ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Dengue: Ministério da Saúde aponta crescimento de 224% nos casos em 2019

Ex-prefeito Geraldo Azevedo propõe união da oposição para as eleições 2020 em Brumado

Brumado: Centrais sindicais fazem manifestações contra a reforma da Previdência em frente à Câmara de Vereadores

Justiça manda soltar ex-presidente Michel Temer

Brumado: Após acidente empresa Lig Lixo realiza limpeza de lama na rodovia BA-148

Projeto que prevê a implantação de monumento candomblecista gera polêmica em Brumado

Brumado: Enfermeira explica importância da atualização do cartão de vacina de estudantes

Clínica Master: Especialista em Ombro e Cotovelo

Desportistas cobram da prefeitura transmissão do Campeonato Brumadense pelas rádios de Brumado

Policiais da 34ª CIPM prende homem que trazia drogas de São Paulo para ser comercializada em Guajeru

RotSat: Rastreamento veicular com qualidade, eficiência e segurança

BA-148: Construtora interdita parte da rodovia que liga Brumado a Livramento de Nossa Senhora

Polícia prende homem acusado de estuprar jovem de 16 anos em Livramento de Nossa Senhora

Faculdade Pitágoras de Brumado está ofertando bolsas de 60% para todo o curso; consulte condições

Caetité: Polícia prende acusado de matar caetiteense de 22 anos; motocicleta e arma do crime foram vendidas em Brumado

Ituaçu: Homem é executado com vários tiros no centro da cidade

Jovem que teve motocicleta apreendida em Brumado é encontrado morto em Caetité

Brumado: Motociclista derrapa em lama e fica ferido na BA-148 próximo ao antigo 'Tocos'

Preço da gasolina sobe mais uma vez e acumula alta de 3,5% em um mês; em Brumado o litro chega a R$ 4,99

Brumado: Trilha da Amizade acontece no dia 31 de março



BUSCA PELA CATEGORIA "Meio Ambiente"

Alerta: Lama da Barragem de Brumadinho deverá chegar ao São Francisco por volta do dia 15 de fevereiro

A lama se desloca e o perigo já é previsto (Foto: Divulgação)

Pesquisadores do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e da Agência Nacional de Águas (ANA) apontaram que a lama de rejeitos de minério de ferro da barragem da Vale que rompeu em Brumadinho, Minas Gerais, chegará à hidrelétrica de Três Marias, no Rio São Francisco, a partir do dia 15 de fevereiro. A previsão foi divulgada no primeiro boletim de monitoramento especial do Rio Paraopeba produzido pelo órgão. De acordo com o jornal O Globo, o Rio Paraopeba é um dos principais afluentes do Rio São Francisco. Os cálculos dos pesquisadores revelaram que a lama chegará à usina de Três Marias entre os dias 15 e 20 de fevereiro. A usina, controlada pela Cemig, é a primeira instalada ao longo do São Francisco. Antes, o previsto é que a lama chegue na região de São José da Varginha na noite desta terça-feira (29). Posteriormente, os rejeitos passarão pela hidrelétrica de Retiro Baixo entre os dias 5 e 10 de fevereiro. A previsão do governo é que essa usina “amorteça” grande parte da lama de rejeitos que foi despejada no rio. Conforme as informações da pesquisa do governo, a onda de lama percorre o local a uma velocidade de 1 quilômetro por hora. O boletim da CPRM é o primeiro documento do governo informando que a lama da barragem da Vale chegará ao Rio São Francisco.



Catástrofe em Brumadinho: Número de mortes chega a 60

A procura pelas vítimas continua com muita intensidade (Foto: Divulgação)

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais informou, na manhã desta segunda-feira (28), que o número de mortos em Brumadinho subiu para 60. O número de vítimas fatais devido ao rompimento de uma barragem da Vale, até então era de 58 — portanto, mais dois corpos foram achados em relação ao domingo. Das 60 vítimas fatais, apenas 19 foram identificadas oficialmente até o momento. Segundo informações do tenente Pedro Aihara, porta-voz dos bombeiros, 292 pessoas ainda estão desaparecidas e 382 vítimas foram localizadas.



Moradores de Ipiaú se dizem muito preocupados com barragem de minérios que deságua no Rio de Contas

piaú, município-sede do Território Médio Rio das Contas, no sul da Bahia (Foto: Divulgação)

Segundo informações passadas ao 97NEWS por moradores da cidade de Ipiaú, que se situa a 49 km a Sul-Leste de Jequié a maior cidade nos arredores, existe uma mineradora que também tem sua barragem de rejeitos de minérios virado para o Rio de Contas. Com a catástrofe ocorrida na cidade mineira de Brumadinho, os moradores ficaram em estado de alerta, já que, segundo eles, caso aconteça uma tragédia similar, poderá ser de grandes proporções, atingindo também Barra do Rocha, Ubatã, Ubaitaba, Aurelino Leal, Taboquinhas e até Itacaré.  Acabando com toda fonte de água e turismo da região. Eles questionam que “as autoridades estão fiscalizando essa Mineradora?”. Fica aqui os questionamentos deles e que devem ser de outras tantas cidades brasileiras que possuem em seu território barragens com rejeitos de minério.

