ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: Bandidos arrombam loja de móveis e ‘fazem a limpa’ no cofre

Desapropriação: ‘Estou sendo perseguido por fazer oposição ao prefeito’, afirma ‘Osmani da Borracharia’

Governador Valadares: Acidente com ônibus, carreta e caminhonete deixa mortos e feridos na BR-116

Rui autoriza início imediato de construção da Policlínica Regional de Saúde em Paulo Afonso

‘A situação está cada dia pior’, protestam moradores da região de Furado de Maria Nova

Morre, aos 81 anos, Waldyr Sant'anna, primeiro dublador de Homer Simpson

Endocrinologista Drª Minelli Salles na Clínica Master

Brumado: Empossados os novos membros do CMAS para o biênio 2018/2020

Brumado: Campanha de Vacinação contra a Gripe se inicia hoje (23); Dia D será 12 de maio

Enem: mais de mil provas podem ter sido fraudadas no ano passado

Inscrições para o Encceja terminam na próxima sexta-feira

Criança de 2 anos morre após ser espancada pelo padrasto em Barra da Estiva

Municípios do sudoeste baiano debatem a saúde pública na Bahia em Oficina de Gestão

Endureceu: ‘Essa situação dos cães errantes é uma vergonha para Brumado’, dispara Zé Ribeiro

Dois jovens morrem em acidente de moto na BA-156 entre as cidades de Jacaraci e Mortugaba

Controlar como as crianças usam a tecnologia: prevenção ou invasão de privacidade?

Concurso da Polícia Civil da Bahia acontece neste domingo

Sindicato oferece recompensa de R$ 10 mil por informações sobre a morte do delegado Marco Torres

Brumado: ‘Os vereadores do bairro são oposição, mas o povo tem que ser a situação da vez’, protestam moradores da Benjamim Santos

Lia Teixeira comemora assinatura do convênio da FUNASA para inícios das obras do sistema de abastecimento de Cristalândia e região



BUSCA PELA CATEGORIA "Política"

Waldenor participa de atos e encontro em SP pela candidatura de Lula

(Foto: Divulgação)

Depois de participar dos atos públicos em Porto Alegre (RS), nos últimos dois dias, o deputado federal Waldenor Pereira segue com a “Caravana da Democracia” rumo a São Paulo, onde será realizada hoje (24), à noite, grande manifestação na Avenida Paulista, em apoio ao ex-presidente Lula. Amanhã (25), participará de reunião ampliada da Executiva Nacional do PT, na capital paulista, a partir das 10h. O encontro com a participação de governadores, parlamentares e dirigentes do partido vai definir estratégias jurídica e política em defesa da candidatura de Lula para presidente. “O povo quer Lula de novo”, afirmou o deputado Waldenor ao embarcar nesta tarde para São Paulo, avaliando que apesar do julgamento de Lula pelo Tribunal Regional Federal(TRF) 4 ter ocorrido na capital gaúcha, todo o país se mobilizou, com manifestações de apoio ao ex-presidente. O deputado destacou também a multidão que se dirigiu a Porto Alegre, calculada pelos organizadores dos atos públicos em torno de 100 mil pessoas. “Sem dúvida que esta foi a maior manifestação popular da história recente desta cidade ”.  



Polícia Federal começa a se preparar para prisão de Lula; possibilidades de recurso no TRF-4 fica reduzida

Foto: Reprodução

Após a condenação do ex-presidente Lula em segunda instância com pena elevada para 12 anos e um mês de prisão, a Polícia Federal já começa a se articular para eventual cumprimento da ordem de prisão do petista. De acordo com a coluna Estadão, do jornal O Estado de S. Paulo, há, na alta cúpula da PF, preocupação sobre como proceder. A princípio, a ideia é combinar com os advogados para que ele se apresente no local onde irá cumprir a pena. Em caso de não ocorrer o acordo com a defesa, a PF quer o juiz especifique não só o local, mas para quem deve entregá-lo. Na PF, o entendimento é que a estratégia visa garantir a segurança do petista e também dos policiais. Com o placar de 3 votos a zero, o único recurso disponível para a defesa no TRF-4 são os chamados “embargos de declaração”, que não permitem reverter a condenação. Esse tipo de recurso somente admite o esclarecimento de ambiguidades, pontos obscuros, contradições ou omissões no acórdão (documento que oficializa a decisão). Uma eventual prisão de Lula, como determinado pelos desembargadores João Pedro Gebran Neto, Leandro Paulsen e Victor Luiz dos Santos Laus só será possível após um novo julgamento, específico desse recurso, que será analisado pelos mesmos magistrados. O julgamento dos embargos de declaração costuma ser mais rápido. De qualquer modo, a defesa de Lula ainda poderá recorrer da condenação a mais duas instâncias superiores: o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e o Supremo Tribunal Federal (STF), ambos em Brasília. Mas, nesse caso, Lula já poderá estar preso quando os recursos forem apresentados. Embora ele esteja sujeito à prisão após o julgamentos dos embargos no TRF-4, a defesa ainda poderá pedir soltura ao STJ e ao STF para que ele recorra em liberdade. Após o julgamento dos embargos pelo TRF-4, cabe recurso especial ao STJ se a defesa apontar algum aspecto da decisão que configure violação a lei federal, como o Código Penal ou de Processo Penal, por exemplo. Caberá recurso extraordinário ao STF se os advogados apontarem que a decisão do TRF4 viola Constituição.



