugurado até o final do ano

As obras estão em ritmo acelerado, o que dá garantias para a previsão de inauguração até dezembro deste ano (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)

Avaliado como um dos grandes pontos positivos pela gestão estadual é o dinamismo que foi dado ao setor de saúde, tendo na regionalização dos serviços um dos grandes avanços obtidos. No esteio da humanização e de uma resolutividade muito maior, o governo do estado fortaleceu a parceria com os municípios o que vêm produzindo resultados muito satisfatórios e melhorando a qualidade de vida da população. Mesmo ainda estando abaixo de outros municípios da região, como Conquista e Guanambi, Brumado vem avançando na área de saúde e uma das grandes provas disso é a implantação da UTI no Hospital Magalhães Neto. Sede regional e um dos polos mais desenvolvidos do território do sertão produtivo, os serviços contemplam 21 municípios da microrregião, com uma estimativa em cerca de 400 mil pessoas. Com isso as conquistas são constantes e, mais uma delas, está em fase final, que é o NRS - Núcleo Regional de Saúde, o qual está com as obras em ritmo acelerado. Localizada na Praça Maria Aparecida Ferreira, no Bairro Santa Tereza, ao lado da Vara da Justiça do Trabalho. 

Com um amplo espaço, o Núcleo Regional de Saúde oferecerá serviços de grande relevância para a microrregião (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)

De acordo com a coordenadora do Núcleo de Saúde Regional, Carol Rebouças, foi feita recentemente uma visita da equipe de engenheiros, onde foi confirmada a inauguração da unidade até dezembro. Ela também informou que “o orçamento foi todo planilhado e está tudo dentro do cronograma estipulado” e ainda citou que “a nova unidade terá uma logística muito melhor, com um amplo espaço que possibilitará avanços significativos como um moderno laboratório de entemologia, que analisará a água de 43 municípios da região. Também terá um espaço refrigerado para o armazenamento de vacinas e uma assistência farmacêutica de qualidade que fornecerá medicamentos de alto custo”. Com o NSR aconteceram melhorias importantes na Atenção Básica, na Vigilância Epidemiológica e tantos outros, pois esses serviços estarão concentrados num só local. Agora, para completar o mosaico positivo, só faltará a construção e operacionalização da Policlínica Regional de Saúde, que esbarrou nos entraves do consórcio entre as prefeituras pactuadas, tendo Livramento e Paramirim como os principais opositores. 



Nefrologia é no Centro Médico São Gabriel com Dra. Rita de Cássia

Foto: Divulgação

Nefrologia é uma  especialização médica que tem como objetivo diagnosticar e tratar doenças nos rins e no sistema urinário. Pessoas que apresentam alterações na taxa de creatinina sanguínea; urina avermelhada ou identificação de sangue na urina; infecção urinária de repetição,  edemas e inchaços sem causa aparente; aparecimento de múltiplos cistos renais e  alterações do volume de urina sem causa aparente, procure um nefrologista. O Centro Médico São Gabriel inovando para melhor atender, traz para Brumado e região a Nefrologista Drª Rita de Cássia atuando no tratamento e prevenção de doença nos rins e sistema urinário. Agende sua consulta: (77) 3441-1502 / (77)  99925-8807.



A descoberta de uma fraude em pesquisa sobre autismo

(Foto: Reprodução)

Foi numa trivial entrevista com uma mãe ativista antivacinas que o jornalista britânico Brian Deer percebeu que havia alguma coisa errada no estudo científico publicado em 1998 que ligava a vacina tríplice viral (que protege contra sarampo, rubéola e caxumba) à ocorrência de autismo. Conduzida pelo médico britânico Andrew Wakefield e publicada na The Lancet, uma das revistas científicas mais renomadas do mundo, a pesquisa acompanhou 12 crianças que desenvolveram transtornos de desenvolvimento dias após serem vacinadas. Depois da divulgação do estudo, as taxas de cobertura dessa vacina no Reino Unido começaram a cair ano a ano, chegando ao seu nível mais baixo em 2003, com apenas 79% da população imunizada. Foi nesse contexto que o então repórter do The Sunday Times, de Londres, resolveu investigar a controvérsia em torno da tríplice viral e descobriu uma das maiores fraudes da história da ciência mundial: o médico responsável pelo estudo havia manipulado dados dos paciente por interesses próprios.