A barragem fica próximo do Rio de Contas (Reprodução Redes Sociais)


Modera participa da elaboração do Plano de Recursos Hídricos da Bacia do Contas

(Foto: Divulgação)

Em cumprimento ao cronograma previamente estabelecido, foi realizada na Cidade de Brumado, no último dia 07 de dezembro, a Consulta Pública para elaboração do Plano de Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio das Contas - PRHRC e da Proposta de Enquadramento dos seus Corpos D’Água - PERC, sob coordenação do Governo do Estado da Bahia, por meio do INEMA, do Comitê do Contas e do Consórcio Águas da Bahia. A Consulta Pública trata-se de um dos eventos de participação social para elaborar o PRHRC e o PERC, sendo que em Brumado foi realizada a terceira da I Rodada de Consultas Públicas, depois de Barra da Estiva e Anagé. Essa Rodada deverá ser concluída com as Consultas de Jequié e Itacaré. O PRHRC e o PERC são instrumentos da Política Estadual de Recursos Hídricos do Estado da Bahia e para que sejam construídos é necessária a participação do poder público, sociedade civil, usuários de água e demais segmentos interessados na gestão dos recursos hídricos. O PRHRC tem o objetivo de garantir a disponibilidade, proteção, conservação, recuperação e o aproveitamento sustentável das águas de uma bacia hidrográfica. A Consulta Pública em Brumado consistiu na apresentação do diagnóstico e do prognóstico da Bacia do Rio das Contas pelo Hidrólogo Luís Gustavo de Moura Reis, do Consórcio Águas da Bahia, seguida por questionamentos e sugestões dos representantes da sociedade civil e dos usuários de água.

 

Em suas participações, os Coordenadores do MODERA, Capitão Henrique Moreira Rocha e o Professor Jorge Valério Gomes, alertaram para o processo de desertificação no Semiárido, onde 70% da área da Bacia do Contas está inserida. Também, sugeriram que o PRHRC contemple ações de revegetação das matas ciliares e os balanços hídricos periódicos na Sub-Bacia do Alto Contas, a fim de avaliar a quantidade de uso da água para a agricultura irrigada e o abastecimento humano. Na oportunidade, abordaram também a crise de abastecimento em Brumado no período de 1998 a 1999, que levou à transposição das águas da Sub-Bacia do Alto Contas para a do Antônio, a partir da Barragem de Cristalândia, representando uma redenção para a Cidade de Brumado. Entretanto, salientaram que essa redenção vem sendo ameaçada pela expansão do agronegócio na Sub-Bacia do Alto Contas. Em reação a isso, informaram que o MODERA buscou apoio da Maçonaria, a qual conseguiu do Governo do Estado da Bahia, a Nota Técnica 01/2016, da EMBASA, que considera a implantação de uma nova barragem no alto do Rio das Contas, um impacto para os níveis de recarga da Barragem de Cristalândia. Segundo os Coordenadores, o MODERA propôs ao Comitê do Contas, uma representação contra o INEMA no Ministério Público, em razão da sua Portaria 10.268, que ignorou a Deliberação Nº 19/2014, do Comitê, referente aos projetos das barragens do agronegócio no Município de Piatã, onde está localizada a nascente do Rio das Contas. A proposta foi aprovada pelo Comitê, que protocolou a representação na Promotoria de Seabra e está aguardando as providências cabíveis.

 

CONTINUE LENDO


Mais de 550 animais silvestres são resgatados durante operação da PRF na região sudoeste

Mais de 550 animais silvestres foram resgatados no último sábado (1º) durante operação da Polícia Rodoviária Federal, realizada em sete cidades do oeste da Bahia. Entre os animais, 15 foram encontrados abatidos e alguns estavam em cativeiro. Ao todo, 541 eram aves, sete mamíferos e sete répteis. Os bichos foram resgatados nas cidades de Bom Jesus da Lapa, Carinhanha, Malhada, Matina, Serra do Ramalho, Riacho de Santana e Iuiú.  De acordo com o G1, a PRF informou que os animais foram avaliados e cuidados por equipes de veterinários e biólogos. Depois, parte deles foi solta na natureza e os que não estavam em condição foram encaminhados ao Centro de Triagem de Animais Silvestres, onde vão passar por processo de reabilitação antes de voltarem ao habitat natural. Ainda segundo a PRF, diversas responsáveis pelos animais em cativeiro entregaram voluntariamente os bichos aos agentes. Nos locais com características de tráfico de animais ou maus-tratos, foi registrado Termos Circunstanciados de Ocorrência e autos de infração do Ibama. Ninguém foi preso.



Codema intensifica ações e ganha destaque no setor ambiental de Brumado

(Foto: Divulgação)

No dia 22/11, foi realizada a 65ª reunião ordinária do CODEMA para tratar da gestão das questões ambientais do município. O Conselho Municipal de Defesa e Conservação do Meio Ambiente – CODEMA - que é paritário e tripartite, possui representantes do Poder Público, da Sociedade Civil Organizada e do Poder Econômico, e está em fase de reconfiguração com a entrada de novos componentes, os quais receberam as boas vindas, e são: O Presidente do Conselho, João Nolasco da Costa – Secretário Interino da Secretaria Municipal de Agricultura, Recursos Hídricos e Meio Ambiente; Márdio David Alves – Diretor do Departamento de Agricultura e Recursos Hídricos; os professores Matheus Lima, do CEEP, e Rui Pereira Santana - Diretor Geral do IFBA; Ivan Caires dos Santos – Presidente da COOPMAB – Cooperativa Mista Agropecuária de Brumado; Douglas Darlan Meira Leite – Secretário Municipal de Infra Estrutura; e Edineia dos Santos Ataíde – Secretária Municipal de Educação, além de outros representantes que já faziam parte do CODEMA, como o MODERA – Movimento de Despoluição do Rio do Antônio; a Associação de classe profissional com representatividade do CREA – AÇÃO;  a Associação das Indústrias de Brumado e Micro-Região – AIBRUM; Câmara de Vereadores e associações comunitárias. Com a participação de 15 membros, a reunião produtivamente tratou de questões voltadas a fiscalizações ambientais e deliberação de Licenças Ambientais requeridas por empresas do município. Em pauta, os Conselheiros discutiram, também, pontos de fortalecimento de atuação do CODEMA, junto à SEMAR, destacando, por exemplo, o acompanhamento do grupo às empresas requerentes de Licença Ambiental. O Presidente do Conselho e Secretário João Nolasco, com entusiasmo, pontuou ser essa proposta um forte molde de atuação, que contribuirá ainda mais ao desenvolvimento da administração transparente do município. A reunião, que acontece geralmente na última quinta-feira de cada mês, sendo adiantada ou adiada por razões necessárias, está aberta à participação de qualquer cidadão brumadense.