Em São Paulo, governador Rui Costa espera absolvição do ex-presidente nesta quarta

Para o governador Rui Costa, a sociedade não entenderia como Lula ficar inelegível e outros políticos que têm provas contra si poderão se candidatar. (Foto: Secom)

O governador da Bahia espera a absolvição do ex-presidente Lula e disse que ele deve ser candidato à presidência da República. Rui Costa deu a declaração no fim da manhã desta terça-feira (22) após participar de um fórum promovido pelo jornal Folha de São Paulo, na capital paulista. O petista afirmou que o partido não trabalha com outras opções para a candidatura ao Palácio do Planalto. Para o governador Rui Costa, a sociedade não entenderia como Lula ficar inelegível e outros políticos que têm provas contra si poderão se candidatar: “todos aqueles que foram pegos com malas de dinheiro, dinheiro no exterior, todos eles serão candidatos. E contra aquele que até agora não se apresentou prova concreta, mesmo a decisão do juiz fala em indícios”. O julgamento do recurso de Luiz Inácio Lula da Silva no Tribunal Regional Federal da Quarta Região será realizado na manhã de quarta-feira. O ex-presidente foi condenado em primeira instância da Justiça Federal em Curitiba por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O juiz Sérgio Moro sustenta que o petista ocultou a propriedade de um apartamento tríplex que possuiria no Guarujá, litoral paulista. Pela sentença, o imóvel teria sido como propina da construtora OAS em troca de favorecimento da empresa na Petrobras. 



Waldenor participa de atos em defesa de Lula direto de Porto Alegre

(Foto: Divulgação)

O deputado baiano Waldenor Pereira está entre os nomes que compõem a comitiva de líderes políticos, intelectuais, humanitários, juristas e artistas que estão em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, em solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Lula será julgado amanhã (24) pelo Tribunal Regional Federa (TRF) 4 em segunda instância, no processo que ficou conhecido como o do tríplex do Guarujá. Desde a segunda-feira milhares de caravanas chegam à capital gaúcha com representantes de movimentos sociais de todo o país para atos em defesa de Lula e pela manutenção da sua candidatura à presidência da República nas eleições deste ano. Na manhã de hoje, durante ato das “Mulheres Pela Democracia”, Waldenor afirmou acreditar na absolvição do ex-presidente e na sua inocência. “Acreditamos na absolvição do presidente Lula, pois, nestes quatro anos da Operação Lava Jato, com a instauração de mais de mil processos, mais de quinhentas buscas e apreensões, mais de 200 delações premiadas, nada, absolutamente nada foi provado contra ele. A sua condenação pelo Juiz Sérgio Moro é claramente uma perseguição política, já que foi baseada em convicções e não em provas. Moro age como inquisidor, não como juiz isento, na tentativa de impedir a candidatura do Lula à Presidência. Acreditamos na sua inocência e, como a maioria dos brasileiros, queremos a sua candidatura, garantindo assim um processo eleitoral justo e democrático, na tentativa de reestabelecer a democracia e o estado de direito em nosso país”, comentou. O deputado federal engrossa o time da bancada petista e líderes do PT que está em Porto Alegre, como a ex-presidenta Dilma Rousseff, a presidenta do partido, Gleisi Hoffman, o deputado Paulo Pimenta, o senador Lindbergh Farias, dentre outros. 

(Foto:Divulgação)


Como a Bahia virou uma potência mundial do marketing político

Vitória de ACM foi um marco na história do marketing político brasileiro (Foto: Propeg/BBC)

