ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Tentativa de Neto de ‘esconder Geddel é confissão de culpa’, diz Solla

Intermunicipal 2017 terá um campeão inédito

Conquista: Homem quase é linchado após ser flagrado filmando partes íntimas de menor

Ituaçu: Suspeito de ser um dos autores do assalto à joalheria em Brumado morre em troca de tiros com a Polícia

Maetinga: Homem é preso por porte ilegal de arma; ele estava com uma calibre 12

Luto: Sepultada a jovem universitária Letícia Santos, vítima de acidente na BA-263 em Itapetinga

Solidariedade: Adquira o seu kit da 'Caminhada Passos que Salvam' na Padaria Divina

Ciclistas brumadenses do MTB fazem bonito no Iº Desafio dos Gerais em Caetité

Novas mudanças nas certidões de nascimento, casamento e óbito passam a valer nesta terça

Aluna brumadense conquista `XVI Prêmio Denatran´ na faixa etária até 12 anos e 11 meses

Solteira sim, sozinha nunca: Pesquisa diz que mulheres se sentem mais felizes solteiras que os homens

Lava Jato: PF ataca corrupção na Transpetro na 47ª fase da operação; uma pessoa foi presa na Bahia

Bahia: Combustível continua caro porque distribuidora não repassou reajuste

Zé Carlos de Jonas agradece a administração municipal pelas obras de reestruturação do riacho que serve a Lagoa de Tamboril

Acusado de 'gestão temerária', Ivã de Almeida deve renunciar ao cargo de presidente do Vitória

PGR defende manutenção de prisão de Geddel Vieira Lima

'Essa cobrança da energia dos poços tem que ser revista com urgência', afirma vereador Zé Ribeiro

Presos fogem de complexo policial superlotado no município de Alagoinhas

Léo Vasconcelos, presidente da Câmara de Vereadores promulga lei que eleva Umburanas, Samambaia e Arrecife a categoria de distritos

Glória Maria diz que o próprio negro se discrimina



BUSCA PELA CATEGORIA "Política"

Dinheiro vivo era escondido no closet da mãe de Geddel, diz ex-assessor

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O closet da mãe do ex-ministro Geddel Vieira Lima era utilizado como esconderijo para malas e caixas de dinheiro. Pelo menos foi o que afirmou o ex-assessor de Lúcio Vieira Lima, Job Ribeiro Brandão, em depoimento à Polícia Federal (PF) e à Procuradoria Geral da República (PGR). De acordo com Job, a família Vieira Lima “possuía muito dinheiro guardado no apartamento de Marluce Vieira Lima”, em Salvador. As notas foram guardadas lá até o início de 2016, mas com a morte do pai de Geddel e Lúcio, o dinheiro foi retirado do imóvel. “O ex-assessor disse que não tinha conhecimento do local até a busca e apreensão feita em setembro deste ano na Operação Tesouro Perdido”, em que a PF encontrou R$ 51 milhões em um apartamento no bairro da Graça, na capital da Bahia. Segundo a coluna do Estadão, o ex-assessor ainda afirmou que ele era o responsável por contar as notas quando chegavam ao apartamento da mãe de Geddel. Durante outro depoimento, Job já havia confessado que um escritório da casa da mãe do ex-ministro era utilizada para repasse de dinheiro vivo. Por lá, saiam cerca de R$ 50 mil e R$ 100 mil com frequência.





BA-262: TOR apreende quase meia tonelada de maconha; foi a maior apreensão feita pela força tática na região

(Foto: Divulgação PRE)

Dando prosseguimento ao policiamento ostensivo nas estradas da região, a TOR - Tático Ostensivo Rodoviário vem realizando uma série de ações proativas, as quais vêm apresentando um alto grau de resolutividade. A última ação ocorreu na noite desta terça-feira (14) na BA-262, altura do KM 300, onde foi feita uma grande apreensão de droga, que chegou próximo de meia tonelada (417 kg) de uma substância que tinha fortes indícios de ser maconha. A apreensão foi feita por meio de uma abordagem de rotina, onde um veículo, Renault Sandeiro, preto, de placa policial PWR-8049 - Minas Gerais. Os dois ocupantes, sendo o condutor Raique Cardoso de Oliveira, 25 anos e passageiro e Ucleverson Ferreira Cardoso, 19 anos, acabaram sendo detidos e foram encaminhados ao Distrito Integrado de Segurança Pública (DISEP), em Vitória da Conquista, onde ficaram à disposição da Justiça, assim como a grande quantidade entorpecente se estabeleceu como a maior apreensão de maconha feita esse ano pela TOR na região.