 

 



Em comemoração ao Dia da Árvore, crianças da LBV participam de ação ambiental

(Foto: Divulgação LBV)

Nesta quinta-feira (20) crianças atendidas pela Legião da Boa Vontade (LBV), em Itinga/Lauro de Freitas, participaram de atividade ambiental no jardim do Centro Comunitário de Assistência Social da Instituição. A iniciativa é para celebrar o Dia da Árvore e tem o objetivo de despertar a consciência ecológica nos pequenos.As crianças realizaram o plantio de mudas de árvores Ypês amarelas e rosas, todas as mudas foram cedidas pela Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) de Lauro de Freitas. Para a atividade, os meninos e meninas tiveram acompanhamento dos educadores sociais, que no decorrer do plantio, iam reforçando a importância de preservar o meio ambiente. 

Os pequenos ainda aprenderam que após colocar a muda na terra é necessário ter a responsabilidade de cuidar dela todos os dias para garantir o seu desenvolvimento” Todos os dias quando eu chegar aqui, vou pedir água para jogar nela porque senão ela vai morrer”, disse Ana Beatriz, de 6 anos. Atividades como essa proporcionam experiências práticas para as crianças e as estimulam a ter pequenas atitudes que podem contribuir para a preservação ambiental. Alan, de 11 anos, fez questão de reforçar que simples hábitos podem ajudar a natureza e ainda deixou uma dica: "É importante que a gente sempre leve um saquinho na mochila para guardar o lixo. Se todo mundo fizer isso, ajudaremos o meio ambiente”, garantiu. A Legião da Boa Vontade busca despertar o sentimento de amor e cuidado com o ecossistema. “A atividade socioeducativa foi planejada visando proporcionar conhecimento e conscientização da importância de cuidar do meio ambiente como um todo. Desta forma, falamos hoje sobre reciclagem e atitudes que podem ajudar a natureza, como: apagar a luz, economizar a água e separação do lixo”, disse o psicólogo da Instituição, Miquéias Pereira. Na LBV, durante todo o ano, crianças, jovens e idosos atendidos participam de atividades ecológicas e sustentáveis, que visam desenvolver a consciência ambiental através de seus programas socioeducacionais.

CONTINUE LENDO


Vice-prefeito Édio Pereira esclarece a questão da derrubada de pés de gameleira na Vila Presidente Vargas

A derrubada teria sido feita, inclusive, em parceria com a Magnesita, segundo o vice-prefeito (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)

Após uma denúncia dos moradores da Vila Presidente Vargas, referente à derrubada de pés de gameleira nas proximidades da Vila de Catiboaba, foi veiculada uma matéria tratando sobre o fato, o qual teria, segundo os autores das derrubadas das árvores, uma orientação do vereador José Carlos de Jonas. Visando esclarecer a questão, tentamos, por diversas vezes, contato com o secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Charles Granger, mas sem sucesso. Diante disso falamos com o vice-prefeito Édio Pereira, que estava a par da situação, o qual esclareceu todo o episódio. “Houve um grande equívoco por parte das pessoas que fizeram a derrubada das gameleiras, pois, primeiramente o vereador Zé Carlos de Jonas não tem poder para dar uma autorização dessa natureza e, outra, a ação faz parte das obras de urbanização da Vila Presidente Vargas, onde estão sendo pavimentadas várias ruas”, explicou Pereira. Ele ainda declarou que “as árvores, que não são protegidas pela lei ambiental, inclusive serão replantadas, mas, da forma como estavam, iriam prejudicar o projeto de urbanização. A administração municipal tem toda a consciência nesse sentido”. E encerrou dizendo que “então, que fique claro, o vereador Zé Carlos de Jonas não tem nada a ver com essa situação”.



Moradores denunciam desmatamento na Vila Presidente Vargas em Brumado

Vários pés de gameleira já foram arrancados no local que fica na faixa de servidão da ferrovia da FCA (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)

A crise severa que passa o planeta na área ambiental, que vem despertando a consciência humana, vem provocando repúdio às ações de crimes contra o meio ambiente, sendo o desmatamento um dos principais. Neste contexto, atitudes desta natureza têm que ser devidamente repudiadas e, foi esse o sentimento de vários moradores da Vila Presidente Vargas em Brumado, os quais, ao se depararem na tarde desta sexta-feira (14) com uma ação de derrubada de várias figueiras mata-pau, as populares gameleiras, que, mesmo sem estarem inseridas no grupo de vegetação protegida pelo código ambiental, são consideras muito benéficas, já que funcionaram como uma espécie de filtro contra os poluentes que são expelidos por uma empresa mineradora que atua no município.