Cinco anos após o fim da ditadura militar, o político baiano Antônio Carlos Magalhães, o ACM, encarou uma missão que parecia difícil. Em meio a forte campanha contrária, ele tentava voltar ao posto de governador - dessa vez pelo voto popular, e não por indicação dos militares. Alguns dos ataques mais ousados vinham do publicitário Geraldo Walter, que, aos 33 anos, chefiava a campanha do empresário Luiz Pedro Irujo, candidato do PRN. Inspirado no filme O Grande Ditador (1940), em que Charles Chaplin satirizava Adolf Hitler, Walter bolou uma peça em que o papel do führer cabia a um sósia de ACM, que brincava com uma bola com as cores da bandeira baiana. Em vez de negar a fama de autoritário, a campanha de ACM buscou retratá-lo como uma figura multifacetada. Valendo-se da influência do candomblé no Estado, a equipe coordenada pelo marqueteiro Fernando Barros produziu um comercial em que ACM era chamado de "negro de pele branca" e comparado a Oxumaré - orixá com feições múltiplas, ao mesmo tempo homem e mulher, calmo e irascível, rico e generoso. ACM venceu a eleição no primeiro turno, e a disputa se tornou um marco na história do marketing político brasileiro. Quatro anos depois, em 1994, o marqueteiro vencedor e o derrotado se uniriam em prol da candidatura de Fernando Henrique Cardoso à Presidência, inaugurando uma era de domínio baiano em campanhas eleitorais no país, que perdura até hoje. Desde aquela eleição, marqueteiros baianos chefiaram todas as campanhas vitoriosas para presidente da República no Brasil e várias no exterior. O êxito da dupla Walter-Barros em 1994 seria repetido nos anos seguintes por Nizan Guanaes, Duda Mendonça e João Santana. Às vésperas da próxima eleição, porém, a primazia do grupo está ameaçada por escândalos de corrupção, que envolveram alguns dos seus principais expoentes e os afastaram da política.

João Santana aparece ao lado de Lula e Dilma (à esq. de Lula, com gravata avermelhada), que apertam as mãos em foto de 2014 (Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula)

Apelidado de Boca do Inferno e Boca de Brasa por suas críticas ácidas, Matos foi deportado pela Coroa portuguesa para Angola e voltou ao Brasil pouco antes de morrer, aos 59 anos. Barros diz ainda que, como a Bahia nunca teve um setor industrial forte, as agências de publicidade do Estado tiveram de se aproximar do governo e de políticos para sobreviver. Autor de 18 livros sobre marketing eleitoral, o paulista Carlos Manhanelli diz que as agências de São Paulo, eixo do mercado publicitário brasileiro, nunca se destacaram como as baianas nesse meio por um cálculo de custo-benefício. "Campanhas envolvem ideologia, e os clientes têm ideologia, então, as agências perdem clientes quando entram em campanha." Para o cientista político pernambucano Antônio Lavareda, publicitários baianos devem parte de seu sucesso ao caldo cultural em que se criaram, o mesmo que deu origem a ícones da cultura popular brasileira, como Maria Bethânia, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Dorival Caymmi e Gal Costa. "É natural que a Bahia, que tem referências culturais muito associadas a raízes populares e à música, tenha gerado profissionais com pendor para uma comunicação bastante emocional, que é a que tem dado mais certo na política." Publicidade versus jornalismo Consultor em comunicação e conselheiro do presidente Michel Temer, o potiguar Gaudêncio Torquato diz que a ascensão dos marqueteiros baianos mudou a forma de fazer campanha política no Brasil. Segundo ele, as campanhas no país sempre se equilibraram entre a visão jornalística, baseada na difusão de informações, e a visão publicitária, de conteúdo mais emotivo, "até que os baianos chegaram e impuseram a visão publicitária". Para Torquato, o publicitário Duda Mendonça, que, em 2002, chefiou a primeira campanha vitoriosa de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência, levou a estratégia às últimas consequências e criou uma "grife". No livro Emoções Ocultas e Estratégias Eleitorais, de Antônio Lavareda, Duda conta que sua tarefa na eleição de 2002 era apresentar ao Brasil "não o Lula das greves, dos sindicatos, mas um Lula humano, tranquilo, que tinha família, filhos e netos". A imagem do "Sapo Barbudo", apelido irônico cunhado em 1989 por Leonel Brizola, deu lugar ao "Lulinha paz e amor", e o petista venceu o pleito. Duda se destacara na política nacional ao conduzir Paulo Maluf, hoje preso na penitenciária da Papuda (DF), à prefeitura de São Paulo, em 1992. A célebre peça em que as obras do político eram listadas em meio ao slogan "Foi Maluf que fez" acabou replicada pelo baiano sete anos depois na campanha presidencial argentina. Com o slogan "Menem lo hizo", Duda tentava eleger o candidato apoiado pelo então presidente Carlos Menem, Eduardo Duhalde. Lá, a tática não funcionou. Para Gaudêncio Torquato, Duda "é o grande responsável pela 'McDonaldização' do marketing político brasileiro: a aplicação de um mesmo modelo em várias campanhas". Citado no escândalo do mensalão em 2005 (e absolvido sete anos depois pelo Supremo Tribunal Federal), Duda se afastou da política e passou o bastão a seu ex-sócio João Santana, que assessorou Lula na reeleição e chefiou as duas campanhas de Dilma Rousseff. Nascido em Tucano, no sertão baiano, Santana deu novo impulso à internacionalização do marketing político brasileiro. Em 2009, chefiou a campanha vitoriosa de Mauricio Funes, em El Salvador; em 2012, as de Hugo Chávez, na Venezuela, de Danilo Medina, na República Dominicana, e de José Eduardo dos Santos, em Angola; e, em 2013, voltou à Venezuela para eleger Nicolás Maduro. Em 2014, sofreu o primeiro revés ao assessorar José Domingo Arias, no Panamá. A projeção de Santana no exterior ocorreu paralelamente à expansão internacional de empreiteiras brasileiras, entre as quais as baianas Odebrecht e OAS. Em 2016, num desdobramento da operação Lava Jato, o marqueteiro e sua mulher, a publicitária Mônica Moura, foram presos enquanto eram investigados pelo recebimento de recursos no exterior. Em acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal, o casal disse que os pagamentos foram feitos pela Odebrecht e estavam relacionados aos trabalhos da dupla em Angola, na Venezuela e no Panamá. Ambos afirmaram ainda que Lula lhes pediu que realizassem as campanhas nesses países. Advogados do ex-presidente dizem que delações não são provas e que quem acusa o petista busca benefícios judiciais. A Odebrecht diz colaborar com as investigações. Em 2017, Santana e Moura foram condenados pelo juiz federal Sérgio Moro a oito anos de prisão por lavagem de dinheiro, acusação que contestam. Eles aguardam em liberdade o julgamento de seu recurso em segunda instância. Santana não respondeu a um pedido de entrevista da BBC Brasil. Depois da Lava Jato, publicitários da Bahia continuarão dominando o marketing político brasileiro? Com a saída de cena dos figurões, outros profissionais do Estado vêm ocupando espaços. Chefe das campanhas exitosas de Jacques Wagner e Rui Costa ao governo da Bahia, o publicitário Sidônio Palmeira assumiu em 2017 a conta do PT nacional e é cotado para dirigir a próxima campanha do candidato da sigla à Presidência.  Mauricio Carvalho, que assessorou o petista Alexandre Padilha na última disputa para governador de São Paulo, é outro que negocia um posto de destaque neste ano. Mas há quem avalie que a primazia baiana chegou ao fim. Para Gaudêncio Torquato, os eleitores brasileiros amadureceram e passaram a desconfiar de campanhas políticas com forte tom emocional, marca dos publicitários baianos nas últimas décadas. "O voto está subindo do coração para a cabeça." Para Lavareda, as principais contas da eleição ficarão com personagens que vinham atuando em segundo plano, entre os quais o argentino Guillermo Raffo, que participou da campanha de Aécio Neves em 2014, e o gaúcho Marcos Martinelli, chefe da campanha de Amazonino Mendes ao governo amazonense, em 2017. Outros avaliam que marqueteiros baianos continuarão a se destacar. Fernando Barros, da Propeg, afirma que a proibição de doações empresariais no pleito de 2018 fará com que publicitários tenham de ser mais criativos. Ele diz que a Bahia ainda é a maior escola do marketing político brasileiro e seguirá exportando quadros para as grandes disputas nacionais. "Até hoje você não forma uma equipe de marketing político no país sem ter um baiano no meio."