Temer 'quase' renunciou em maio, diz aliado

Foto: Reprodução

Auxiliares confirmaram reservadamente à imprensa que uma carta de renúncia chegou a ser redigida, mas o texto acabou nunca vindo a público. Oficialmente, ela nunca existiu. Áudio de uma sessão sigilosa da CPI da JBS revela, no entanto, um dos principais aliados de Temer afirmando ter testemunhado, dentro do gabinete presidencial, a quase renúncia. "Ele quase derrubou o presidente naquele dia 17. O complô era pro dia 18 o presidente renunciar. Quase conseguiu fazer o presidente renunciar! [eleva a voz] E quem tá lhe falando é quem tava dentro do gabinete!" A fala é do relator da CPI, o peemedebista Carlos Marun (MS), um dos mais estrepitosos defensores de Temer no Congresso, integrante da tropa que liderou a rejeição das duas denúncias da PGR (Procuradoria-Geral da República) contra o presidente. O áudio é da sessão secreta do dia 18 de outubro, quando a comissão ouviu o depoimento do advogado e delator da JBS, Francisco de Assis e Silva. O "ele" a quem Marun se refere é Joesley Batista, responsável por gravar Temer. O deputado do PMDB sugere, na sessão, que Assis e Silva aconselhe o dono da JBS, seu chefe, a fazer uma nova delação, revelando como foi o processo de negociação e obtenção de provas da colaboração que gerou uma crise política na atual gestão. O recado é para que Joesley, que está preso desde o início de setembro suspeito de ter omitido informações em sua delação, delate agora o então procurador-geral da República Rodrigo Janot, que comandou o acordo de colaboração dos executivos da gigante das carnes. Aliados de Temer sustentam que Janot tinha o objetivo de derrubar o governo e que, por isso, induziu e orientou de forma ilegal toda a produção de provas. "A flecha saiu pela culatra", ironizou Marun, em referência à frase do ex-procurador-geral -"enquanto houver bambu, lá vai flecha"- de que continuaria apresentando denúncias até o último dia de sua gestão. Janot deixou o cargo em 17 de setembro. Antes de sair, pediu a suspensão dos benefícios de dois delatores, Joesley e Ricardo Saud -também preso atualmente. A nova procuradora-geral, Raquel Dodge, é quem vai definir o futuro dos acordos. Procurado neste domingo (12), Temer negou que tenha pensado em renunciar. 



Neto afirma que eleição não é prioridade e alfineta Rui Costa

Foto: Roberto Viana/ Ag. Haack/ bahia.ba

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), disse que ainda não está preocupado em anunciar candidatura ao governo do Estado. A declaração foi uma resposta à provocação feita pelo governador Rui Costa (PT), nesta segunda-feira (6). “Cada um tem o seu tempo. O meu é outro. Não estou preocupado. Talvez ele [Rui] tenha que antecipar, pois ele pode ter preocupação com o cenário político, talvez tenha pesquisas”, sugeriu. Ainda de acordo com o democrata, é “mais do que natural” que o governador anuncie que irá concorrer à reeleição. Na Rádio Metrópole, Rui disse que não tem “dúvida nem insegurança” de que vai tentar a recondução ao posto que hoje ocupa, em clara provocação a Neto, que hesita em confirmar que irá disputar o Palácio de Ondina em 2018.