Moradores e um vigilante da empresa mineradora solicitaram que a ação de desmatamento fosse encerrada (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)

Segundo o porta-voz da denúncia, que pediu reserva de identidade, 3 homens estavam cortando as referidas árvores, que fica na área de servidão da rodovia da FCA, próximo à Vila de Catiboaba, quando os moradores chegaram junto com um vigia da empresa e solicitaram que a ação de desmatamento fosse interrompida. Os mesmos alegaram que tinham recebido uma ordem de um vereador para realizar o serviço, mas não tinham nenhuma autorização oficial nesse sentido. O 97NEWS buscou contato com a assessoria do referido vereador para tentar esclarecer a situação, mas não obtivemos êxito. Tentamos contato com o secretário municipal de Agricultura, Charles Granger, mas não também não conseguimos contato. Existe a possibilidade de que a ação possa mesmo ter uma autorização do município, o que deixamos aqui todos os espaços para os devidos esclarecimentos.

No local também vêm sendo despejado muito entulho (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)


Projeto alternativo que valoriza o lazer e o meio ambiente transforma cenário do Bairro Apertado do Morro

O projeto promoveu uma transformação visual muito positiva na entrada do bairro (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)

A falta de ações mais abrangentes, especialmente na área de infraestrutura, faz com que muitos bairros periféricos de Brumado acabem no esquecimento e isso vem provocando uma onda de sucessivas reinvindicações ao poder público para que essa situação negativa seja revertida. Enquanto isso ainda não se estabelece, alguns exemplos começam a aparecer e mostrar que, mesmo sem apoio, é possível revitalizar os espações. No bairro Apertado do Morro, um dos que mais sofre com a falta de ações mais impactantes, um grande exemplo disso está ganhando notabilidade. Tudo começou com a iniciativa do morador Josemar dos Santos Oliveira, o popular “Bolacha”, o qual, após observar de forma mais criteriosa que a sua comunidade vinha reclamando por causa do lixo acumulado na entrada do bairro, ele decidiu reverter a situação e tornar a entrada do bairro muito mais bonita e agradável. Com pneus velhos e descartados na natureza, ele realizou uma grande atualização artística, tendo um enfoque muito interessante no quesito jardinagem, onde foram colocados vários tipos de plantas, o que tornou o ambiente muito mais agradável e atraente. A ideia agradou tanto, que outros moradores começaram a participar da iniciativa, e resolveram montar um parquinho para crianças. Com a participação da coletividade foi montado um balanço, uma gangorra e o jardim. O ambiente entre os moradores ficou muito melhor, tanto que outras pessoas de outros bairros da cidade já disseram que vão copiar a ideia, e levar a projeto de Josemar para praças abandonadas e terrenos que são usados como lixão. Então fica aí a prova que quando a comunidade se une, mesmo sem apoio do poder público, é possível criar espaços alternativos e fazer com que os locais se tornem áreas de lazer e entretenimento para os moradores.

O parquinho criou um espaço de lazer muito interessante para as crianças (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)


Cidades brasileiras não têm planos para resíduos sólidos

(Foto: P+G Comunicação Integrada)

De acordo com o Perfil dos Municípios Brasileiros (Munic 2017), que acaba de ser divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), quase metade das 5.570 cidades brasileiras não tem atualmente um plano integrado para o manejo do lixo. A informação é grave, por ter um plano de resíduos sólidos é indispensável para que prefeituras recebam recursos, financiamentos e incentivos da União para a área. O plano deve conter, por exemplo, obrigatoriedades que incluem metas de redução de rejeitos via reciclagem e reutilização, regras para o transporte, limpeza urbana, gerenciamento do lixo e diagnósticos regulares. Segundo o estudo, Paraná (83,1%) e Mato Grosso (86,1%) são os estados com os maiores índices de cidades com planos de resíduos sólidos. Na outra ponta, com os menores índices, aparecem Bahia (22,1%) e Piauí (17,4%).

(Foto: P+G Comunicação Integrada)

A Logística Reversa, que visa tornar empresas e indústrias dos mais variados segmentos responsáveis por todo o ciclo de vida útil de um produto, promovendo a reutilização ou o descarte correto dos bens de consumo, deveria fazer parte dos planos municipais, mas ainda é pouco difundida no Brasil. Além de representar um processo vital para o desenvolvimento sustentável do planeta, o processo de restituição dos resíduos sólidos ao setor industrial é mais do que uma orientação e está previsto em lei. Em 2010, o governo brasileiro implantou a Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS, lei nº 12.305, que define a Logística Reversa como um instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada. 

(Foto: P+G Comunicação Integrada)