CONTINUE LENDO


Para reduzir número de mortes causadas pela polícia, armas de menor poder ofensivo poderão ter prioridade

(Foto: Reprodução)

O senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) apresentou à Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) um substitutivo ao PLS 190/2014, do ex-senador Marcelo Crivella (hoje prefeito do Rio de Janeiro), que disciplina o uso da força por agentes da segurança pública. O projeto determina que os órgãos de segurança pública deverão priorizar a utilização de instrumentos de menor potencial ofensivo, desde que seu uso não coloque em risco a integridade física ou psíquica dos policiais. E sempre que o uso legítimo da força for indispensável, os agentes deverão utilizá-la com moderação, sendo sua ação proporcional à gravidade da infração e ao objetivo legítimo a ser alcançado. Os policiais também deverão buscar reduzir ao mínimo os danos e lesões, respeitando a vida humana.

Disparo de arma

O disparo da arma somente será admitido em casos de legítima defesa própria ou de terceiros, contra perigo iminente de morte ou lesão grave. Ficam vedados os disparos especialmente contra pessoa em fuga que esteja desarmada ou que não represente risco imediato de morte ou lesão. Também fica vedado o disparo contra veículo que desrespeite bloqueio policial em via pública, exceto quando o ato represente risco de morte ou lesão. Assim como fica proibido também o disparo da arma com o objetivo único de advertir o motorista. Nas hipóteses em que seja necessário o disparo das armas, os agentes deverão identificar-se como tal, fazendo a advertência da intenção do disparo, com prazo suficiente para que o aviso possa ser respeitado. Mas o procedimento poderá ser dispensado caso ponha em risco a segurança dos agentes ou de terceiros, ou se mostrar manifestamente inadequado ou inútil, consideradas as circunstâncias do caso. O texto prevê ainda a gravação em vídeo e áudio dos enfrentamentos policiais, assim como das oitivas e interrogatórios realizados por agentes e autoridades judiciais. Para isso, o projeto concede prazo de 5 anos para a implantação progressiva dos sistemas de gravação em vídeo e áudio por parte das autoridades competentes, no que se refere a abordagens, enfrentamentos e interrogatórios.