Política: Assessor afirma que devolvia 80% do salário a Geddel e Lúcio

Foto: Reprodução

O ex-assessor do deputado Lúcio Vieira Lima, Job Ribeiro Brandão afirmou que devolvia 80% do seu salário ao peemedebista e seu irmão, Geddel Vieira Lima, o que daria aproximadamente R$ 8 mil mensais. De acordo com a revista Época, os recursos eram entregues em dinheiro vivo. O assessor contou ainda que quando passou a cuidar do pai dos peemedebistas, Afrísio Vieira Lima, sua remuneração aumentou e ele passou a devolver 70%. Na prática, como devolvia parte do salário, a renda líquida de Job estava em R$ 3,7 mil mensais. Ele foi exonerado do cargo ocupado no gabinete de Lúcio Vieira Lima após ser alvo das medidas cautelares do STF. A defesa de Lúcio e Geddel informou que só irá se manifestar após ter acesso ao teor do documento.



‘Esterco da vagabundagem’, diz vereador Carlos Bolsonaro sobre direitos humanos

Foto: Reprodução

O vereador Carlos Bolsonaro, filho do deputado federal Jair Bolsonaro, voltou a dar declarações polêmicas neste fim de semana. Inspirado pelos impasses em torno da redação do Enem, o vereador publicou uma foto do pai segurando uma camisa com a frase “Direitos humanos: esterco da vagabundagem”. O vereador sugeriu, ainda, que os dizeres são uma dica para a redação do Enem de 2018, quando, supostamente, seu pai for eleito. A foto de Bolsonaro em questão circula na Internet desde 2014 e também já foi postada pelo próprio deputado em redes sociais.



Jovens de cidades baianas se organizam e criam grupos nas redes sociais em prol ao movimento Bolsonaro 2018

Foto: Composição l 97NEWS

Chamado de "fenômeno" por alguns críticos políticos, o Deputado Federal Jair Bolsonaro,  tem a cada dia conseguido uma multidão de seguidores pelo país a fora. Cresce cada vez mais o número de simpatizantes e apoiadores de sua pré-candidatura à presidência do Brasil em 2018. E é exatamente isso o que está acontecendo no Sudoeste Baiano, como por exemplo, em Livramento de Nossa Senhora. A direita livramentense, grupo de apoio a Bolsonaro, está cada vez mais forte na cidade. Depois de várias manifestações em apoio a Bolsonaro que aconteceu em todo país, várias cidades da Bahia passaram a se mobilizar a fim de também declarar apoio a Bolsonaro. E foi isso que aconteceu esta semana, na cidade de Livramento de Nossa Senhora, que fica cerca de 65 km de Brumado.  Mais um movimento da direita em apoio a Bolsonaro, com a criação de um grupo de Whatsapp, denominado "Bolsonaro 2018 - Livramento". 

 

Foto: Reprodução l Rede Social

O movimento já sugere até a possível colocação de um outdoor na entrada da cidade. Com o lema: "Brasil com direita, é um Brasil sem corrupção", os organizadores do movimento convidaram a população da cidade para se juntarem ao grupo, pois acreditam em um país livre de corrupção. Segundo os organizadores, este é o primeiro movimento de direita no município. A previsão é que mais pessoas aderem a campanha em apoio a Bolsonaro, que só cresce nas pesquisas de intenções de votos, o que preocupa os políticos de esquerda. As pesquisas sobre intenção de votos valem muito para se perceber os movimentos da opinião. A se considerar o último levantamento da CNT, na modalidade estimulada, Lula é ainda o grande vencedor. 

 

Isso porque, apesar da cobertura enviesada da mídia contra ele, e da cassada judicial e seletiva contra o ex-presidente e sua família, Lula cresceu 23%. É um fenômeno discutido por vários analistas. Já Bolsonaro cresceu 74% nas intenções de voto e supera a marca histórica da extrema-direita brasileira. Bolsonaro é considerado um dos políticos com maior influências nas redes sociais, chegando a 4,2 milhões de seguidores no Facebook - mais do que o ex-presidente Lula (2,9 milhões) e do que o atual chefe do executivo Michel Temer (580 mil). O "Mito", como está sendo chamado parlamentar, deixaram de lado as ações individuais e formaram uma rede ainda difusa, mas com representantes em vários lugares do Brasil, para reforçar a  sua futura campanha. 