A lei prevê a redução, reutilização e reciclagem na geração de resíduos, além de regulamentar e impor a implementação de sistemas de produção e consumo consciente a fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes. Segundo o advogado mestre em direito empresarial Emanuel Fernando Castelli Ribas, a legislação se aplica a grande parte do setor empresarial. “Todas as sociedades empresárias que de algum modo, por meio de sua atividade, direta ou indiretamente gerem resíduos sólidos, são obrigadas a desenvolver ações relacionadas à gestão integrada e ao gerenciamento destes resíduos”, afirma. As consequências para as instituições inclusas que não se ajustarem às leis podem ser legalmente responsabilizadas pelos danos causados.  “Independentemente da existência de culpa, as sanções previstas em lei, em especial às fixadas na Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, conhecida como Lei de Crimes Ambientais, vão desde a aplicação de multa pecuniária, podendo gerar em casos mais graves a interdição/suspensão das atividades da empresa”, explica. No Paraná, o Instituto de Logística Reversa – ILOG atua desde 2016 auxiliando instituições de todos os portes a adotarem e desenvolverem práticas sustentáveis em cumprimento das políticas de Logística Reversa do Estado do Paraná e da União. “Um futuro sustentável no universo corporativo depende de práticas que garantam a preservação ambiental, e nós auxiliamos as empresas a se adequarem à lei e definir estratégias que entendam a Logística Reversa como parte integrante dos processos como um todo. Nós viabilizamos parcerias entre a iniciativa privada, governos estaduais e municipais e cooperativas de catadores afim de reintegrar materiais reutilizáveis como papel, vidro, PET e plásticos ao seu processo produtivo originaI e isso colabora diretamente com a estruturação rápida de um setor empresarial pautado na sustentabilidade”, comenta Nilo Cini Junior, presidente do ILOG. Para Emanuel Fernando Castelli Ribas, as leis referentes ao segmento são cruciais, pois só a conscientização voluntária ainda é insatisfatória para que a Logística Reversa seja integrada como um processo natural. “Hoje, em geral, no cenário nacional, a eficácia dos planos de Logística Reversa só podem ser aferidos com a execução destes, mas há atualmente uma grande mobilização nacional para dar cumprimento à lei ainda na fase gestacional dos projetos, e leis e iniciativas como as realizadas pelo ILOG no Paraná e a da CETESB no Estado de São Paulo, que estabelece a inclusão da Logística Reversa como condicionante para emissão ou renovação de licenciamento ambiental, são uma boa solução para dar impulso e mais efetividade as normas que regem o assunto”, completa o especialista.

CONTINUE LENDO


O CMEAS e a Conscientização em Foco!

Joilson Bergher, professor de História e Filosofia, com ênfase em Ética, na Rede Municipal de Ensino -Brumado (Foto: Arquivo Particular)

O mundo se deu conta em 1992, de forma concreta que a humanidade e sua relação com o planeta não poderia se dá mais apenas numa relação de exploração eminentemente capitalista. 26 anos depois da realização daquela que ficou conhecida como Rio-92, Eco-92 ou Cúpula da Terra —, que aconteceu 20 anos depois da primeira conferência do tipo em Estocolmo, Suécia, os países reconheceram o conceito de desenvolvimento sustentável e começaram a moldar ações com o objetivo de proteger o meio ambiente. Desde então, estão sendo discutidas propostas para que o progresso se dê em harmonia com a natureza, garantindo a qualidade de vida tanto para a geração atual quanto para as futuras no planeta. Na Rio-92, ficou acordado, então, que os países em desenvolvimento deveriam receber apoio financeiro e tecnológico para alcançarem outro modelo de desenvolvimento que seja sustentável, inclusive com a redução dos padrões de consumo — especialmente de combustíveis fósseis (petróleo e carvão mineral). Com essa decisão, a união possível entre meio ambiente e desenvolvimento avançou, superando os conflitos registrados nas reuniões anteriores patrocinadas pela ONU, como na Conferência de Estocolmo.

 

Atualizando esse diálogo, estamos no ano de 2018, d.C., com ele, novas demandas, a partir de uma definição conceitual do que seja Meio Ambiente, a nosso ver - um conjunto de unidades ecológicas que funcionam como um sistema natural, e incluem toda a vegetação, animais, micro-organismos, solo, rochas, atmosfera e fenômenos naturais que podem ocorrer em seus limites. Neste particular, seguindo o que preconiza os parâmetros curriculares no Brasil, nesse momento de solapamento de direitos dos trabalhadores, incluindo-se os professores brasileiros, o Colégio Agamenon Santana, o CMEAS, em Brumado, em coletivo, com a sua Gestão Administrativa, seus professores, seus alunos, seus técnicos administrativos e demais trabalhadores daquela unidade de educação, de mão dadas vem contribuindo de forma decisiva para melhorar o conhecimento em diversas áreas, em Brumado, se lançou no diálogo coletivo e ações voltadas para o Meio Ambiente ao realizar mais um projeto de porte social e participativo, dessa vez com o mote, - “Consciência Ambiental em Foco”, onde em debate estava a possibilidade de o homem como Ser fundante ser a grande possibilidade de melhora do  ambiente ainda habitável. Importante frisar a importância que, em Brumado, se faz urgente ações de saneamento ambiental, relacionadas ao abastecimento de água, ao tratamento e destinação de resíduos sólidos (lixo) e à macrodrenagem urbana, sendo inclusive uma demanda intensa em toda essa região, conhecida no Brasil de região semi-árida nordestina onde fundamentalmente, é caracterizada pela ocorrência do bioma da caatinga, que constitui o sertão.


Foi importante orientar os alunos do Cmeas no sentido de, primeiro construir, facilitar, abstrair da possibilidade de conscientização do fazer-ambiental para além do apenas “jogue o lixo no lixo”, aliada a conscientização ficou claro que no tópico agua, por exemplo, em Brumado e região vive-se, um quadro de penúria hídrica, tendo no Rio do Antônio, na pior das hipóteses, uma ação inconsequente, ou seja, a sua destruição. Aliás, segundo o Blog do Modera, acessado em 10 de Junho, 2018, é dito que, -“Vivemos na região fisiográfica do semi-árido brasileiro, onde predominam os períodos de estiagem e os cursos d’água são em sua maioria temporários. A partir desta realidade, refletimos que é uma incoerência muito grande degradar o Rio do Antônio, o qual é útil ao abastecimento humano, às atividades econômicas, à dessedentação animal e à irrigação.