Mortes em ações policiais

No relatório, Valadares afirma que a proposta, caso efetivada, representará um avanço na luta pelos direitos humanos. Ele cita os dados mais recentes do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, dando conta que, para 70% da população, a polícia exagera no uso da violência. O senador também se vale do Anuário, que coleta dados oficiais a nível federal e estaduais, para alertar que continua aumentando o número de mortos em ações policiais. Estes casos, que já passam de 4 mil por ano, são 50% superiores aos mortos por latrocínio. Números que causam espanto a nível internacional, lamenta ele. No substitutivo, Valadares também lembra que tem aumentado muito o número de mortes de policiais, algo muito acima da média mundial. Ele defende que a filmagem das abordagens e confrontos deverá diminuir estas incidências e identificar os assassinos. "Isso também ajudará o policial na tomada de decisões. Polícias de centenas de cidades norte-americanas e, no Brasil, a PM do Distrito Federal já utilizam microcâmeras em uniformes e viaturas. A medida ainda criará oportunidades para a indústria eletrônica brasileira", finaliza o senador em seu texto.



Luciano Huck avança em conversas com PPS e Rede e quer relação sem exclusividade

Foto: Reprodução l TV Globo

Movimento de renovação política que tem o apresentador Luciano Huck como principal garoto-propaganda, o Agora! propôs uma lista de compromissos aos dois partidos com os quais mantém conversas para se associar: o PPS e a Rede. As informações foram publicadas pela colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo. Segundo a publicação, pelos termos que estão sendo discutidos, o grupo deixa claro que não oferecerá nem pedirá exclusividade da sigla com a qual vier a fechar algum acordo. A negociação envolverá, por exemplo, a filiação de membros que queiram disputar a eleição. O Agora! tanto se reserva o direito de se relacionar com outros partidos quanto deixa o parceiro livre para conversar com outros movimentos. Ainda de acordo com a coluna, na carta entregue às legendas, a organização estabelece que "os partidos assegurarão aos membros do Agora! que se filiarem voz e voto nas decisões políticas, em todas as instâncias". A publicação revela que, hoje a tendência no grupo é estabelecer parceria com mais de um partido, o que, entretanto, não impedirá participantes de entrarem em siglas externas às alianças.



Geddel deverá fazer delação, mas enfrenta dificuldades, segundo colunista

Foto: Reprodução

De acordo com o colunista Murilo Ramos, da revista Época, o ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB), que está preso em Brasília desde setembro, está disposto a negociar um acordo de delação premiada por saber que sua situação é difícil. Porém o emedebista está enfrentando dois problemas. O primeiro é que o operador Lúcio Funaro detalhou informações que poderiam ser ditas por ele. O outro é que Geddel resiste a citar amigos do MDB, incluindo Michel Temer. Sem isso, as chances de a colaboração prosperar são mínimas.



Em campanha para Presidência, Câmara gasta mais dinheiro público com ‘voo’ eleitoral de Bolsonaro

Foto: Divulgação

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) viajou para Campina Grande, segundo maior colégio eleitoral da Paraíba, para dar palestras, falar com eleitores em praças e conceder entrevistas para rádios locais em 8 de fevereiro do ano passado. “Hoje estou perdendo a sessão em Brasília. Gostaria de estar lá, mas para quem tem pretensões outras tem de estar muito bem preparado para aquele momento em 2018. Vale a pena tudo isso aí”, afirmou em entrevista à época. A veículos de imprensa paraibanos, apresentou a meta de fazer duas viagens para fora da capital federal por mês: promessa cumprida. Em campanha aberta para a Presidência da República, Bolsonaro aumentou seus gastos com passagens aéreas pagas com dinheiro público da Câmara dos Deputados. Levantamento feito pelo Estadão/Broadcast mostra que, nesta legislatura (entre 2015 e 2017), o deputado fluminense gastou 39% mais com passagens custeadas pela Câmara do que no período anterior (de 2011 a 2014): passou de R$ 261 mil para R$ 362 mil. 

 

O parlamentar mudou o perfil de suas viagens nos últimos três anos, quando começou a ganhar força sua intenção de disputar o Palácio do Planalto após se reeleger, em 2014, como o deputado mais votado (464.572 votos) no Rio. Ele passou a visitar mais cidades de todas as regiões do País, fora do eixo Brasília-Rio, onde trabalha e mora.