 



Brasil larga atrás de Peru, Chile, Colômbia e México na avaliação de políticas públicas

Foto: Reprodução

O movimento do Brasil na direção de mensurar os resultados de suas políticas começa tarde em relação a outros países da América Latina. Na área educacional, por exemplo, o número de intervenções brasileiras com eficácia comprovada por avaliações rigorosas citadas na literatura acadêmica é baixo. Segundo o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), entre 162 resultados positivos de programas identificados nas últimas duas décadas, 46 são da América Latina; só 6 no Brasil. México, Chile, Peru e Colômbia estão entre os países da região com mais intervenções avaliadas. O Bolsa Família é a política brasileira que passou por maior escrutínio: 5 das 6 análises compiladas pelo BID, com resultados comprovados sobre aumento de matrículas e conclusão do ciclo escolar. A outra intervenção eficaz citada é a adoção de planos de aulas em alguns municípios paulistas.

 

Para facilitar o acesso a dados, o MDS passou a permitir que parte do cadastro único de programas sociais, sem identificação dos beneficiários, seja acessado online. Cresceu também a procura por novos centros destinados a fornecer consultoria para avaliação de impacto, ligados a faculdades privadas de economia e administração, como Insper e FGV. No primeiro semestre deste ano, Sérgio Lazzarini, coordenador do Insper Metricis, recebia, em média, uma ligação semanal de interessados no trabalho do centro, fundado em 2014. Recentemente, o número chega a quatro. Segundo ele, famílias com grandes fortunas que investem em projetos sociais têm receio de sofrer críticas e, por isso, buscam evidências de que suas ações produzem impacto. Já os governos, bombardeados por propostas de ONGs e institutos, querem parâmetros sobre quais delas são de fato eficazes. Isso ajuda a explicar por que tem crescido a demanda por programas com resultados comprovados, como o Jovem de Futuro, desenvolvido pelo Instituto Unibanco para melhorar a gestão escolar. Avaliação feita pelo economista Ricardo Paes de Barros mostra que o Jovem de Futuro leva os alunos a ganharem quase um ano a mais de aprendizagem em relação ao esperado no ensino médio. Seis Estados o adotaram e outros oito estão na fila. Não há como expandir o programa em 2018, porém, afirma Ricardo Henriques, superintendente executivo do Instituto Unibanco. Uma das preocupações, segundo ele, é criar condições de governança para que o projeto não fique sujeito a abandono nas mudanças do ciclo político. É preciso garantir, por exemplo, que o grupo controle será preservado nos anos iniciais do projeto, para viabilizar o estudo. Esse é um dos pontos que enfrenta maior resistência dos governos, já que o grupo controle implica deixar parte dos potenciais beneficiários temporariamente de fora. A profunda recessão vivida pelo Brasil nos últimos anos, porém, fez cair a resistência a avaliações: "Com as crises fiscais, os governos precisam racionalizar gastos", diz o economista André Portela, diretor da FGV Clear. O centro é 1 dos 6 apoiados pelo Banco Mundial e doadores internacionais que visam promover a avaliação de políticas públicas em países em desenvolvimento. "Não adiantava vir aos países, avaliar e ir embora. Era preciso ajudar a fomentar a cultura de avaliação", diz Lycia Lima, coordenadora do FGV Clear. Um dos focos do centro tem sido oferecer cursos de capacitação em monitoramento e avaliação para funcionários públicos. Atualmente, 50 servidores do Estado de São Paulo e 35 do Espírito Santo participam de um treinamento. "Uma das grandes dificuldades que encontramos para avaliar política pública é a falta de gestores capacitados", diz Thiago Arruda, do governo de São Paulo. Ter equipes preparadas dentro dos governos contribui para institucionalizar o processo de avaliação e reduzir seus custos. Avaliações que envolvem entrevistas presenciais são caras. Cada uma pode custar R$ 300, o que pode levar uma aplicação a custar até R$ 100 mil. Essa restrição deve ficar menor com o desenvolvimento de novos métodos de pesquisa on-line ou por meio de mensagens telefônicas. Tais técnicas já foram usadas na África pelo Banco Mundial e estão sendo implantadas no Brasil pela Plano CDE e pela MGov. Mas, mesmo com o custo menor, a cultura da avaliação de impacto terá que vencer dificuldades burocráticas e o medo que os governos têm de inovar -porque os próprios governantes podem sofrer sanções administrativas se o experimento não der certo. "Se a estrutura de incentivos for de processar cada vez que se erra, o que o gestor entrega por real investido é a última das preocupações", afirma Guilherme Lichand, sócio da MGov. (EF e AESP)ar o processo de avaliação e reduzir seus custos, que normalmente são altos.