Portanto, no coletivo o Cmeas está devidamente integrado as discussões que rola no Planeta acerca da solidariedade no entorno do planeta, tendo no espaço que cerca o Cmeas a possibilidade de um re-começo coletivo. Com ações que irão além do não jogar uma simples embalagem de doces no chão, mas sim a felicidade de numa manhã, a tarde, ou a noite encontrarmos não mais todas as mudas arrancadas e jogadas no canteiro central da rua, ou alguém que não “deu a cara” no mutirão porque não estava nem um pouco feliz com a ideia do jardim. A lição aprendida desses dias tem que ser objetiva, propositiva, provocativa também. Apesar de morarmos e trabalharmos no bairro, não tínhamos feito a lição de casa direito, ou seja, na ânsia de fazer o jardim florir não demos prioridade ao envolvimento de toda a comunidade no projeto. O melhor é virar a página e começar de novo? Mas reconhecendo o senso de pertencimento da comunidade e pela iniciativa continuada do projeto “Conscientização em Foco”, é possível transformar a Escola e a vizinhança em eco-bairros...

 

CONTINUE LENDO


Modera participa de abertura do Projeto de Consciência Ambiental do CMEAS

(Foto: Divulgação)

Atendendo convite da Direção do Centro Municipal de Educação Agamenon Santana – CMEAS, membros do MODERA estiveram na abertura do Projeto Consciência Ambiental em Foco, que aconteceu por meio de uma caminhada pelos principais logradouros da Cidade de Brumado - BA, no último dia 07 de junho, em homenagem do Dia Mundial do Meio Ambiente _ 5 de junho. Durante a caminhada, alunos do CMEAS empunharam faixas do MODERA, reivindicando a revitalização do Rio do Antônio e fazendo objeção às barragens do agronegócio na Sub-Bacia do Alto Contas, as quais podem diminuir a quantidade e qualidade da água daquela Sub-Bacia e por conseguinte da Barragem de Cristalândia. O Projeto Consciência Ambiental em Foco teve o objetivo de estimular, preparar e propagar a conscientização pela conservação do meio ambiente e envolveu pais, professores e alunos do ensino regular do CMEAS. As suas atividades consistiram em apresentações de música, dança e teatro, bem como no funcionamento de stands, abordando temas como água, lixo, saneamento básico e as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Como reflexão para o Dia do Meio Ambiente, o MODERA reafirma que os seres estão interligados e que o ser humano precisa voltar a se sentir parte da natureza, respeitando todos os seus seres e os seus ciclos, sob pena de ao extinguir os seres da natureza, extinguir a si mesmo.



Poluição plástica é tema do Dia Mundial do Meio Ambiente 2018

Poluição provocada pelos plásticos é tragédia ambiental global que contamina o solo e os mares - (Martine Perret/ONU Meio Ambiente/Direitos reservados)

O Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado hoje (5), tem como tema este ano  “#AcabeComAPoluiçãoPlástica”. O objetivo da ONU Meio Ambiente é chamar a atenção da sociedade para reduzir a produção e o consumo excessivo de produtos plásticos descartáveis. Em 2018, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), a data soma esforços à campanha, para combater o lixo marinho e mobilizar todos os setores da sociedade global no enfrentamento deste problema, que se não for solucionado poderá resultar em mais plástico do que peixes nos oceanos até 2050. Segundo as Nações Unidas, a poluição plástica é considerada uma das principais causas atuais de danos ao meio ambiente e à saúde. Por ano, são consumidas até 5 trilhões de sacolas plásticas em todo o planeta. Ainda segundo a ONU Meio Ambiente, a cada minuto, são compradas 1 milhão de garrafas plásticas e 90% da água engarrafada contêm microplásticos. De acordo com o organismo internacional, metade do plástico consumido no mundo é descartável e pelo menos 13 milhões de toneladas vão parar nos oceanos anualmente, afetando 600 espécies marinhas, das quais 15% estão ameaçadas de extinção. Mais de 100 países se uniram sob o slogan do Dia Mundial do Meio Ambiente deste ano e se comprometeram com atividades, como mutirões de limpeza de praias e florestas, e anúncios de políticas públicas voltadas ao descarte e consumo responsável do plástico. Para o diretor executivo da ONU Meio Ambiente, Erik Solheim, este é um momento crucial para reverter a maré de poluição global. “Precisamos encontrar soluções melhores e mais rápidas do que nunca. Desistir não é uma opção para nós. Agora é a hora de agir juntos - independentemente da nossa idade - pelo bem do nosso planeta”, disse, em nota.



Brumado: Brumadense transforma pneus velhos em bacias, chinelos e lixeiras contribuindo também para o meio ambiente

Jorge afirma ter muito orgulho de sua atividade de artesão (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)