“Quando entrevistei essa ativista, mãe de uma das crianças do estudo, vi que as informações que ela me passava não batiam com nenhum dos casos relatados na pesquisa. Achei estranho e fui procurar quem tinha financiado esse estudo. Foi então que descobri que Wakefield havia sido contratado por advogados para produzir dados contra a vacina para que eles pudessem ganhar dinheiro processando os fabricantes do produto”, resumiu Deer, em entrevista exclusiva ao Estado, concedida na semana passada, quando esteve em São Paulo para participar de um seminário do Instituto Butantã sobre os desafios da educação e da comunicação sobre vacinas.

Após a publicação da primeira reportagem sobre a fraude no estudo, em fevereiro de 2004, o jornalista continuou investigando Wakefield e descobriu outros conflitos de interesse. “Reunimos informações que mostravam que ele tinha registrado a patente da sua própria vacina contra o sarampo, que ele dizia ser mais segura.”

Até mesmo uma estratégia de Wakefield para negar as acusações acabou comprovando a fraude. “Ele resolveu me processar por causa das reportagens e, na ação, seus advogados de defesa anexaram os prontuários médicos dos pacientes que participaram do estudo. Nesses documentos, comprovamos que ele havia manipulado os dados. Em alguns casos, por exemplo, os pacientes relatavam que os sintomas de autismo tinham começado antes da vacinação e Wakefield falava no estudo que haviam começado dias depois da imunização”, diz o jornalista.

A série de matérias seguiu até 2010, quando o médico teve o registro profissional cassado e o periódico The Lancet revogou a publicação do artigo fraudulento.

Mesmo com tantas evidências de que o estudo foi manipulado e com diversas pesquisas posteriores demonstrando que o imunizante não causa autismo, movimentos antivacina no mundo, inclusive no Brasil, seguem disseminando a informação como verdade e acreditando em Wakefield – que hoje espalha suas ideias antivacina nos EUA.

Para Deer, essa crença permanece por três motivos: (1) as pessoas nem sempre têm condições de discernir a informação correta das chamadas fake news; (2) há uma crise de confiança em profissionais e instituições, o que faz os pacientes preferirem acreditar em dados divulgados em redes sociais do que nos seus médicos; (3) e os pais de crianças com transtornos de desenvolvimento que acreditam que o problema foi ocasionado pelas vacinas são constantemente usados por pessoas como Wakefield para comprovar suas teses.

Caminho

Para Deer, a busca pela informação séria e baseada em evidências é o melhor caminho contra as fake news que prejudicam a saúde pública. “Podemos comprovar isso vendo a situação do Reino Unido em meio ao surto atual de sarampo na Europa. As taxas da doença lá não são tão altas como as da Grécia e Itália justamente porque a fraude de Wakefield ficou muito conhecida e as pessoas voltaram a se vacinar. É o acesso à informação que leva a decisões acertadas.”

CONTINUE LENDO


Programa Mais Médicos realiza encontro de capacitação e interação no IFBA de Brumado

O encontro aconteceu no auditório do campus do IFBA em Brumado (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)

Tendo sobre si um entendimento de cunho político, o Programa Mais Médicos, desde que foi implantado em 2013, sofreu um grande avanço, sendo, hoje, um importante braço para a humanização e ampliação dos serviços prestados pelo SUS à população. No início contando quase que na sua totalidade, com médicos cubanos, o programa hoje vem atraindo médicos brasileiros, o que irá expandir ainda mais a oferta na área de saúde pública, beneficiando assim pequenos municípios, que muitas vezes são desassistidos por esse serviço. Na manhã desta sexta-feira (14), o campus do IFBA em Brumado acabou sediando um dos encontros anuais do referido programa para os eixos de Brumado e Guanambi, que, juntos, contam atualmente com 80 médicos atendendo nas UBSs da área de Saúde da Família. Num ambiente acadêmico, supervisores, tutores e médicos interagiram com muito dinamismo. O 97NEWS ouviu a supervisora regional do Programa Mais Médicos, Márcia de Castro Neves Bastos, que explicou que “o programa prevê 3 encontros anuais, visando a capacitação pedagógica e uma maior interação entre os seus membros. É feita uma avaliação clínica e, por meio de troca de informações, se promove um salto qualitativo que beneficiará as populações desses dois eixos muito importantes da região sudoeste”. Questionada sobre a ampliação do programa, ele respondeu que “sim, já será lançado um novo edital para que possam ser inseridos novos profissionais ao programa. Diferentemente do primeiro momento, agora, os médicos brasileiros estão abraçando a causa e isso é um dado muito positivo”. No final ouvimos uma das primeiras médicas cubanas que chegou à região, Maria Neila, a qual descreveu que “está sendo uma experiência incrível. Cheguei aqui em 2013 no município de Paramirim e fui muito bem acolhida por todos, está sendo um trabalho ótimo que vem beneficiando muito as camadas mais carentes da população”.  