CONTINUE LENDO


Eleitores filiados a partidos políticos na Bahia chegam a quase um milhão; PMDB lidera ranking

Foto: Reprodução

O número de eleitores baianos filiados a partidos políticos chega a quase um milhão. Até setembro deste ano, 986.347 mil eleitores estavam filiados à alguma legenda partidária. Um levantamento feito com base em dados do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) mostra que o PMDB é a sigla com maior número de seguidores: 94.570. A legenda, comandada até então pela família do ex-ministro Geddel Vieira Lima, perdeu 185 filiados, quando se compara com o número que possuía em dezembro de 2016. O segundo partido com maior número de eleitores filiados é o Democratas, que aparece com 89.893 mil pessoas em suas fileiras. A agremiação comandada na Bahia pelo deputado federal José Carlos Aleluia perdeu 196 eleitores no comparativo com o quantitativo que tinha em dezembro passado. O PT, partido do governador Rui Costa, aparece em terceiro lugar com 84.225 mil eleitores em seus quadros. Em dezembro, esse número era 84.585 mil, assim, o partido perdeu 360 filiados. O PP também viu seu número reduzir de 73.406 mil em dezembro para 73.201 mil em setembro. O PTB, quinto colocado no ranking, tinha 64.627 no final do ano passado e aparece no levantamento com 64.422. O PSDB, sexto colocado, teve aumento no número de eleitores filiados. Em dezembro, era 61.024, passando para 61.381 em setembro último, o que dá um saldo positivo de 357 novas caras. O PR reduziu sua fileira ao cair de 53.312 no fim do ano passado para 53.197. Oitavo colocado no levantamento, o PRB saiu de 46.662 no fim de 2016 e chegou em setembro deste ano com 47.693, um aumento de 1.031 novos filiados. Em nono lugar, está o PDT com 45.879, 36 a mais do que o registrado em dezembro. Em décimo, vem o PSC, que tinha 41.538 no final de 2016 e agora tem 41.450. Ainda no quadro estadual, chama a atenção o crescimento do PSOL no período analisado. A agremiação tinha 11.062 filiados em dezemro de 2016 e passou para 15.700 em setembro último, um incremento de 4.638 novos integrantes em sua fileira. 



Lúcio Vieira Lima evita visitar Geddel na Papupa

(Foto: Reprodução)

O deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) ainda não foi visitar seu irmão, o ex-ministro Geddel Vieira Lima, na Papuda, de acordo com o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo. Segundo a publicação, o parlamentar tem notícias apenas pelo advogado e pela família do irmão, que o visita as sextas-feiras. Após ser alvo de busca pela Polícia Federal (PF), Lúcio voltou à rotina na semana passada. Ele e Geddel Vieira Lima - preso em regime fechado desde 8 de setembro, três dias após a PF apreender R$ 51 milhões em um imóvel supostamente utilizado como "bunker" pelo peemedebista, em Salvador-, ainda não explicaram a origem da maior quantia já apreendida pela PF. A operação busca entender a relação entre Lúcio e os R$ 51 milhões. Os investigadores querem saber se ele poderia ser "destino" ou "origem" do dinheiro. A ação foi realizada pela Polícia Federal a pedido da Procuradoria Geral da República. Os mandados de busca e apreensão foram expedidos pelo ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF.