Transformar pneus velhos em bacias, lixeiras ou até mesmo em lixeiras. Essa é a forma de colocar a comida dentro de casa do brumadense Jorge dos Santos Cardoso, de 25 anos, que é morador do Bairro São Jorge, em Brumado. Ele recolhe pneus velhos e os transforma nesses produtos.  O artesão começou a fazer este trabalho desde criança, aos 10 anos de idade, acompanhando seu pai fazer belos trabalhos com pneus velhos. “Cresci vendo meu pai trabalhar com essa arte há 45 anos, e, naturalmente, aprendi a técnica. Demorei 90 dias para conseguir fazer o primeiro”, afirma. Jorge faz as artes em pneus na casa do seu pai, em um ateliê montado em um cômodo nos fundos da sua residência. Antes ele ajudava seu pai a cortar os pneus e, depois, pintá-lo, mas devido a um problema de saúde, seu pai está hospitalizado e precisa ser transferido para uma UTI em Vitória da Conquista. "Nesse momento uso este espaço para pedir ao poder público que consiga uma transferência para meu pai, pois ele necessita dessa transferência para que seu quadro de saúde não se agrave", pediu Jorge. O jovem também vai ter que passar por uma cirurgia. Em março deste ano, ele retirou uma hérnia, mas como não deu repouso, a cirurgia se abriu e o problema voltou, "não podia parar de trabalhar, com meu pai internado, precisava colocar a comida dentro das duas casas, o médico me pediu repouso de 30 dias, só fiquei 12 dias parado. Não aguentei, e voltei. No momento vou ter que fazer outro procedimento, e ficar parado, mas isso já me preocupa. Quem vai sustentar nossa família?", lamentou. Mas mesmo com a enfermidade do seu pai, e suas dificuldades, Jorge relata que o mais difícil nessa profissão, são as pessoas que ainda discriminam a representativa do artesanato. "Muitas vezes eu estou na rua recolhendo pneus, e as pessoas olham para mim e dão risadas, ou até mesmo nem olham, me ignoram. Mas enquanto eles zombam, eu faço arte e coloco o pão de cada dia em minha casa", desabafou o artista. Com 12 anos de experiência cortando pneus, Jorge diz que continua o que seu pai começou. “O mais complicado é cortar o pneu, antes não tínhamos experiência e nem uma máquina específica. Como o pneu tem um arame, o mais difícil é retirá-lo, para não ficar nenhuma farpa e machucar alguém”, afirma. A matéria prima vem de borracharias e locais que descartam os pneus. E o que era lixo se transforma mais uma vez e ainda ajuda manter a família. “Ajuda no orçamento sim, mas o mais gratificante é pegar um pneu cru, sujo e feio, e transformá-lo em arte”, afirma. O artista disse que os seus maiores clientes são os moradores da zona rural. "Vendo muito para os criadores de gado, eles usam as bacias para colocar ração para os animais". Ainda segundo ele, a média de preços dos produtos variam de R$ 20 a R$ 50. "Aqui eu fabrico bacias, lixeiras, chinelos e caqueiro, a arte é infinita", destacou. Para os interessados em adquirir os produtos do artesão, basta procurá-lo na Rua Santa Rita, 100, no bairro São Jorge, o telefone para contato, (77) 9.9871-0227. Pneus jogados em lugares irregulares são um dos principais criadouros do mosquito da dengue. Além disso, o tempo de degradação de um pneu no meio ambiente é indeterminado. “Isso é o mais importante. Um pneu que poderia ir para o lixo, vira uma obra de arte, ajudando a preservar o meio ambiente e também a dengue. Todos os meus trabalhos eu faço furos para vazar a água e não virar criadouro da dengue”, pontuou.



Malhada de Pedras: ‘Lixão do Capinal’ continua revoltando moradores

Para piorar a situação, colocam fogo no lixo liberando uma fumaça tóxica que prejudica a vida dos moradores (Foto: 97NEWS)

A presença de lixões em algumas cidades do Norte e Nordeste ainda é muito comum, o que comprova a falta de compromisso com as questões ambientais por parte dos governantes. A questão ainda está sob “as vistas grossas” do governo federal, que por meio da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), através da lei de n° 12.305, de 2010, determinou que todos os municípios brasileiros dessem um fim nos lixões a céu aberto e implantassem aterros sanitários, só que prorrogações sistemáticas deixaram o processo no “campo dos sonhos”. Uma nova denúncia enviada à redação do 97NEWS nesta quarta-feira (25) vem comprovar ainda mais essa situação que, infelizmente, ainda é uma realidade, mesmo estando em pleno século XXI. A denúncia foi feita pelos moradores da Comunidade de Capinal Salvador, zona rural de Malhada de Pedras, os quais dizem não suportar mais um grande lixão que está cada vez mais próximo das residências. Segundo especulações, o próprio município estaria despejando o lixo recolhido na cidade, o que é um fator agravante e pode, caso seja comprova, se constituir num crime ambiental. Certo é que a quantidade de lixo vem aumentando de forma significativa, com uma agravante que, no período noturno, pessoas acabam colocando fogo no lixo, criando uma fumaça tóxica que está causando problemas de saúde nos moradores, que já fizeram inúmeras reclamações, mas, até agora, o problema não foi resolvido, muito pelo contrário, só piorou, o que vem comprovar uma falta de consciência ambiental das autoridades sanitárias.



Brumado: Modera participa das Conferências do Meio Ambiente

Iniciativa dos Ministérios do Meio Ambiente e da Educação, a Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente trata-se de um processo democrático, participativo e de ação de educação ambiental, envolvendo estudantes, professores e os demais segmentos da comunidade escolar para dialogar, refletir e realizar ações coletivas pela sustentabilidade na escola e no seu entorno. Além do primeiro momento na escola, a Conferência ainda tem outros três, que são o Municipal e/ ou Regional, Estadual e Nacional. O processo de participação dos estudantes implica em levantamento dos problemas ambientais, pesquisas, elaboração e apresentação de projetos. Em sua quinta edição, a Conferência tem como tema “Vamos cuidar do Brasil cuidando das águas”. Como reconhecimento a sua história de mobilizações pela água e pelo Rio do Antônio, escolas da rede municipal de Brumado convidaram o MODERA, nas pessoas dos Coordenadores da Entidade, Capitão PM Henrique Moreira Rocha e o Professor Jorge Valério Rocha Gomes, para participar de suas conferências, fazendo apresentações musicais de cunho educativo ambiental e ministrando palestras, respectivamente. Os temas das palestras variaram entre generalizações sobre a água, a hidrografia do Município de Brumado e a problemática do Rio do Antônio. Atendendo aos convites formulados, os Coordenadores do MODERA estiveram na Conferência do CMEAS no último dia 27 de março; da Escola Clarice Morais no dia 28; da Graça Assis no dia 5 de abril e da Idalina Azevedo no último dia 6. Os projetos apresentados pelos estudantes do 6º ao 9º Ano abordaram o uso racional da água em casa; reutilização das águas de pias, bebedouros, sanitários e ar condicionado; torneira com sensor; coleta da água de chuva com calhas de garrafa pet; fossas ecológicas; Estação de Tratamento de Água – ETA e matas ciliares. Os Coordenadores do MODERA avaliaram que a Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente é muito edificante para a comunidade escolar, em especial aos estudantes, uma vez que proporciona a construção de conhecimentos sobre conteúdos ambientais e estimula o engajamento pelo meio ambiente, sendo que um dos objetivos da Conferência é criar e fazer funcionar a Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida – COM-VIDA na escola.     