Cerca de 80 médicos que atendem nos eixos de Brumado e Guanambi estiveram presentes ao encontro (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)


Vício Mortal: mesmo com consumo em queda, Brasil ainda tem 20 milhões de fumantes

(Foto: Divulgação)

Mesmo estando fora de moda, o ato de fumar ainda é alto no Brasil, mas a boa notícia é que o consumo está em queda, pelo menos 36% no período de 2006 até 2017. Ainda assim, há muito trabalho a ser feito. Segundo o Ministério da Saúde, pouco mais de 10% da população brasileira fuma, o que equivale a pelo menos 20 milhões de fumantes. A OMS afirma que, em média, um fumante reduz em 15 anos sua expectativa de vida, além disso, pelo menos 50% morre por alguma doença relacionada ao uso contínuo do tabaco. Mas o vício atinge não só a saúde, mas também o bolso: a plataforma de descontos Cuponation compilou em um infográfico interativo o ranking de preços de um maço de cigarros em 48 grandes cidades ao redor do mundo, além do consumo médio per capita em diversos países.  Pelos dados extraídos do relatório anual do Deutsche Bank, a cidade com o maço de cigarro mais caro é em Melbourne, custando pelo menos R$ 93, quase dez vezes mais o preço no Brasil, aproximadamente R$10 na cidade de São Paulo e R$ 9,50 no Rio de Janeiro. 

A capital das Filipinas, Manila, ficou em primeiro lugar com o maço mais barato, aproximadamente R$ 6,20 cada maço.  Dados do relatório The Tobacco Atlas (ou Atlas do tabaco), mostram que o brasileiro fuma, em média, 333 cigarros ao ano. Considerando que um maço de cigarro possui 20 unidades, seria o equivalente a 17 maços ou pelo menos R$ 170 gastos no vício anualmente, representando 18% do salário mínimo atual. Com base nos dados do relatório, é possível afirmar que o Brasil está em 11º no ranking de consumo da América Latina. Os argentinos lideram no consumo per capita de cigarro, ao menos 1.176 unidades ao ano, ou pelo menos 59 maços de cigarro! Em seguida no ranking está Uruguai, (899 cigarros per capita, ou 45 maços), Chile (769 unidades, ou 39 maços), e Honduras (470 cigarros, ou 24 maços). É possível visualizar o restante da análise no infográfico interativo da plataforma. Realizada desde 2006 pelo Ministério da Saúde, o relatório Vigitel monitora a frequência de alguns hábitos que culminam no desenvolvimento de doenças crônicas, dentre eles, o hábito de fumar. Na amostra da pesquisa a capital que lidera o ranking é Curitiba, com 15,6%. Lembrando que o consumo de uma caixa de cigarros por dia faz o indivíduo desembolsar pelo menos R$ 3.650 ao ano com o vício, praticamente o equivalente a quase 10 cestas básicas (preço médio calculado com base nos valores da DIEESE). Outro ponto a ser considerado é de que o do fumante, esporádico ou não, ter o hábito de consumir o cigarro com bebida.  No levantamento da plataforma de descontos há os preços compilados do relatório do Deutsche Bank, que indica quanto sai em 47 grandes cidades ao redor do mundo consumir dois maços de cigarros e cinco cervejas. Melbourne e Oslo são as cidades com o maior preço de consumo: R$ 311. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, o preço sai em média R$ 102 e R$ 103, respectivamente. Com base nesses dados, se um fumante consome dois maços e bebe três cervejas em todos os sábados, em um ano será desembolsado ao menos R$ 4.896 neste “hábito ruim”, como denominado na pesquisa do banco alemão. Sinal de que muito além do corpo, o vício também faz mal para o bolso. 