Os deslocamentos para outros Estados saltaram de 23 para 83 – 2,3 por mês. Foram considerados apenas os bilhetes em que Bolsonaro é o passageiro e pagos por meio da cota parlamentar. A um ano para o fim da atual legislatura, ele já se deslocou 351 vezes, ante 404 dos quatro anos anteriores.

Em Campina Grande, uma das poucas cidades onde o PT perdeu as eleições presidenciais no Nordeste, Bolsonaro pagou, com dinheiro da Câmara, R$ 1.013,69 em bilhetes aéreos. Seu gabinete emitiu as passagens no dia 20 de janeiro do ano passado. Hoje, o deputado fluminense é o segundo mais bem colocado nas pesquisas de intenção de voto, atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

CONTINUE LENDO


Fiquem longe de mim: Articulações apontam que ACM Neto quer os irmãos Vieira Lima ‘fora de cena’

Parceiros fortes de outrora, ACM Neto dá indícios que quer 'exorcizar' os irmãos Vieira Lima (Foto: Jair Onofre)

Indícios, cada vez mais robustos, apontam que o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), que já começa a intensificar o seu planejamento eleitoral para 2018, irá “colocar no escanteio” os irmãos Viera Lima. Neto estaria agindo fortemente no “subterrâneo” para que os dois fiquem cada vez mais enfraquecidos no MDB, para que o seu “pupilo”, o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis, possa “pegar o vácuo” e se estabelecer com “cacique” da legenda. Essa “articulação” projeta que ACM Neto pretende mesmo ir para disputa com Rui Costa, já que “tirando da jogada” os irmãos Vieira Lima ele ficará mais “livre, leve e solto” para concorrer ao pleito. O mar de lama que inundou a vida de Geddel e, por tabela, de Lúcio, que teve no episódio das malas milionárias escondidas em um “bunker” num apartamento em Salvador, o seu clímax, estaria sendo analisado coma a “lápide final” na carreira política de ambos, ou seja, os dois são considerados “cartas fora do baralho” da política baiana e brasileira, tanto que o “ato final” seria a não reeleição de Lúcio para deputado federal, que iria, segundo o entendimento da grande maioria dos analistas políticos, sepultar de vez a carreira política dos Vieira Lima.  Neto que está cada vez mais midiático, caso vá mesmo para disputa das urnas, deverá adotar a estratégia de “exorcizar espectros”, mostrando um perfil de grande estadista e de um político moderno e com coragem para enfrentar os desafios do combate à corrupção e a construção de um novo modelo social, que venha a contemplar os grandes anseios da população da Bahia. 



Confirmado: Marcelo Nilo ‘deixa’ PSL com chegada de Bolsonaro

O deputado Marcelo Nilo confirmou a sua ida para o PSB (Foto: Daniel Simurro | 97NEWS)

Com as malas prontas para desembarcar no PSB da senadora Lídice da Mata, o deputado estadual Marcelo Nilo, mostrando novamente seu "felling" políco" deciciu "jogar para a plateia" , no caso em questão, com o grande número de eleitores que rejeitam a filosofia do deputado federal e presidenciável Jair Bolsonaro. Pouco depois de confirmada a ida de Bolsonaro no PSL, Nilo comunicou aos seus contatos a seguinte mensagem: “Comunico a minha saída do Partido (PSL) com a entrada de  Bolsonaro. Abs”. Mas isso já estava nos planos, já que ele havia deixado certa a sua ida para o PSB, inclusive com o anúncio daqueles que pretendia levar consigo para a legenda socialista, entre eles o seu genro Marcelo Veiga, diretor da Embasa, e o secretário de Administração Penitenciária, Nestor Duarte.



Corrente do PSL deixa partido após anúncio de filiação de Bolsonaro

(Foto: Reprodução)

O grupo Livres, corrente interna do Partido Social Liberal (PSL), anunciou a saída da agremiação após o anúncio da chegada à legenda do deputado federal Jair Bolsonaro (RJ) "A chegada do deputado Jair Bolsonaro, negociada à revelia dos nossos acordos, é inteiramente incompatível com o projeto do Livres de construir no Brasil uma força partidária moderna, transparente e limpa", diz a nota do Livres, divulgada no Facebook. De acordo com a nota do Livres, o grupo recusa "a reciclagem do passado". "Não vamos arrendar nosso projeto à velha política de aluguel. Nosso compromisso não é com a popularidade das pesquisas da semana passada, mas com a população de um País que exige a transformação da política partidária." Mais cedo, o presidente do PSL, deputado federal Luciano Bivar (PE), havia informado que fechou um acordo com Bolsonaro, confirmando a disposição dele de ceder a legenda ao presidenciável. "Existem mais semelhanças do que diferenças entre Bolsonaro e o nosso pensamento liberal. É um orgulho tê-lo ao nosso lado", disse. Com forte presença nas redes sociais, o grupo Livres tem mais de 152 mil curtidas no Facebook. Em postagens quase diárias, os militantes defendem o livre mercado, a diminuição de impostos e os direitos de LGBTs.