Mundo: Declínio 'alarmante' no meio ambiente ameaça suprimento de alimento e energia, diz ONU

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

As atividades humanas estão causando um declínio alarmante na variedade da flora e da fauna na Terra e ameaçando os suprimentos de alimentos, água potável e energia, segundo um estudo de biodiversidade apoiado pela Organização das Nações Unidas (ONU) divulgado na última semana. A poluição, a mudança climática e os desmatamentos para liberar terras para o cultivo estão entre as piores ameaças à natureza, de acordo com os mais de 550 especialistas que formularam uma série de relatórios aprovados por 129 governos depois de conversas na Colômbia. "A biodiversidade, a variedade essencial de formas de vida na Terra, continua a declinar em todas as regiões do mundo", escreveram os autores. Quatro relatórios regionais cobriram as Américas, a Ásia e o Pacífico, a África, a Europa e a Ásia Central - todas as áreas do planeta, com exceção dos pólos e dos altos-mares. O relatório das Américas estimou que o valor da natureza para as pessoas, como lavouras, madeira, purificação de água ou turismo é de ao menos 24,3 trilhões de dólares por ano, o equivalente ao produto interno bruto (PIB) da região, do Alasca à Argentina. Quase dois terços destas contribuições naturais estão em declínio nas Américas, aponta o documento. "A biodiversidade e as contribuições da natureza para as pessoas soam para muitos como algo acadêmico e muito distante de nossas vidas diárias", disse Robert Watson, presidente da Plataforma Intergovernamental de Ciência e Política sobre Biodiversidade e Serviços para Ecossistemas (IPBES). 



Malhada de Pedras: Lixão revolta moradores e mostra falta de consciência ambiental

O lixão vem aumentando de forma considerável e com as queimadas que são feitas à noite, os moradores do local já não suportam mais (Foto: 97NEWS)

A presença de lixões em algumas cidades do Norte e Nordeste ainda é muito comum, o que comprova a falta de compromisso com as questões ambientais por parte dos governantes. A questão ainda está sob “as vistas grossas” do governo federal, que por meio da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), através da lei de n° 12.305, de 2010, determinou que todos os municípios brasileiros dessem um fim nos lixões a céu aberto e implantassem aterros sanitários, só que prorrogações sistemáticas deixaram o processo no “campo dos sonhos”. Uma denúncia enviada à redação do 97NEWS nesta sexta-feira (09) veio ilustrar essa situação que ainda, infelizmente, é muito comum. A denúncia foi feita pelos moradores da Comunidade de Capinal Salvador, zona rural de Malhada de Pedras, os quais dizem não suportar mais um grande lixão que está cada vez mais próximo das residências. Segundo especulações, o próprio município estaria despejando o lixo recolhido na cidade, mas não há confirmações sobre essa possibilidade. Certo é que a quantidade de lixo vem aumentando de forma significativa, com uma agravante que, no período noturno, pessoas acabam colocando fogo no lixo, criando uma fumaça tóxica que está causando problemas de saúde nos moradores, que já fizeram inúmeras reclamações, mas, até agora, o problema não foi resolvido, muito pelo contrário, só piorou, o que vem comprovar uma falta de consciência ambiental das autoridades sanitárias.



Vereadora Lia Teixeira participa de projeto em defesa do Meio Ambiente em Brumado

A vereadora Lia Teixeira plantando mudas com os alunos da Escola Élcio Trigueiro (Foto: Reprodução Facebook)

Mostrando uma alta conscientização sobre a importância em se desenvolver ações em defesa do Meio Ambiente, a vereadora Lia Teixeira participou na última sexta-feira (29) de uma ação integrada realizada pela Casa da Amizade e Rotary Club de Brumado, a qual aconteceu na Escola Municipal Élcio José Trigueiro. O grupo plantou mudas de Oiti, Pau Brasil e Castanha do Pará numa mobilização que envolveu alunos e professores da instituição escolar. Essa atividade acontece dentro de um projeto humanitário pela valorização da qualidade de vida que é realizando pela Casa da Amizade e pelo Rotary Club e que vem obtendo ótimas resultados com a atual geração, fortalecendo a consciência ambiental e contribuindo para um futuro bem mais promissor. A vereadora Lia Teixeira, que ainda participou no período noturno do projeto cultural Primaverantes, declarou que "a defesa do Meio Ambiente tem um lugar especial em nossa agenda de trabalho, pois, como representantes do povo temos que fazer a nossa parte para a construção de um mundo melhor para as futuras gerações". E finalizou destacando que "a receptividade dos alunos nos deixou ainda mais entusiasmada para dinamizar ainda mais essas ações em nosso município. O Rotary e a Casa da Amizade estão de parabéns e que venham a expandir ainda mais esse projeto tão importante". 

O grupo ficou muito satisfeito com a receptividade dos alunos e professores da Escola Élcio Trigueiro (Foto: Reprodução Facebook)