Câmara banca viagem de Maia, Zé Rocha e Benito com 9 dias livres

(Foto: Bahia.ba)

Os deputados baianos José Rocha (PR) e Benito Gama (PTB) vão embarcar nesta sexta-feira (27) ao exterior do país. De acordo com a Folha, os parlamentares acompanharão o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). A viagem será bancada pelos cofres públicos, mas a Casa ainda não divulgou o custo. O itinerário inclui um roteiro de turismo em Jerusalém e Belém, em Israel, na terça-feira (31), e um dia de “agenda privada” no sábado (4), em Lisboa. A comitiva retorna no domingo (5). Entre os compromissos oficiais, constam um encontro com representantes de empresas israelenses da área de segurança pública e uma reunião com o primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu. Na Itália, o único compromisso é uma cerimônia no “monumento votivo militar brasileiro”, na cidade de Pistoia, na Toscana, na quinta (2).



Tiago Amorim intensifica sua agenda política na busca de lançar candidatura a deputado estadual em 2018

O advogado Tiago Amorim ao lado do senador Otto Alencar em recente encontro em Salvador (Foto: 97NEWS)

Reconhecido como um dos advogados mais brilhantes desta nova geração, Tiago Amorim, já há um bom tempo vem demonstrando o seu forte DNA político, tanto que atualmente é o presidente do PSD de Brumado, que é um dos partidos que está numa curva de ascensão muito positiva em todo o país. Buscando dar continuidade ao seu planejamento que visa o lançamento de uma candidatura a deputado estadual nas eleições de 2018, ele esteve recentemente em Salvador, onde manteve um encontro com o senador Otto Alencar, que é presidente estadual do PSD. O 97NEWS entrou em contato com o advogado que destacou que "o encontro foi muito produtivo e voltei para Brumado ainda mais otimista, já que o senador Otto garantiu que o PSD irá viabilizar novas candidaturas". Ele ainda fez questão de declarar que "somos carentes de representantes para Brumado e diante de tantos escândalos de corrupção, corroborado pelo atual estado em que se encontra a política nacional, fica evidente a necessidade de mudanças profundas" e emendou em tom confiante dizendo que "então, diante disso, os nossos planos para buscar uma renovação política em nossa cidade estão cada vez mais sólidos e, se for para transformar positivamente a nossa cidade, eu serei sim candidato a Deputado Estadual e, posso garantir, que tudo caminha para isso acontecer”.



Presidente da Câmara de Correntina e quatro vereadores são presos; grupo pediu propina de R$ 50 mil a prefeito

Mandados foram cumpridos na Câmara Municipal de Veradores de Correntina (Foto: Arquivo Pessoal)

A operação "Último Tango", deflagrada nesta quinta-feira (26) pelo Ministério Público estadual (MP-BA), prendeu o presidente da Câmara de Vereadores do município de Correntina, oeste da Bahia, Wesley Campos Aguiar, conhecido como Maradona, e mais quatro vereadores da cidade, que não tiveram nomes divulgados. Segundo a promotoria, todos os presos estão envolvidos na formação de organização criminosa suspeita de fraudar processos licitatórios e contratos na cidade e desviar verbas públicas mediante pagamento de gratificações indevidas a servidores. O grupo também teria feito exigências ilícitas ao prefeito da cidade, inclusive a entrega de propina de R$ 50 mil para alguns vereadores em troca da aprovação de projetos de lei. A reportagem tentou falar com a câmara de vereadores, mas não conseguiu contato. Também não foi localizado um representante da prefeitura até a publicação desta reportagem. Foram cumpridos, no total, quatro mandados de prisão preventiva, quatro de prisão temporária e três de condução coercitiva. Os mandados foram expedidos pela Vara dos Feitos Relativos a Delitos Praticados por Organizações Criminosas de Salvador. As polícias Civil, Militar e Rodoviária Federal auxiliaram no cumprimento dos mandados. A investigação do MP-BA foi feita por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), com o apoio da Coordenadoria de Segurança Institucional e Investigação (CSI), Centro de Apoio Operacional às Promotorias Criminais (Caocrim), Centro de Apoio Operacional de Proteção às Promotorias de Proteção da Moralidade Administrativa (Caopam).