Waldenor comemora avaliação de Rui e ironiza o primeiro ano de Herzem Gusmão

Waldenor ao lado de Zé Raimundo e do governador Rui Costa (Foto: Luciano Santos | 97NEWS )

Uma matéria veiculado pelo G1 tem sido destaque em toda a Bahia com a avaliação da gestão do governador Rui Costa. De acordo com o G1, em três anos, Rui executou 68 medidas, total ou parcialmente, o que corresponde a 59,13% do total prometido nas Eleições 2014. Rui Costa continua sendo o governador que mais cumpriu as metas de gestão entre os anos de 2015 e 2017, conforme o levantamento nacional divulgado nesta terça-feira (2). Em três anos, ele executou 68 medidas, total ou parcialmente, o que corresponde a 59,13% do total prometido na campanha eleitoral de 2014. O G1 se baseou no programa de governo registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e em entrevistas e debates. Opositor, o deputado federal Waldenor Pereira (PT-BA) ironizou os rumos do governo liderado pelo peemedebista Herzem Gusmão Pereira classificando como “estelionato eleitoral”, ao comparar as promessas do Plano de Governo apresentado durante a campanha eleitoral e o que realmente está sendo realizado pela administração peemedebista à frente da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista.



Alegando renovação, prefeito exonera toda sua equipe de governo em Livramento de Nossa Senhora

Foto: Reprodução

A partir do dia 30 de dezembro, 116 funcionários públicos da cidade de Livramento de Nossa Senhora, vão ser exonerados dos seus cargos. O informativo foi publicado nesta quarta-feira (27) no Diário Oficial do Município. O prefeito Ricardinho Ribeiro, exonerou todos os ocupantes de cargos comissionados, inclusive os secretários municipais. A medida faz parte de renovação, segundo o próprio prefeito, contida na lei nº 1.374/2017, que entrará em vigor no dia 1º de janeiro de 2018. A nova estrutura será formada por Gabinete do Prefeito; Controladoria Geral do Município; Secretarias da Administração, Planejamento e Desenvolvimento; Fazenda; Infraestrutura, Serviços Públicos e Desenvolvimento Urbano; Educação; Esporte, Cultura, Lazer e Turismo; Desenvolvimento Social; Agricultura, Recursos Hídricos e Meio Ambiente e de Saúde. O prefeito ainda alega que poderá haver outras exonerações em forma de rodízio, envolvendo todos os escalões. Tudo isso para enxugar os gastos da administração. 



Conselho de Ética da Câmara começa 2018 com caso Lúcio Vieira Lima

(Foto: Reprodução)

O Conselho de Ética da Câmara vai começar 2018 com a missão de analisar o caso do deputado Lúcio Vieira Lima (MDB), alvo de uma representação da Rede e do PSOL – neste ano, todos os cinco processos abertos para apurar a conduta dos deputados foram arquivados. As siglas pedem a cassação do mandato irmão de Geddel Vieira Lima em razão das investigações sobre as malas de dinheiro encontradas pela Polícia Federal (PF) em um apartamento de Salvador. A PF encontou indícios de crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa da parte dos irmãos. O Conselho irá estudar, portanto, os atos de quebra de decoro parlamentar, como recebimento de vantagens indevidas e perturbação da ordem das sessões da Câmara, por exemplo. As punições variam desde censura escrita até cassação.



Garotinho é recebido com festa pela família após deixar prisão

Foto: Reprodução Facebook

Após deixar a cadeia na última quarta-feira (20), o ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PR) foi recebido com festa pela família. A filha Clarissa Garotinho fez uma publicação em sua página no Facebook em que aparece com a família abraçando o ex-governador. Garotinho foi preso em novembro sob acusação de crimes como corrupção, participação em organização criminosa e falsidade na prestação de contas eleitorais entre os anos 2009 e 2016. A prisão foi pedida pelo Ministério Público Eleitoral do Rio de Janeiro (MPE-RJ), decretada pelo juiz da 100.ª Zona Eleitoral de Campos dos Goytacazes, Glaucenir Silva de Oliveira, e mantida pelo Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE-RJ).