Saiba mais no site (Clique Aqui)



Sesab contesta números do Conselho Federal de Medicina sobre leitos de UTI pelo SUS

Foto: Luciano Santos l 97News

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) em nota divulgada na quarta-feira (12) para contesta os números divulgados pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) em relação aos leitos de Terapia intensiva registrados no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). De acordo com a pasta do governo do estado, a Bahia possui 1,12 leito para cada 10 mil habitantes. Contudo, um levantamento divulgado nesta quarta pelo CFM aponta que a proporção de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é de 0,64 para cada 10 mil habitantes. "De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a estimativa populacional da Bahia no ano de 2018 é de 14.812.617 habitantes. Isso significa que exitem 2 leitos de Terapia Intensiva para cada 10 mil pessoas. Ao considerarmos apenas o total de leitos SUS, a proporção é de 1,12 leito para cada 10 mil habitantes", relata o comunicado da Sesab.



Menos de 10% dos municípios brasileiros têm leito de UTI, diz levantamento do CFM

Foto: Conteúdo l 97NEWS

Os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) estão disponíveis em apenas 10% dos municípios brasileiros (532 do total de 5.570), de acordo com levantamento divulgado nesta quarta-feira (12) pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Se considerados apenas os leitos de medicina intensiva da rede pública, apenas 466 destes municípios oferecem tratamento no país. Ao todo, o Brasil possui quase 45 mil leitos de UTI, segundo informações do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. Pouco menos da metade (49%) está disponível para o Sistema Único de Saúde (SUS) e a outra parte é reservada exclusivamente à saúde privada ou suplementar, que hoje atende a 23% da população. Embora o país tenha ganhado cerca de 5,7 mil leitos de UTI nos últimos oito anos, a quantidade ainda é insuficiente, sobretudo no SUS, apontou o CFM. Segundo o 1º secretário e coordenador da Câmara Técnica de Medicina Intensiva do CFM, Hermann von Tiesenhausen, as mudanças epidemiológicas dos últimos anos demandam o empenho dos gestores púbicos. 
 

O estudo do CFM também apontou a desigualdade na distribuição dos leitos. Só o Sudeste concentra 23.636 (53,4%) das unidades de terapia intensiva de todo o país. Já o Norte tem a menor proporção: apenas 2.206 (5%) de todos os leitos. O Nordeste, por sua vez, concentra 8.270 leitos (18,7%). Outro alerta do CFM é de que 44% dos leitos SUS e 56% dos leitos privados do Brasil se encontram apenas nas capitais. Se observada a repartição entre as Regiões Metropolitanas, constata-se que 68% dos leitos de UTI do SUS e 80% leitos da rede privada e suplementar estão concentrados nestas áreas.

CONTINUE LENDO


Brumado: Lançado em janeiro deste ano, 'Programa Melhor em Casa' já atende 36 pacientes cadastrados

Foto: Divulgação

Lançado oficialmente em janeiro deste ano em Brumado, o "Programa Melhor em Casa" já é uma realidades nos lares dos brumadenses. Segundo a Secretaria de Saúde do município, o programa chegou a Brumado para melhorar o atendimento dos usuários dos serviços de saúde do município. “Com o Melhor em Casa, os pacientes que fizerem parte do grupo prioritário do programa poderão ser assistidos pela equipe de saúde em suas residências, substituindo as internações hospitalares”, se referindo às pessoas com necessidades de reabilitação motora, idosos, pacientes crônicos sem agravamento ou em situação pós-cirúrgica. A equipe é composta por médico, enfermeiro, fisioterapeuta, nutricionista, assistente social e técnicas de enfermagem. Muitos pacientes já foram beneficiados com o programa desde a sua implantação, e atualmente atende 36 pacientes cadastrados, que recebe visitas e atendimentos periodicamente sem precisar se deslocar até o hospital. Para a admissão, o paciente pode ser encaminhado para o programa por meio das Equipes de Saúde da Família ou pelo Hospital Municipal Professor Magalhães Neto.