Apesar de fundo de R$ 1,7 bi, líderes partidários afirmam que caixa 2 continuará a existir

Foto: Reprodução

Uma reportagem do jornal O Estado de S.Paulo traz declarações dos líderes de vários partidos políticos sobre o financiamento da próxima campanha, e todos concordam em um ponto: o caixa 2, agora considerado crime, continuará existindo. Apesar do fundo de financiamento de R$ 1,77 bilhão aprovado pelo Congresso, eles acreditam que o valor não será suficiente para arcar com todos os custos da campanha. “Vai existir caixa 2? Vai. Mas está todo mundo com medo, com o tanto de empresário preso. Quem tem um pouquinho de juízo vai pensar duas vezes”, disse o presidente do PDT, Carlos Lupi. Para Carlos Siqueira, presidente do PSB, com as novas regras, será mais fácil perceber os excessos de quem estará infringindo a lei. “Quem quiser fazer caixa 2, que faça, e vá parar onde estão os que faltaram com a ética antes”, afirmou. “Os partidos vão ter de se adequar, reduzir os gastos de campanha”, afirmou a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann.



`A educação pública brasileira está sendo dilapidada´, afirma Waldenor

Foto: Reprodução

Em pronunciamento na sessão plenária da Câmara dos deputados, o deputado Waldenor Pereira fez duras críticas ao governo ilegítimo e golpista de Michel Temer na última terça-feira (17). O deputado lamentou a redução drástica no orçamento da educação para ano de 2018. O parlamentar explicou o que considera um descompromisso com a educação brasileira. A proposta orçamentária para o ano de 2018, comparada ao ano de 2017 na educação básica, superior, profissional e tecnológica decresceu, representando um forte impacto no campo educacional e na garantia do direito à educação. Waldenor apresentou dados do desmonte do orçamento da educação: “A educação infantil terá um corte de 94%, a educação de jovens e adultos, um corte de 81%, na educação básica, a redução será de 61%. O desenvolvimento científico e tecnológico, uma redução na proposta orçamentária de 70% no orçamento para o ano de 2018. A concessão de bolsas no país e no exterior vai perder 1 bilhão de reais em relação a 2017”, disse.  “Eu recomendo aos parlamentares que apoiam o governo Temer fazerem a leitura da proposta orçamentária para 2018 e lá vão encontrar dados assustadores, que revelam um corte sem precedentes no orçamento para a educação pública no Brasil”,criticou o parlamentar.



Cientistas Sociais e Geógrafos serão incluídos nos quadros da Assembleia Legislativa

Foto: Divulgação

Emenda do deputado estadual Zé Raimundo (PT), ao de projeto de lei aprovado no último dia 17, instituindo o Plano de Carreiras, Cargos e Vencimentos dos Servidores da Assembleia Legislativa da Bahia, inclui vagas para os cientistas sociais e geógrafos nos quadros da Casa. As vagas para estes especialistas serão preenchidas através dos próximos concursos públicos, assim como as demais categorias que fazem parte do efetivo de servidores do legislativo baiano. “Sendo esta uma casa política, há uma necessidade do olhar e da importante contribuição do cientista social e do geógrafo”, defendeu Zé Raimundo na emenda acatada ao projeto que visa a modernizar os quadros funcionais do Legislativo e adequar as carreiras às necessidades atuais do Parlamento.  O PL 22.476/17 foi fruto da ampla negociação entre parlamentares, representantes dos servidores, da administração da ALBA e de prepostos do Poder Executivo. Foi aprovado por unanimidade entre os 59 deputados presentes.