PMDB aprova mudança de nome e volta a se chamar MDB

Foto: Reprodução

Para um auditório esvaziado, o presidente do PMDB, senador Romero Jucá (RR), anunciou que os integrantes do partido aprovaram a mudança do nome para MDB (Movimento Democrático Brasileiro), como era chamado durante o regime militar. A decisão era um dos itens da pauta da convenção extraordinária da sigla, realizada nesta terça-feira (19) em Brasília. A mudança do nome, às vésperas do ano eleitoral, é uma estratégia para dar uma repaginada na sigla após Michel Temer assumir a Presidência da República. Dirigentes negam que a alteração seja uma tentativa de “esconder” a sigla atrás de uma nova marca, já que a cúpula da legenda e o próprio Temer têm sido alvo de escândalos de corrupção, especialmente no âmbito da Operação Lava Jato. Jucá também afirmou que serão criados novos grupos setoriais para atender alas do partido como os evangélicos e o núcleo ambientalista. 

 



Eduardo Bolsonaro é investigado pela Procuradoria-Geral da República por ameaça de morte

Foto: Reprodução

O deputado Eduardo Bolsonaro, filho do também deputado Jair Bolsonaro, é alvo de investigação da Procuradoria-Geral da República devido a uma ameaça de morte. De acordo com informação divulgada pela revista Época, o parlamentar foi denunciado à Delegacia da Mulher por uma integrante da Juventude do PSC. Durante o registro da ameaça, a jovem mostrou à polícia mensagens de texto em que o deputado afirmava que iria acabar com a vida dela, além de chamá-la de ‘vagabunda’, ‘abusada’ e ‘otária’. O deputado, assim como sua assessoria, ainda não se manifestaram sobre o caso.



Lídice nega que vá deixar base de Rui: ?Jamais farei isso?

(Foto: Daniel Simurro | 97NEWS)

A senadora Lídice da Matta (PSB-BA) em entrevista nesta quinta-feira (14) destacou a formação das chapas para a eleição do ano que vem. Segundo ela, não há possibilidade de deixar a base aliada do governador Rui Costa (PT). "Essa discussão não é para agora, mas nenhum momento estamos fazendo cobertura de um governo e outro. Alguns dizem: ?Mas você deveria ameaçar ir para o outro lado?. Eu jamais farei isso. Na política você tem que ter um posicionamento político. Se fizesse diferente, eu não faria o que acredito. Esse é meu lado e dentro desse lado vou lutar para o que quero e acho correto", afirmou a senadora. Ela ainda defendeu um maior debate entre as lideranças políticas para definir quem irá concorrer aos cargos nas eleições de 2018. "Esse debate tem que acontecer com os principais líderes da coligação, com o próprio governador, mas temos que definir condicionantes. Claro que você vai medindo forças, o que perde e o que ganha", declarou.



PSB nacional pressiona e quer uma vaga para Lídice na chapa de Rui; ruptura poderá acontecer

As especulações sobre uma possível ruptura entre o PSB e o PT começam a ganhar força nos bastidores do poder (Fotos: Daniel Simurro | 97NEWS)

A senadora Lídice da Matta (PSB), que subiu, recentemente, "nas tamancas" e protestou de forma veemente pela exclusão de seu nome das pesquisas Record Bahia/Instituto Paraná, agora, vai ter motivos para ficar mais otimista, já que, uma informação de bastidores que circula com intensidade nos corredores do poder, revela que o PSB Nacional "bateu o martelo" e exige que ela seja novamente candidata ao senado, não importando a composição. Isso, automaticamente criou um clima de mal estar entre a senadora e o governador Rui Costa, ou seja, se acena um possível rompimento entre o PSB e o PT. Outro fato que corrobora nesse sentido é que o presidente nacional da legenda, Carlos Siqueira, foi intransigente nesse sentido, pois vem afirmando, sistematicamente, que está no hora do PSB largar o "papel" de protagonista e começar a exercer o protagonismo da história. Essas declarações vêm mesmo deixando a Lídice numa "saia-justa" já que ela, até hoje, vem se mantendo a sua fidelização ao PT, além de ser amiga pessoal de Jaques Wagner, que irá disputar uma cadeira no Senado Federal pelo grupo governista. A nova postura do PSB deverá trazer também dificuldades para os prefeitos do PSB na Bahia, como é o caso de Brumado, onde o prefeito Eduardo Vasconcelos, - que vem cobrando de forma incessante por ações do governo do estado para o município -, se esforça para manter a parceria com Rui Costa, que, inclusive estará em Brumado no próximo dia 21, tendo como o seu maior compromisso a inauguração da logística da UTI. Vale ressaltar que o apoio dos deputados federais Waldenor Pereira (PT) e Daniel Almeida (PC do B) vem sendo muito positivos nesse sentido de dotar o município de uma estrutura de alta complexidade na área de saúde pública, tanto que o processo de formação do Consórcio Regional, que estava emperrado, já está praticamente concluído, faltando apenas uma assinatura dos 21 participantes, justamente, graças ao apoio desses parlamentares. A tensão deverá continuar e se acentuar ainda mais nos primeiros meses de 2018, mas, as "fichas" deverão ir para a "mesa da acomodação" projetando que o PSB e o PT irão caminhar juntos no pleito de 2018.