Lúcio se diz tranquilo sobre operação da PF: 'não encontrarão nada de errado'

(Foto: 97NEWS Conteúdo)

Dois dias após ser alvo de operação de busca e apreensão da Polícia Federal, o deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) reapareceu na Câmara nesta quarta-feira e se disse tranquilo em relação às investigações. O peemedebista afirmou que os agentes não encontrarão nada de ilícito no material apreendido e negou suposta versão de que os R$ 51 milhões encontrados pela PF em um apartamento em Salvador são oriundos de herança do pai dele. “Quantas buscas e apreensão já tiveram? Só a minha que é arretada? Teve uma busca e apreensão, que é uma medida para investigação, que não quer dizer culpabilidade. Com a busca e apreensão, é mais um elemento para demonstrar a minha inocência. (…) Não vão encontrar nada de errado”, afirmou Vieira Lima em rápida entrevista dentro do plenário da Câmara. “Tensão? Tensão quem tem é mulher, tensão menstrual”, acrescentou. Na última segunda-feira (16), a PF fez busca em quatro endereços ligados a Lúcio e a Job Ribeiro Brandão, secretário parlamentar dele. Entre os locais vasculhados, estavam o gabinete na Câmara e o apartamento do peemedebista em Salvador. A operação foi pedida pela Procuradoria-Geral da República (PGR) e autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Os agentes apreenderam documentos e mídias. As medidas cautelares, segundo a PGR, são um desdobramento das investigações que apuram a origem e a responsabilidade por R$ 51 milhões apreendidos em Salvador, no dia 5 de setembro. As cautelares foram solicitadas pela PGR após as investigações iniciadas na primeira instância, no âmbito da Operação Cui Bono, terem sido enviadas ao STF. A operação resultou na prisão do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMD), irmão de Lúcio. “O envio do caso ao STF deu-se em consequência de os investigadores terem encontrado indícios de envolvimento do parlamentar, que é irmão do ex-ministro Geddel Vieira Lima no recolhimento e guarda do dinheiro”, justificou a Procuradoria. Além das cautelares, a PGR pediu que as investigações relativas à Operação Cui Bono, que apura irregularidades na Caixa Econômica Federal, continuem sob competência da primeira instância. Na entrevista nesta quarta-feira, Lúcio não respondeu quando questionado sobre a origem dos R$ 51 milhões em dinheiro vivo encontrados em um apartamento, cujo dono disse ter emprestado ao deputado. Questionado sobre suposta afirmação de que Geddel teria dito que era de herança, ele negou. “Geddel nunca disse isso. Nunca disse isso. Aposto com você.”, declarou. Segundo ele, a “estratégia de defesa quem vai dizer é o advogado”.



Senadores baianos votaram pelo afastamento de Aécio

(Fotos: Reprodução)

Dos 26 votos que concordavam com a decisão do Supremo Tribunal Federal de manter o senador Aécio Neves (PSDB) afatado do seu mandato, três foram dos senadores baianos. Lídice da Mata (PSB), Otto Alencar (PSD) e Walter Pinheiro (Sem partido) - que foi exonerado nesta terça-feira (17) da secretaria da Educação da Bahia para poder votar - tentaram, mas não conseguiram fazer parte da maioria. Aécio se livrou do afastamento, pois outros 44 membros da Casa Alta do Congresso votaram a seu favor. Aécio foi citado na denúncia contra o presidente Michel Temer, acusado de receber 2 milhões de reais do empresário Joesley Batista, da J&F, além de atuar para obstruir a investigação da Lava Jato. O senador nega ter cometido crimes.



STF desmembra investigações sobre Geddel e Lúcio Vieira Lima

Foto: Reprodução

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Edson Fachin, decidiu na tarde dessa terça-feira (17), desmembrar as investigações que envolvem Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) e o irmão dele, o deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA). Pela decisão, a apuração sobre os R$ 51 milhões encontrados em um apartamento em Salvador (BA), permanecerá no Supremo. Lúcio tem direito ao chamado foro privilegiado. Já as suspeitas sobre desvios na Caixa Econômica Federal, foram remetidas à Justiça de Brasília.